Ir para o conteúdo
BETA

Portal de Informações Institucionais

Universidade Federal de Pelotas

Nome da Disciplina
ANTROPOLOGIA POLÍTICA
CÓDIGO
1670031
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Visão geral sobre os diferentes modos de abordagem e interpretação do
fenômeno político que consolidaram a política como tema de interesse da
antropologia. Estudo das relações entre poder e autoridade, com ênfase na
pluralidade cultural dos diferentes tipos de organização política.

Objetivos

Objetivo Geral:

Fundamentar a reflexão sobre o surgimento na noção de política na
modernidade, especialmente na sua configuração diante do problema da
diversidade humana.

 

Objetivos Específicos:

- Analisar os principais textos que motivam o aparecimento de uma sub-
área da Antropologia: A Antropologia Política;
- Reconhecer o campo da Antropologia Política nos estudos sobre poder,
cultura e sociedade no contexto da sociedade brasileira;
-Proporcionar uma reflexão fundamentada sobre diferentes fenômenos
sócio-culturais, tais como o exercício do poder, a ação social, a violência,
os movimentos sociais.

Conteúdo Programático

1. Fundamentos filosóficos da relação entre poder e diversidade humana
2. Surgimento da "Antropologia Política" no seio da Antropologia Britânica
3. Pierre Clastres: fundamentação de uma nova Antropologia Política
4. A Antropologia Política no contexto da sociedade brasileira

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • CLASTRES, Pierre. Arqueologia da violência. São Paulo: Cosac & Naify, 2004.
  • CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.
  • DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.
  • EVANS-PRITCHARD, Edward. Os Nuer. São Paulo: Perspectiva, 1978.
  • FORTES, Meyer, EVANS-PRITCHARD, Edward (eds.). African political systems. London: Oxford University Press, 1978.
  • GOLDMAN, Marcio. Como funciona a democracia: uma teoria etnográfica da política. Rio de Janeiro: 7Letras, 2006.
  • LEACH, Edmund. Sistemas políticos da Alta Birmânia. São Paulo: Edusp, 1996.
  • PALMEIRA, Moacir; BARREIRA, César (org.). Política no Brasil: visões de antropólogos. Rio de Janeiro: Relume Dumará; NuAP/UFRJ, 2006.

Bibliografia Complementar:

  • LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto. Rio de Janeiro: Forense, 1948.
  • MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva, forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. In: MAUSS, Marcel. Sociologia e Antropologia;vol.2. São Paulo: EPU, 1974.
  • MONTESQUIEU. Do espírito das leis. São Paulo: Abril Cultural, 1979.
  • PALMEIRA, Moacir; Goldman, Marcio (orgs.). Antropologia, voto e representação política. Rio de Janeiro: Contra Capa, 1996.
  • ROSSEAU, Jean-jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. São Paulo: Abril Cultural, 1978.