Nome do Projeto
Oficina de anestesiologia Dra. Dione Dias Torriani
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
01/12/2015 - 18/12/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Odontologia
Resumo
As anestesias são manobras que visam impedir o mecanismo fisiológico da dor, através da perda de sensibilidade em uma área circunscrita causada pela depressão da excitação das terminações nervosas ou pela inibição do processo de condução dos nervos periféricos, sem indução de inconsciência. Essa perda de sensibilidade se dá pela injeção de uma substância anestésica próxima aos nervos sensoriais. As anestesias locais são essenciais em determinados procedimentos odontológicos, como remoção de cárie profunda, tratamento endodôntico e extração do elemento dentário. Para isso, todo cirurgião dentista deve estar apto a realizar adequadamente as técnicas anestésicas, bem como, ter conhecimento da inervação da região de cabeça e pescoço, o que possibilita a indicação e aplicação correta da técnica específica para cada região. As complicações representam qualquer desvio no padrão de normalidade, e podem ser causadas por falhas da solução anestésica ou por falhas nas técnicas anestésicas, tendo esta última sua etiologia em iatrogenias e nas variações anatômicas. As falhas relacionadas à técnica anestésica podem resultar para o paciente em dor, causada pela técnica de injeção descuidada e atitudes insensíveis, pela punção e lesão de um determinado nervo, ou por lesões em tecidos gengivais e no periósteo; como hematoma, trismo e dor; parestesia; edema e necrose. Determinados erros e complicações por analgesia local podem ser evitados por adequados treinamento e conduta dos profissionais, diante da utilização de técnicas anestésicas corretas, do total conhecimento anatômico e suas variações e ideal armazenamento das soluções anestésicas. Além disso, tal situação contribui para o tratamento do paciente.

Objetivo Geral



O projeto de ensino tem como objetivo contribuir para o aprimoramento e qualidade do curso, buscando orientar os acadêmicos sobre as informações e ensinamentos que devem ser somados aos fornecidos pela disciplina. Isso reflete em segurança e conhecimento dos graduandos para a realização de anestesias.

Justificativa

Os alunos da Faculdade de Odontologia cursam as disciplinas de Anatomia Humana e Anatomia Humana da Cabeça e Pescoço no primeiro e segundo semestres letivos. A aplicabilidade das técnicas anestésicas começa no quinto semestre, período em que as cadeiras de Unidade de Cirurgia Bucomaxilar I e Unidade Clínica Odontológica I iniciam. Este semestre exige que o aluno tenha o conhecimento anatômico para que saiba aplicar as técnicas anestésicas adequadas para cada caso. Como o período entre os semestres de aprendizagem teórico-prática é longo, fazem-se necessários meios que relembrem tais conteúdos.
Para o desenvolvimento das técnicas de anestesia, é importante que o aluno realize treinamento em manequins, para posteriormente entrar em contato com o paciente, a fim de desenvolver o procedimento que ele necessita. Muitos alunos sentem insegurança ao realizar a primeira anestesia, e é importante desenvolver formas de ensino que diminuam essa sensação apresentada pelo acadêmico.

Metodologia

Cinco crânios serão coletados do acervo de peças anatômicas do Departamento de Morfologia do Instituto de Biologia da UFPel, onde serão limpos com água oxigenada e amônia. Essa limpeza será realizada por pessoal habilitado. Posteriormente, uma camada de verniz será passada nos crânios. A partir do momento em que os crânios estiverem devidamente preparados, os alunos integrantes do PET reconstituirão os trajetos nervosos artificialmente, sob a orientação dos professores da anatomia. Cada ramo de um nervo será feito a cada semana. Todos os petianos participarão desta confecção. Após, os alunos do quinto semestre serão comunicados sobre a oficina. Os alunos interessados serão divididos em cinco grupos e monitorados por integrantes do Grupo PET, que serão coordenados pelos professores da anatomia. Na oficina, os assuntos abordados serão os nervos importantes na anestesia, os acidentes craniofaciais, além das técnicas anestésicas utilizadas na Odontologia. Os alunos dos quinto semestre terão a oportunidade de treinar as técnicas no crânio antes de entrar em contato com o paciente.

Resultados Esperados



Espera-se que o acadêmico desenvolva as técnicas de anestesia local específicas e adequadas para cada região, de forma correta, consciente e tranqüila, buscando evitar qualquer tipo de complicação que possa prejudicar o paciente, aumentando a qualificação dos alunos da faculdade. Todo o conhecimento obtido deve ser transmitido de modo que os graduandos se tornem fontes de informação. Espera-se uma maior segurança dos discentes (por terem plena consciência do que estão fazendo), dos pacientes (por estarem sendo atendidos por pessoal que saibam realizar medidas para evitar a dor) e dos professores.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEXANDRE DE ROSSI201/12/201518/12/2015
ALISSON ANDRE ROBE FONSECA401/12/201518/12/2015
ANTONIO CESAR BORTOWISKI ROSA LEITES401/12/201518/12/2015
CAROLINE FERNANDES E SILVA201/12/201518/12/2015
JOÃO ROIG MARTINS201/12/201518/12/2015
JÚLIA GUEDES ALVES201/12/201518/12/2015
KAROLINE VON AHN PINTO201/12/201518/12/2015
LAUREN FRENZEL SCHUCH201/12/201518/12/2015
MARCOS ANTONIO TORRIANI401/12/201518/12/2015
MATEUS DE AZEVEDO KINALSKI201/12/201518/12/2015
MICHELLE ZARDIN FURICH201/12/201518/12/2015
RENATO AZEVEDO DE AZEVEDO401/12/201518/12/2015
SAMANTHA RODRIGUES XAVIER201/12/201518/12/2015
SUZANNE MENDES DE ALMEIDA201/12/201518/12/2015
TACIANE MENEZES DA SILVEIRA201/12/201518/12/2015
TIAGO MARTINS FEIJÓ MIGUELIS201/12/201518/12/2015

Página gerada em 18/06/2019 06:06:49 (consulta levou 0.057437s)