Nome do Projeto
PRODUÇÃO HETERÓLOGA DE GLICOPROTEÍNA (GP19) PARA IMUNODIAGNOSTICO DE ERLIQUIOSE MONOCÍTICA CANINA (EMC).
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
04/04/2012 - 04/04/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Resumo
A Ehrlichia canis é a responsável pela erliquiose monocitica canina (EMC), doença considerada endêmica principalmente nas áreas urbanas. A infecção dos hospedeiros vertebrados por E. canis ocorre quando carrapatos infectados se alimentam e sua secreção salivar infectada com erliquia é inoculada no local da picada. O período de incubação da EMC é de 8 a 20 dias; a doença apresenta três fases: aguda, subclínica e crônica. As espécies de E. canis são transmitidas para o cão e para o homem pelo carrapato da espécie Rhipicephalus sanguineus. O diagnóstico é realizado através de esfregaços sanguíneos, métodos sorológicos ou reação em cadeia da polimerase (PCR), sendo a Imunofluorescência o método mais utilizado. Recentemente E. canis, foi descrita como sendo capaz de causar doença grave em humanos, com casos de óbito principalmente em crianças e idosos. A proteína GP19 é um importante antígeno imunodominante, pois induz rápida resposta imunológica nos cães. A similaridade entre as amostras geograficamente distintas sugere que a proteína GP19 possa ser usada para ensaios de imunoenzimáticos de diagnóstico, bem como em programas vacinais, pois esta proteína é especifica para E. canis não tendo assim reações cruzadas com outros gêneros de Ehrlichia. Este estudo teve como objetivo a clonagem da glicoproteína 19 de Ehrlichia canis em Escherichia coli para ser utilizada como antígeno na detecção rápida e precisa desta doença. O gene gp 19 foi amplificado pela reação da polimerase em cadeia (PCR) utilizando oligonucleotídeos iniciadores específicos contendo sítios para enzimas de restrição. O produto da PCR, após digestão, foi purificado e clonado no vetor pAE e inserido em E. coli TOP 10 competente por eletroporação. Dos clones identificados extraiu-se o plasmídio, o qual foi digerido com as enzimas de restrição e sequenciado para comprovar a presença do inserto. Após seleção dos clones recombinantes contendo o gene ligado ao vetor, este foi purificado e inserido por choque térmico na cepa de expressão, cultivado e induzido para expressar a proteína GP19. Esta proteína será utilizada como antígeno em um teste de imunodiagnostico.

Objetivo Geral

Desenvolver e padronizar métodos de imunodiagnostico de EMC.Desenvolvimento de ELISA para ser utilizados no controle de EMC, visto que até o momento todos os Kits de diagnostico são importados.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
04
06
06

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 1.000,00

Página gerada em 09/12/2018 17:37:53 (consulta levou 0.091464s)