Nome da Disciplina
FISIOLOGIA VEGETAL APLICADA À BIOTECNOLOGIA
CÓDIGO
1110073
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

A disciplina abordará os mecanismos fisiológicos associados à produtividade, tolerância/ressitencia a estresses, qualidade pós-colheita e acúmulo de compostos de interesse. Serão abordados os processos relacionados ao balanço hídrico e nutricional nas plantas, fotossíntese, respiração, produção de fitormônios, bem como o metabolismo vegetal como um todo, para entendimento do crescimento e desenvolvimento vegetal e da resposta a condições adversas. O enfoque principal será abordar estratégias biotecnológicas atualmente utilizadas visando o aumento da produtividade, aumento da tolerância ou resistência a estresses, melhoramento de aspectos pós-colheita, biofortificação de plantas, além do desenvolvimento de biofábricas vegetais. Os alunos serão instigados a exercitar o raciocínio e a criatividade utilizando dos conhecimentos de fisiologia vegetal para sugerir soluções a problemas na agricultura. Os temas propostos para a disciplina serão abordados de forma teórica, enfatizando as estratégias e técnicas mais atualizadas na área, por meio da utilização de artigos científicos.

Objetivos

Objetivo Geral:

Proporcionar a compreensão dos processos fisiológicos vegetais e do uso deste conhecimento para o desenvolvimento de produtos e processos biotecnológicos.

 

Objetivos Específicos:

Estudar os processos fisiológicos associados à produtividade, à tolerância/resistência a estresses, a aspectos de qualidade pós-colheita e ao acúmulo de compostos de interesse comercial, abordando as estratégias biotecnológicas para manipulação destes processos.

Conteúdo Programático

1. Tópicos em fisiologia vegetal
1.1. Relações hídricas nas plantas
1.2. Absorção e assimilação de nutrientes minerais
1.3. Fotossíntese, respiração e partição de fotoassimilados
1.4. Crescimento e desenvolvimento vegetal
1.5. Produção e desenvolvimento dos frutos
1.6. Fitormônios
1.7. Metabolismo vegetal
1.8. Fisiologia do estresse
2. Estratégias biotecnológicas para aumento da produtividade de plantas
3. Estratégias biotecnológicas para tolerância ou resistência a estresses abiótico e
biótico
4. Estratégias biotecnológicas para a biofortificação de plantas
5. Estratégias biotecnológicas aplicadas à fisiologia pós-colheita
6. Fisiologia Vegetal aplicada ao desenvolvimento de biofábricas vegetais

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • TAIZ, L.; ZEIGER, E. Plant physiology. 5ªed. Sunderland: Sinauer, 2010. 782p.
  • BORÉM, A. FRITSCHE-NETO, R., Biotecnologia aplicada ao melhoramento de plantas. Produção Independente, 2012. 335p.
  • Ferramentas da biotecnologia no melhoramento vegetal. Pelotas: Ed. Universidade UFPEL,2005. 158 p. ISBN 8571922659
  • Plantas geneticamente modificadas: desafios e oportunidades para regiões tropicais. Viçosa: Suprema, 2011. 390 p. ISBN 9788560249817
  • FRITSCHE-NETO, R.; BORÉM, A. Melhoramento de plantas para estresses bióticos. Editora: Produção Independentes, 2012. 240p.
  • FRITSCHE-NETO, R.; BORÉM, A. Plant breeding for abiotic stress. Produção Independente. 2012. 175p.

Bibliografia Complementar:

  • FISIOLOGIA e desenvolvimento vegetal. 6. Porto Alegre ArtMed 2017 1 recurso online ISBN 9788582713679.
  • SILVA, Rui Corrêa da. Produção vegetal processos, técnicas e formas de cultivo.São Paulo Erica 2014 1 recurso online ISBN 9788536521725.
  • MOUSETH, JAMES D., Botany, An introduction to plant biology. 4a. ed. Jones and Brattled Publishers, Sudbury, 2009.
  • BRASILEIRO, A.C.M.,Manual de Transformação Genética de Plantas. SPI-Embrapa, Brasilia, DF, 1998.
  • RAVEN, Peter H. Biologia vegetal. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007. 830 p.
  • http://www.ncbi.nlm.nih.gov/
  • http://www.periodicos.capes.gov.br/

Página gerada em 10/12/2018 13:30:09 (consulta levou 0.067737s)