Nome do Projeto
“Escolas Interculturais de Fronteira” a re(significação) do fazer do professor no espaço da fronteira
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
20/09/2012 - 21/12/2013
Unidade de Origem
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes - Linguística - Linguística Aplicada
Resumo
Este Projeto de Pesquisa investiga o fazer do professor no espaço da fronteira formada pelas cidades de Santana do Livramento e Rivera, a partir de sua integração no Programa Escolas Interculturais de Fronteira, o qual visa promover a integração regional por meio da educação intercultural e bilíngue nas zonas de fronteira entre o Brasil e os demais países integrantes do Mercosul. Atualmente, 13 escolas do Brasil e 13 escolas divididas entre a Argentina, o Uruguai, o Paraguai e a Venezuela participam do Programa. A UFPel inclina-se para a integração ao mesmo com intenções de ação nas escolas gêmeas das cidades de Santana do Livramento e Rivera, onde até o presente momento não existe vínculo com o Programa. Neste contexto, nossa proposta é colaborar com o desenvolvimento e a difusão do mesmo, a partir da construção de novos aportes teóricos relacionados às políticas linguísticas do Brasil e do Uruguai e suas relações com as concepções e experiências práticas dos professores envolvidos sobre o ensino de línguas e nas línguas da fronteira. Entendemos que as peculiaridades culturais e sociais da fronteira vêm sendo temas recorrentes no processo de integração dos países envolvidos, mas para o avanço com relação à educação é necessário conhecermos de fato as características e especificidades dos sujeitos em questão e suas ações, no caso específico, os professores que atuam nas cidades que compõe o território fronteiriço em foco nesta pesquisa.

Objetivo Geral

Objetivo Geral:

Investigar as ações de professores brasileiros e uruguaios, de escolas de fronteira das cidades de Santana do Livramento e Rivera, e as possíveis mudanças em suas práticas docentes com relação ao contato linguístico neste espaço, a partir de sua integração ao Programa Escolas Interculturais de Fronteira.

Objetivos Específicos:

(1) Investigar as concepções dos professores sobre o contato linguístico na fronteira e sobre o seu papel neste contexto.

(2) Fornecer subsídios teóricos e dados empíricos para discutir resultados positivos e/ou negativos, bem como a difusão do Programa Escolas Interculturais de Fronteira no contexto em foco.

Objetivos Suplementares:

(1) Estabelecer comparações entre as concepções dos professores brasileiros e uruguaios sobre o contato linguístico na fronteira e sobre o papel do professor neste contexto.

(2) Estabelecer comparações entre as políticas linguísticas brasileira e uruguaia com relação ao tratamento do contato linguístico na fronteira e verificar de que forma estas questões repercutem nas concepções e ações dos professores dos respectivos países.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final

Página gerada em 14/12/2018 08:17:54 (consulta levou 0.088982s)