Nome do Projeto
Influência do cálcio no balanço energético durante o período de transição de vacas leiteiras
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
11/07/2000 - 31/12/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica Veterinária
Resumo
Em vacas leiteiras a ingestão de matéria seca entre as últimas semanas de gestação e as primeiras de lactação costuma ser insuficiente para suprir as demandas nutricionais de mantença e produção. Com isso vacas leiteiras no período de transição (periparto), costumam ser mais susceptíveis a manifestações clínicas ou mesmo subclínicas, ou subaguda. Algumas enfermidades tais como a hipocalcemia podem atingir prevalência de até 50% na forma subclínica ou subaguda. Diferentes focos e técnicas de investigação têm sido aplicados a fim de esclarecer as complexas interações entre nutrientes e sua participação na regulação endócrina para homeostase metabólica. Os recentes estudos, apenas reforçaram a importância do hormônio insulina, neste período de adaptação, sendo este responsável por acionar diversas funções que garantem o bom desempenho animal. A secreção deste hormônio dependente principalmente de glicose e cálcio que no pós-parto de vacas leiteiras costumam ser grande parte, desviados para produção de leite, o que explica parcialmente a hipoinsulinemia pós-parto. A hipoglicemia é constantemente abordada como causa primária desta hipoinsulinemia, entretanto a abordagem em relação ao cálcio não tem sido explorada em vacas leiteiras. O objetivo deste trabalho será estudar os efeitos da hipocalcemia subclínica no período de transição de vacas leiteiras, sobre os níveis séricos de insulina e se estes efeitos favorecem o balanço energético negativo. O experimento será realizado em um rebanho leiteiro com vacas de alta produção que estiverem nas últimas quatro semanas de gestação, sendo estas, monitoradas quanto à ingestão de matéria seca (IMS) com dieta calculada segundo o cálculo do NRC® a partir de 28 dias antes do parto. Entre o dia -21 pré-parto e o dia 21 pós-parto de cada vaca serão coletadas amostras de sangue com intervalo de dois dias para determinar as vacas em normocalcemia (5 vacas) e as vacas em hipocalcemia subclínica (5 vacas com concentrações de cálcio sérico inferiores a 8 mg/dl). Além do cálcio sérico, também será avaliado os níveis de magnésio, fósforo e cloro, de ácidos graxos não esterificados (NEFA), β-hidroxibutirato, glicose, AST, GGT, além da avaliação endócrina pela avaliação dos níveis de insulina, glucagon, IGF-I, GH. Além destas avaliações, durante as coletas de sangue, três vacas de cada grupo serão submetidas à biópsia hepática e de tecido adiposo para extração de mRNA total. Esses conjuntos de mRNAs serão transcritos reversamente, por RT-PCR, utilizando nucleotídeos marcados com diferentes substâncias fluorescentes, para confecção das sondas de cDNA, que posteriormente serão submetidas à técnica de microarranjo. Com este estudo esperamos demonstrar mais um fator responsável pela hipoinsulinemia pós-parto de vacas leiteiras o que permitiria a difusão de medidas profiláticas e de controle da hipocalcemia subclínica, como forma de melhorar índices produtivos e reprodutivos dos rebanhos leiteiros.

Objetivo Geral

Estudar os efeitos da hipocalcemia subclínica no período de transição de vacas leiteiras, sobre os níveis séricos de insulina e se estes efeitos favorecem o balanço energético negativo.

Investigar a correlação dos macrominerais cálcio, magnésio, fósforo e cloro com parâmetros perfil metabólico e endócrino de vacas leiteiras de alta produção com hipocalcemia subclínica durante o período pré e pós-parto.

Avaliar as possíveis diferenças, entre vacas normais e hipocalcêmicas, quanto à expressão de genes ligados ao metabolismo energético no tecido hepático e adiposo.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
2
2
2
2
04
04
20

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 0,00

Página gerada em 09/12/2018 18:36:11 (consulta levou 0.078128s)