Nome do Projeto
AVALIAÇÃO DA REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM QUÍMICA DE ALIMENTOS - Continuação
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
21/09/2015 - 31/12/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Resumo
Em dezoito de junho de 1996 foi implantado na Universidade Federal de Pelotas o Curso de Bacharelado em Química de Alimentos, com o ingresso da primeira turma em 1997, tendo como mantenedor o Departamento de Ciência dos Alimentos da Faculdade de Ciências Domésticas. A implantação deste Curso na região de Pelotas, a “cidade dos alimentos”, justificou-se por diversas razões, onde se destacaram: - a inserção em uma região considerada um importante centro de produção e transformação de alimentos, ocupando uma posição de destaque na economia do estado, participando no abastecimento de produtos alimentícios “in natura” ou processados, no mercado nacional e internacional, privilegiada geograficamente. A existência de um parque industrial em Pelotas e adjacências onde são produzidos e processados 80% do pêssego em calda no Brasil, além de conservas de pepino, milho, batata, vagem, cebola, tomate, ervilha, figo, entre outros, produtos estes de expressão econômica na região; - destaque da região como centro de produção, pesquisa e comercialização de arroz no país, estando aqui localizado um grande número de indústrias beneficiadoras desse importante cereal da dieta básica do brasileiro; - a presença de importante bacia leiteira, sendo aqui beneficiados queijo, iogurte, bebidas lácteas, leite em pó e doce de leite. - a grande produção de doces artesanais, conhecidos nacionalmente. Assim, no ano de 2000, formou-se a primeira turma de Bacharéis em Química de Alimentos, profissionais competentes para solucionar problemas relativos à tecnologia de alimentos e controle de qualidade, aptos, àquela época, a enfrentarem as exigências do mercado e dos consumidores, contribuindo ainda com estudos sistematizados para o desenvolvimento técnico-científico na área de alimentos. Em virtude das exigências do Conselho Federal de Química (CFQ), e para atender concomitantemente a Lei de Diretrizes e Bases (LDB) bem como os avanços científicos e tecnológicos e as necessidades do mercado, foi realizada no ano de 2000 uma modificação na estrutura curricular no que diz respeito à carga horária de disciplinas, pré- requisitos, desdobramento e criação de novas disciplinas, extinção de disciplinas, entre outras. Neste projeto estamos avaliando a última reestruturação de 2009, nesta foram feitas modificações estruturais consideráveis quanto ao número de horas, quebra de pré requisitos, inserção de horas livres e atividades complementares, Nessa mudança o currículo anterior foi desmembrado ficando as disciplinas tecnológicas específicas como optativas e livres (blocos B e C)

Objetivo Geral

Avaliar a estrutura curricular do Curso de Bacharelado de Química de Alimentos, após a reestruturação curricular
ocorrida em 2009 e propor alterações que contemplem as diretrizes do Projeto Pedagógico de Curso da UFPel,
mantendo a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, e que tornem o currículo mais dinâmico e atualizado.

Justificativa

As exigências crescentes dos consumidores e a competição com o mercado exterior estimulam cada vez mais a busca
por novas tecnologias e produtos alimentícios com qualidade compatíveis com os encontrados nos países
desenvolvidos. A integração técnico-científico-normativa com os demais países do MERCOSUL, visando adequar a
produção de alimentos nos países integrantes, demanda um maior controle de qualidade e padronização.
O currículo, assim como o conhecimento, deve apresentar uma dinâmica de atuação para adequação às novas
descobertas e tendências científicas e tecnológicas, e garantir a formação de profissional contextualizado, apto a atuar
na indústria, pesquisa e extensão. O curso, portanto, passou por uma reestruturação curricular no ano de 2000. Após
esta data ocorreram profundas alterações sócio-econômicas, que impulsionaram mudanças às demandas da sociedade
e às peculiaridades regionais e verificou-se ainda modificações na estrutura organizacional da UFPel que afetaram
diretamente o extinto Departamento de Ciência dos Alimentos, mantendedor do Curso. O MEC também instituiu as
horas livres e complementares Com isto, foi constatada a necessidade de novas alterações curriculares, qual foi
realizada em 2009, através do projeto de ensino “REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE
Objetivo Geral
Objetivos Específicos
BACHARELADO EM QUÍMICA DE ALIMENTOS”
Serviu também de subsídio para elaboração desta proposta o projeto de ensino “Avaliação da dinâmica
do processo de ensino-aprendizagem e estrutura do Curso de Bacharelado em Química de Alimentos”
(código PRG 862014), que tem apontado para a necessidade de alterações profundas dos mecanismos
de repasse do conhecimento, pré-requisitos e grade curricular. Além deste, as manifestações e sugestões
verbais de alunos e egressos do Curso (Projeto PRG nº 0082011, Programa de acompanhamento de
egressos do curso de Bacharelado em Química de Alimentos) e as demandas geradas pelo REUNI.
O novo modelo de Projeto Político Pedagógico de Curso da UFPel reafirmou a necessária
indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, de forma a atender com qualidade às demandas e
expectativas locais e regionais. Assim, as práticas universitárias, em suas dimensões de ensino, pesquisa
e extensão, surgiram como modalidades acadêmicas a serem repensadas para efetivar o compromisso
com as mudanças e com os objetivos sociais assumidos pela participação no REUNI, de modo a construir
uma Universidade mais inclusiva (BRITO, 2008).
O projeto reestruturação curricular do curso de Bacharelado em Química de Alimentos, com base nas
novas diretrizes de Projeto Pedagógico de Curso da UFPel (BRITO, 2008), teve por objetivo formar
profissionais criativos, autônomos, transformadores e responsáveis, capazes de contribuir para a
melhoria da qualidade de vida da população e com o progresso da ciência. Para isto, houve a
contribuição da consolidação da Formação Complementar e a inserção da Formação Livre na nova
estrutura curricular.
Com base no exposto, após 4 anos de implantação da nova reestruturação curricular (2009-2010) do
curso de Bacharelado em Química de Alimentos, os componentes do atual NDE verificaram a
necessidade de avaliação de forma ampla das modificações realizadas pelo projeto de reestruturação
curricular, no sentido de apontar pontos a serem melhorados ou corrigidos no projeto anteriormente
citado. Assim, diante da nova realidade e da necessidade premente de atualização, está-se submetendo
nova proposta de projeto de ensino para avaliação da reestruturação curricular do Curso de Química de
Alimentos, ocorrida em 2009.
Este presente projeto, após apreciação pelo Núcleo Docente Estruturante, será levado em reunião do
colegiado do Curso de Química de Alimentos e na Câmara de Ensino do Centro de Ciências Químicas,
Farmacêuticas e de Alimentos para aprovação.

Metodologia

A presente proposta será executada em duas fases, onde na primeira fase consta as seguintes ações
listadas abaixo:
- reuniões periódicas dos participantes do projeto para avaliação da disciplinas (conteúdos
Referências Bibliográficas
A avaliação da proposta será realizada de forma contínua através de reuniões periódicas com docentes e discentes,
utilizando-se também como parâmetros norteadores os resultados da avaliação discente realizada em formulário
próprio ao final de cada semestre (projeto intitulado “Avaliação da dinâmica do processo de ensino-aprendizagem e
estrutura do Curso de Bacharelado em Química de Alimentos”, Código do Cocepe: 003.2010).
Como resultado haverá a formação de um currículo mais flexível e dinâmico, que atenda às necessidades de seus
agentes, adequado às novas necessidades mercadológicas e sociais, e de acordo com a nova proposta de projeto
pedagógico de curso da UFPel .Como principais impactos esperam-se:
- a redução do tempo médio de residência dos alunos no curso;
- a adequação do currículo às novas descobertas e tendências científicas e tecnológicas;
- a formação de profissional contextualizado, apto a atuar na indústria, pesquisa e extensão.
Resultados e Impactos esperados
programáticos, metodologia, carga horária e pré-requisitos) contempladas no projeto de reestruturação
curricular;
- entrevistas com professores responsáveis pelas disciplinas para sugestões de permanência ou
alterações do itens acima mencionados, verificação das metodologias de ensino-aprendizagem;
- entrevistas com alunos matriculados e egressos que cursaram este currículo;
- elaboração de propostas de melhoramento das disciplinas que visem atender as necessidades
atuais do currículo;
- apresentação da proposta ao corpo docente e aos discentes para discussão da mesma;
- formulação da proposta final, submetida à aprovação pelo colegiado do curso e COCEPE. Nesta segunda fase os trabalhos de operacionalização das diretrizes propostas através da avaliação do
Projeto Pedagógico, obtido após a reestruturação curricular, necessitam ser continuados, onde serão
realizadas as seguintes ações:
- desenvolvimento e implantação de novos instrumentos e documentos referentes às atividades de
Estágios, bem como das Atividades Complementares e de Formação Livre, caso seja avaliado a
necessidade de modificações,
- estudo individual de cada disciplina oferecida pelo Currículo atual, avaliando-se itens como carga
horária total e distribuição da carga horária, conteúdo programático;
- verificação da adequação das medidas já tomadas na primeira etapa,
- verificação do impacto do novo currículo no andamento do curso,
- elaboração de artigo científico, em Parceria com o Departamento de Integração do Ensino para
divulgação da experiência da aplicação do projeto de reestruturação curricular proposto em 2009.

Resultados Esperados

Como resultado haverá a formação de um currículo mais flexível e dinâmico, que atenda às necessidades de seus
agentes, adequado às novas necessidades mercadológicas e sociais, e de acordo com a nova proposta de projeto
pedagógico de curso da UFPel .Como principais impactos esperam-se:
- a redução do tempo médio de residência dos alunos no curso;
- a adequação do currículo às novas descobertas e tendências científicas e tecnológicas;
- a formação de profissional contextualizado, apto a atuar na indústria, pesquisa e extensão.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANGELITA DA SILVEIRA MOREIRA421/09/201531/12/2016
CARLA ROSANE BARBOZA MENDONCA421/09/201531/12/2016
CAROLINE DELLINGHAUSEN BORGES121/09/201531/12/2016
CAROLINE PEIXOTO BASTOS121/09/201531/12/2016
ELIEZER AVILA GANDRA421/09/201531/12/2016
FABRIZIO DA FONSECA BARBOSA121/09/201531/12/2016
FRANCINE NOVACK VICTORIA121/09/201531/12/2016
JOSIANE FREITAS CHIM521/09/201531/12/2016
LAURA BORBA VILANOVA121/09/201531/12/2016
LIANE SLAWSKI SOARES2021/09/201531/12/2016
MARCIA AROCHA GULARTE121/09/201531/12/2016
MIRIAN RIBEIRO GALVAO MACHADO421/09/201531/12/2016
NADIA CARBONERA421/09/201531/12/2016
ROSANE DA SILVA RODRIGUES421/09/201531/12/2016
RUI CARLOS ZAMBIAZI121/09/201531/12/2016
TATIANA VALESCA RODRIGUEZ ALICIEO121/09/201531/12/2016
VALDECIR CARLOS FERRI121/09/201531/12/2016

Página gerada em 14/12/2019 06:30:28 (consulta levou 0.046741s)