Nome da Atividade
INTERVENÇÃO PRECOCE
CÓDIGO
09010046
Carga Horária
20 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
A DISTÂNCIA
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
20
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
20
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Compreender os conceitos e práticas em Intervenção Precoce na Infância e sua importância para o desenvolvimento infantil de crianças em situação de vulnerabilidade e risco social, relacionando com as políticas internacionais de IPI.

Objetivos

Objetivo Geral:

Compreender os conceitos e práticas em Intervenção Precoce na Infância e sua importância para o desenvolvimento infantil de crianças em situação de vulnerabilidade e risco social, relacionando com as políticas internacionais de IPI.

Conteúdo Programático

. Definição da IP
. Desenvolvimento neurobiológico: Neuroplasticidade;
. Os primeiros três anos de vida da criança;
. Perspectiva Sistêmica do desenvolvimento;
. Ambientes naturais de aprendizagem;
. Relações sociais nos diversos contextos de vida da criança;
. O conceito da abordagem Centrada na Família;
. Melhores práticas – DEC.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ALMEIDA, I. C. O Modelo de intervenção centrado na família: Da teoria à prática. In: M.J.J., Camacho (org.), Revista Diversidades (pp.12-16). Madeira: O Liberal, 2010.
  • MCWILLIAM, R. A. Recommended practices in interdisciplinary models. In S. M. Serrano (Org.), Envolvimento parental em intervenção precoce(pp. 65-76). Porto: Porto
  • JUNG, L. A. Identificar os apoios às famílias e outros recursos. In R.A. McWilliam (org.). Trabalhar com as famílias de crianças com necessidades especiais, (pp.19-36). Porto: Porto Editora, 2012.
  • GONÇALVES, M.; SIMÕES, C. Práticas de intervenção precoce na infância - as necessidades das famílias de crianças com necessidades educativas especiais, Gestão e Desenvolvimento, 17-18, 157-174, 2009-2010.
  • DUNST, C.J., BRUDER, M. B.; ESPE-SHERWINDT, M. Family capacity-building in Early Childhood Intervention: Do context and setting matter? SchoolCommunityJournal, 24 (1), 37-48, 2014.
  • DUNST, C. J. Apoiar e capacitar as famílias em intervenção precoce: O que aprendemos? In: L. M. CORREIA; A. M. SERRANO. Envolvimento parental em intervenção precoce: Das práticas centradas na criança às práticas centradas na família, (pp. 77-92). Porto: Porto Editora, 2000.
  • DEMPSEY, I.; KENN, D. A review of processes and outcomes in family-centered services for children with a disability, Topics in Early Childhood Special Education, 28 (1), 42-52, 2008.
  • DIVISION FOR EARLY CHILDHOOD (2014). DEC recommended practices in early intervention/early childhood special education 2014. Retrieved from: http://www.dec-sped.org/recommendedpractices.
  • ALMEIDA, I.C.A intervenção centrada na família e na comunidade: O hiato entre as evidências e as práticas,Análise Psicológica, 29 (1), 5-25, 2011.
  • CARVALHO, L., ALMEIDA, I., FELGUEIRAS, I., LEITÃO, S., BOAVIDA, J., SANTOS, P., SERRANO, A., BRITO, A., LANÇA, C., PIMENTEL, J., PINTO, A., GRANDE, C., BRANDÃO, T., FRANCO, V. Práticas recomendadas em Intervenção Precoce na infância. Um guia para profissionais (1ª ed.). Coimbra: ANIP, 2016.

Página gerada em 27/01/2022 09:02:27 (consulta levou 0.041373s)