Nome da Disciplina
CONS E REST DE BENS CULTURAIS EM MADEIRA I
CÓDIGO
0790064
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
1
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
3
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

A madeira como suporte de bens culturais. Técnicas de trabalho e acabamento em madeira. Bens culturais em madeira: talha e imaginária. Madeira dourada e policromada. Degradação, diagnóstico e conservação dos bens culturais em madeira.

Objetivos

Objetivo Geral:

Fornecer as informações necessárias para as práticas de conservação-restauração de bens de natureza lígnea.

 

Objetivos Específicos:

Conhecer a história do uso da madeira como matéria prima de artefatos; identificar técnicas de trabalho em madeira para a fabricação de pequenos ou grandes objetos; conhecer a classificação botânica das madeiras, as partes do tronco, sua constituição química e as propriedades físicas e mecânicas das peças de madeira; consolidar, através de trabalho prático, os conhecimentos adquiridos na disciplina “agentes biológicos de deterioração” no que tange aos agentes que causam deterioração da madeira; documentar bens em madeira; discutir as possibilidades de intervenção nos bens; aplicar técnicas de conservação nos bens de natureza lígnea.

Conteúdo Programático

História do uso da madeira como matéria prima de artefatos;
Técnicas de trabalho em madeira para a fabricação de pequenos ou grandes objetos;
Classificação botânica das madeiras;
Documentação de bens em madeira;
Possibilidades de intervenção nos bens;;
Técnicas de conservação nos bens de natureza lígnea.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BRAGA, Márcia. (Org.) Conservação e Restauro: Madeira, Pintura sobre Madeira, Douramento, Cerâmica, Azulejo, Mosaico. Rio de Janeiro: Rio, 2003.
  • COELHO, Beatriz. Devoção e Arte: Imaginária Religiosa em Minas Gerais. São Paulo: USP, 2005.
  • CRUZ, Helena. Patologia, Avaliação e Conservação de Estruturas de Madeira. In: II Curso Livre Internacional de Patrimônio, 2001, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: Associação Portuguesa dos Municípios com Centro Histórico, 2001. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2015.
  • GONZAGA, Armando Luiz. Madeira: Conservação e Uso. Brasília: IPHAN/ MONUMENTA, 2006. (Cadernos Técnicos n. 6). Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2015.
  • MARQUES, Luis Miguel da Ponte. Conjuntos Retabulares em Madeira: Tecnologias de Construção e Princípios Regentes de Reabilitação. 2009. 231 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil). Universidade do Minho. Portugal, 2009. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2015.
  • MASCARENHAS, Antonio Carlos Q. As Variações Dimensionais nos Bens Culturais em Madeira. MENDES, Marylka (org.) et al. Conservação: Conceitos e Práticas. Rio de Janeiro: UFRJ, 2001.
  • SOUZA, Luiz. Evolução da Tecnologia de Policromia nas Esculturas em Minas Gerais no Século XVIII: O interior inacabado da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição em Catas Altas do Mato Dentro, um monumento exemplar. Tese (Doutorado) Universidade de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1996

Bibliografia Complementar:

  • CALVO, Ana. Técnicas e Conservação de Pintura. Porto: Civilização, Centro deInvestigação em Ciência e Tecnologias da Universidade Católica Portuguesa, 2006.
  • SCHULZE-HOFER, Maria Cristina; MARQUIORI, José N. O uso da Madeira nas Reduções Jesuítico-Guarani do Rio Grande do Sul. IPHAN, 2008.
  • DINIZ, Wívian; SOUZA, Luiz Antônio Cruz. Manual de Conservação Preventiva do Patrimônio Cultural. Belo Horizonte: EBA/UFMG, IEPHA, 2002.
  • DINIZ, Wívian. Oficina de Conservação de Acervos. Apostila. Porto Alegre: DEMU/UFRGS/ SEM, 2008.
  • GÓMEZ GONZÁLEZ, Maria Luisa. La Restauración: Examen Científico Aplicado a la Conservación de obras de Arte.2 ed. Madrid: Cátedra, 2000.
  • SOARES, Pedro de Brito. et. al. Agentes Biológicos em Arquivos e Bibliotecas – Insetos Xilófagos e Bibliográficos. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2015.
  • SCHAFER, Stephan. Desinfestação com Métodos Alternativos, Atóxicos, e Manejo Integrado de Pragas (MIP) em Museus, Arquivos e Acervos, e Armazenamento em Atmosfera Modificada. Disponível em: . Acesso em: 11 mai. 2015.
  • ALONSO-MARTÍNEZ, Enriqueta Gonzalez. Tratado del dorado, plateado y su policromia tecnología, conservación y restauración. Valencia: Universidade Politécnica de Valencia Departamento de Conservación y Restauración de Bienes Culturales, 1997.

Página gerada em 19/12/2018 10:11:05 (consulta levou 0.098510s)