Nome do Projeto
Percussão na Licenciatura em Música da UFPel
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
28/05/2015 - 31/12/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Artes - Música
Resumo
Através da provocação realizada por diversos setores da sociedade civil, entre eles, professores da educação básica, professores de música e artistas, a legislação brasileira expressa que a música é conteúdo obrigatório, não exclusivo, no contexto educacional das escolas brasileiras (Lei nº11.769). Esta legislação também expressa o trabalho realizado por um conjunto de professores pesquisadores que através das suas investigações problematizaram e problematizam como a música pode contribuir com a formação proposta no contexto escolar. Tal contribuição é consolidada pela ideia de que a música, enquanto uma expressão artística manifesta-se como forma de pensamento e carrega consigo, além da força criativa, as escolhas que grupos sociais realizam para expressar seus entendimentos sobre o mundo no qual estão inseridos. A partir deste entendimento, a arte, neste caso em especial a música, representa formas de inserção no contexto social, alternativas de interpretação e de transformação da realidade.

Objetivo Geral

Potencializar a formação em percussão dos alunos de música licenciatura da UFPel

Justificativa

Oferecer a oportunidade de que futuros professores de música da Educação Básica possam encontrar a Percussão é aumentar as possibilidades de relação com o fazer musical. E por se tratar de Percussão, alguns traços são saudavelmente evidenciados.
A Percussão enquanto possibilidade instrumental possui uma particularidade em relação a outros instrumentos. Diferente da grande maioria dos instrumentos musicais este não estabelece seu aprendizado ao singular, como por exemplo, o violão ou o piano. Estudar percussão significa encontrar um conjunto de instrumentos que, ao mesmo tempo possuem semelhanças e particularidades. Proporcionar o encontro com estes instrumentos é ampliar o olhar para o fazer musical. É exercitar a relação com a multiplicidade e a diferença, neste caso expressa pelo amplo mundo que configura a Percussão. Por outro lado, as possibilidades de fazer musical ganham colorido especial quando cada um dos instrumentos que compõem este grupo carrega consigo traços das suas geografias, das suas histórias, das suas políticas, e como já afirmado, traços das suas escolhas em relação as formas de ser e estar no mundo. Tal exercício pode proporcionar aos alunos da UFPel uma formação em educação musical que também tenha na percussão alimento para problematizar suas práticas docentes a partir de um exercício de contato com a diversidade musical, diversidade esta que carrega consigo, o exercício de contato com a diferença, esta veiculada pelas sonoridades que estes instrumentos carregam consigo. Desta forma, conhecer o universo da percussão envolve ouvir os sons de seus instrumentos, conhecer formas de produzir música através das possibilidades de textura sonora, explorar formas de composição musical, experimentar a performance através de grupos instrumentais, além de entrar em contato com lugares que estão geograficamente distantes e culturalmente próximos. Os argumentos aqui apresentados estão pautados no entendimento de que professores da Educação Básica têm o direito de ter acesso a formação em Educação Musical.
Apresentar uma proposta que tem a percussão presente de forma significativa num curso de formação superior em música é se colocar ao lado dos movimentos que entendem que a Educação Musical deve compor a formação de professores que atuam na Educação Básica. Por sua vez, também é saudável que os futuros professores de música conheçam a percussão como possibilidade de relação com o conhecimento musical.
Aliada as ideias expressas nesta proposta, um aspecto sobre a formação de futuros professores de música e sua relação com o fazer musical percussivo merece destaque. O Brasil tem a sua música fundamentada em pelo menos três formas de se relacionar com o fazer musical. A dos Nativos, dos Europeus que aqui chegaram e dos Africanos que foram forçados a sair de suas terras para trabalhar de forma escrava. O encontro destas culturas faz surgir uma música singular, onde a presença da percussão é sem dúvida um dos traços que forma a identidade da música brasileira. Por si só este fato coloca a percussão como conhecimento necessário na formação de professores de música. No entanto, a presença da percussão no contexto da musica nacional também está atrelada a sua popularidade. A musicalidade do povo brasileiro é expressa também através de tambores, sejam eles tocados nas expressões religiosas, nas rodas de samba, nos maracatus, nas rodas de capoeira e tantas outras manifestações que são realizadas no seio da sociedade, por pessoas que compartilham seu fazeres musicais com os compromissos de suas vidas cotidianas. Este contexto é alimento para a formação e atuação de professores desta linguagem artísica, já que através da percussão podem ser criados caminhos educacionais que consideram a música que vem para dentro da escola, que vem para dentro dos espaços educacionais. Assim, a necessidade de que licenciandos estudem percussão passa por, além de conhecer um dos traços que compõem a identidade do fazer musical brasileiro, a percussão pode se tornar um caminho educacional que considera o fazer musical das pessoas que frequentam os bancos escolares. Para esta proposta, entendemos como sinônimos percussão e música brasileira, conhecimento e conteúdo obrigatório para professores de música brasileiros.

Metodologia

Ainda durante o primeiro semestre de 2015 serão realizados encontros semanais entre professores colaboradores, bolsistas e coordenador com o objetivo de realizar estudos orientados e pesquisas, revisão de bibliografias da área, saídas à campo para conhecer o que se produz de música de percussão nas escolas de educação básica na cidade de Pelotas e identificar o tipo de instrumentos de percussão utilizados, identificar os materiais e equipamentos hoje disponíveis na UFPel para confecção de instrumentos visando criar possibilidades de realização de oficinas e encontros para os alunos do curso de licenciatura.

Resultados Esperados

Projetamos o envolvimento de alunos, professores, técnicos da UFPel em ações voltadas para a música de percussão que reverbere na formação dos alunos da licenciatura e por conseguinte na comunidade de Pelotas, principalmente nas escolas de educação básica.
Possibilitar espaços de formação em percussão para alunos do Programa Institucional de bolsa de Iniciação à docência o PIBID que estão diretamente ligados as escolas;
- Problematizar a formação no curso de licenciatura em música no que diz respeito à percussão;
- Criar a possibilidade de diálogo entre as disciplinas de Percussão e Percepção Musical, Grupo de Percussão, Fundamentos da Educação Musical e Oficina de Construção de instrumentos.

Indicadores, Metas e Resultados

Este projeto propõe-se a fazer a articulação entre as disciplinas de Percussão e Percepção musical I e II, Fundamentos da Educação musical III, Fundamentos da Educação musical IV, Grupo de Percussão, Oficina de Construção de Instrumentos, PIBID da música, LIFE/CAPES das Artes da UFPel - Laboratório de Artes Populares Integradas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADEMIR BELCHIOR MOTTA428/05/201531/12/2015
CARLOS RENATO LUCIO PINTO2028/05/201531/05/2015
EMERSON CLARETE DIAS FAGUNDES2028/05/201531/12/2015
JOSE EVERTON DA SILVA ROZZINI1028/05/201531/12/2015
LOUISE PRADO ALFONSO4
MARIO DE SOUZA MAIA428/05/201531/12/2015
RAFAEL ESTRUC PEREIRA2028/05/201531/12/2015
RAFAEL GARCIA BORGES428/05/201531/12/2015

Página gerada em 25/10/2020 03:14:17 (consulta levou 0.220004s)