Nome da Disciplina
COMUNICAÇÃO EM MUSEUS
CÓDIGO
0790105
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

O museu como sistema comunicacional; estudo das metodologias de interpretação do real e sua adequação aos códigos de percepção das sociedades; o museu como sistema sígnico; recepção e avaliação de públicos; leitura semântica de exposições; acessibilidade em museus.

Objetivos

Objetivo Geral:

Apresentar e discutir o Museu enquanto um sistema formal de gerenciamento de informação, enfocando, sobretudo, o seu potencial comunicativo. Ao cabo da disciplina o aluno deverá ser capaz de reconhecer e agir sobre as principais mídias de comunicação museológica, assim como perceber as suas principais potencialidades e deficiências.

 

Objetivos Específicos:

• Capacitar o aluno a entender os conceitos e teorias relativos aos processos sociais de comunicação, via instituições de memória.
• Aguçar o pensamento crítico sobre os processos de comunicação implementados pelos museus brasileiros.
• Apresentar e argumentar as demandas informacionais na contemporaneidade, da interatividade ao imediatismo da informação.

Conteúdo Programático

Em 3 módulos:

1. Construindo conceitos e fundamentos: os museus enquanto um sistema de informação

1.1. Delimitação do conceito de informação e os seus desdobramentos históricos;
1.2. A composição e o funcionamento de um sistema de informação;
1.3. O Museu como um sistema de agenciamento de informação.

2. A comunicação museológica: uma abordagem histórica e teórico-metodológica

2.1. As políticas de comunicação nos primeiros museus europeus, a composição espacial da arquitetura e os compromissos com o público;
2.2. Os museus do século XX e a dinamização das ações comunicativas: do museu-objeto ao museu-processo
2.3. Código de ética e os documentos fundamentais: os desafios da comunicação museológica na atualidade;
2.4. O uso das novas tecnologias da informação para ampliação da interface com o público.


3. A comunicação museológica do ponto de vista da prática e da ação transformadora

3.1. As exposições museológicas como a maior janela de contato com o público;
3.2. A semiologia das exposições: a leitura das múltiplas linguagens expositivas;
3.3. O público como o gerador das ações comunicativas: estudo de público e a utilização de mecanismos de atração;
3.4. Educação em Museus: as possibilidades da Educação Patrimonial e da Pedagogia do Despertar;
3.5. A acessibilidade arquitetônica e informativa: amenizando as distâncias.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BENCHETRIT, Sarah Fassa; BEZERRA, Rafael Zamorano; MAGALHÃES, Aline Mon¬tenegro (Org.) Museus e Comunicação: exposições como objeto de estudo. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2010. CAZELLI, Sibele.; MARANDINO, Martha.; STUDART, Denise. Educação e Comunicação em Museus de Ciência: aspectos históricos, pesquisa e prática. In: Guaracira Gouvêa; Martha Marandino; Cristina Leal. (Org.). Educação e Museu: a construção do caráter educativo dos museus de ciência. Rio de janeiro: Access, 2003. p. 83-106. CURY, Marília Xavier. Exposição - Concepção, Montagem e Avaliação. 1. ed. São Paulo: Annablume, 2006. v. 1. 162 p. MARANDINO, M.; ALMEIDA, A.M.; VALENTE, M.E.A. (orgs). Museu: lugar do público. Rio de Janeiro. Editora Fiocruz. 2009 SANTANA, C. B.. Para Além dos Muros: por uma comunicação dialógica entre museus e entorno. 1. ed. Brodowski; São Paulo: Associação Cultural dos Amigos do Museu Casa de Portinari e Secretaria de Estado da Cultura de SP, 2011. v. 01. 120p.

Bibliografia Complementar:

  • ALMEIDA. Adriana. Modelos de comunicação aplicados aos estudos de público de museus. Revista Ciências Humanas, Taubaté, v.9, n.2, p.137-145, jul-dez 2003. BRUNO, Maria Cristina Oliveira (Org.). O ICOM- Brasil e o Pensamento Museológico Brasileiro - documentos selecionados. São Paulo: Pinacoteca do Estado: Secretaria de Estado da Cultura:Comitê Brasileiro do ICOM, 2010. v. 2. BRUNO, Maria Cristina O. Definição de Curadoria: os caminhos do enquadramento, tratamento e extroversão da herança patrimonial. IN: Cadernos de Diretrizes 2 – Mediação em Museus: Curadorias, Exposições e Ação Educativa, Belo Horizonte:SUM, 2008. CARVALHO, R. M. R. . Exposição em museus e a relação com o público: o processo de comunicação e transferência da informação. In: Lena Vania Ribeiro Pinheiro; Maria Nélida González de Gómez. (Org.). Interdiscursos da Ciência da Informação: Arte, Museu e Imagem. Rio de Janeiro/Brasília: IBICT/DEP/DDI, 2000, v. , p. 127-148. CARVALHO, R. M. R.. As transformações da relação museu e público sob a influência das tecnologias da informação. In: IPHAN-Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. (Org.). MUSAS-Revista Brasileira de Museus e Museologia. Rio de Janeiro: IPHAN-Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2006, v. 2, p. 127-139.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
T1 2018 / 2 35 7 Museologia (Bacharelado)
Horários
ManhãTardeNoite
TER13:30 - 14:20
14:20 - 15:10
15:10 - 16:00
16:00 - 16:50
DANIEL MAURICIO VIANA DE SOUZA
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
COMUNICAÇÃO EM MUSEUS Museologia (Bacharelado)

Página gerada em 19/12/2018 00:16:24 (consulta levou 0.112008s)