Nome do Projeto
Desenvolvimento de vacinas de subunidade contra leptospirose
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/11/2012 - 02/11/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Resumo
Apenas no Brasil, 10.000 casos de leptospirose grave são notificados anualmente durante epidemias que ocorrem em comunidades carentes em todas as principais cidades do país1; sendo a mortalidade entre os casos em torno de 10-15%. Órgãos de Saúde Pública necessitam abordar as graves consequências decorrentes da leptospirose. A situação é ainda mais urgente com o surgimento da síndrome hemorrágica pulmonar severa (SHPS), a qual é atualmente a causa principal de morte durante epidemias no Brasil4. Mesmo com uma agressiva intervenção médica, a mortalidade devido a doença de Weil e a SHPS é de 5-40% e >50%, respectivamente. Além disso, o custo para o monitoramento de tratamento intensivo, diálise e ventilação mecânica são grandes prejuízos para o sistema de saúde (SUS) do Brasil, cujo gasto anual no setor de saúde pública é >US$20 por pessoa. Entretanto, as ferramentas laboratoriais disponíveis atualmente para o diagnóstico da leptospirose são inadequadas, o que juntamente com a falta de medidas de controle eficazes têm sido as principais barreiras para a geração de respostas efetivas à nível de saúde pública. Pesquisadores identificaram um novo fator de virulência em leptospiras patogênicas, as proteínas da família das imunoglobulinas (Leptospiral immunoglobulin-like (Lig)). Essas proteínas foram identificadas como antígenos imunodominantes em avaliações com soros de pacientes com leptospirose. Numa avaliação de candidatos à vacina de subunidade contra a leptospirose as proteínas Lig protegeram contra o desafio letal em hamsters. Como resultado dessa descoberta, duas patentes foram submetidas para o uso das proteínas Lig como vacinas de subunidade.

Objetivo Geral

Nossa proposta envolve a identificação de candidatas a vacinas de subunidade que possam ser conduzidas em avaliações pré-clínicas e clínicas. O Brasil assumiu um compromisso com o desenvolvimento destas intervenções e a UFPel e seus colaboradores submeteram uma patente para o uso das proteínas Lig. Os objetivos específicos do projeto proposto são:

Determinar se as proteínas rLig servirão como candidatas a vacinas de subunidade que possam ser conduzidas em avaliações pré-clínicas e clínicas e estabelecer os ensaios necessários para avaliar a potência da vacina e sua imunogenicidade em tais avaliações.

1. Determinar quais porções da molécula rLigB são necessárias para conferir imunoproteção no modelo de infecção padrão em hamster.
2. Avaliar se as proteínas rLigB derivadas do DNA do sorovar Copenhageni conferem imunidade esterilizante contra desafio com sorovar Copenhageni.
3. Avaliar se as proteínas rLigB derivadas do DNA do sorovar Copenhageni conferem imunidade cruzada contra desafio com outros sorovares patogênicos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
1
2
4
4
4
LIANA NUNES BARBOSA1201/08/201331/07/2014

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
Recursos própriosR$ 0,00

Página gerada em 19/09/2019 08:22:48 (consulta levou 0.081824s)