Nome do Projeto
A tralha doméstica na praça: uma abordagem interpretativa das louças oitocentistas da Praça Pedro Osório
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/11/2012 - 02/11/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - Arqueologia - Arqueologia Histórica
Resumo
Ainda que a área da Praça Pedro Osório, no centro de Pelotas, tenha sido traçada na década de 1830, o terreno permaneceu baldio, usado, sobretudo, para despejo de lixo dos moradores, até seu aterramento e urbanização no final da década de 1880. A Reserva Técnica do LEPAARQUE-ICH/UFPel guarda uma coleção de milhares de fragmentos de objetos de uso cotidiano que foram descartados no terreno da praça e selados pelo aterro. A tais artefatos correspondem, no mais das vezes, peças que os inventários e testamentos do século XIX tratam por “tralha doméstica”. São principalmente louças em faiança fina, ironstone e porcelana com funções diversas: vasilhas para servir ou consumir alimentos – pratos, travessas, tigelas, malgas, xícaras, bules, garrafas, canecas, etc.; recipientes de uso farmacêutico e culinário – frascos de remédios, de temperos, etc.; vasilhas de uso ligado à higiene e perfumaria – urinóis, bacias, frascos de perfume, etc.; e objetos decorativos – floreiras, vasos, bibelôs, etc. Esse projeto se define por uma abordagem interpretativa da coleção de louças da praça Pedro Osório, atenta à materialidade das peças arqueológicas e ao processo histórico e às mudanças culturais que possam ser inferidos a partir delas. Isso implica tanto em conhecer os artefatos detalhadamente, em suas características físicas e tecnológicas, quanto em estudar os significados desta evidência arqueológica em seu contexto cultural e histórico, com atenção aos sistemas de crenças ou visões de mundo das pessoas que com ela interagiram no passado. Tais louças, de produção industrial e voltada para comércio e exportação, dão grande visibilidade ao século XIX na evidência arqueológica de sítios do Brasil. Sua ocorrência frequente e numerosa se relaciona tanto com a internalização do capitalismo europeu nas colônias quanto com a lenta instalação do modo de vida burguês que desde o século XVIII acompanhava o projeto modernizador ocidental em seus territórios além-mar. A premissa norteadora do projeto é que a coleção de louças da praça, uma vez descrita e classificada, permita avançar na investigação da penetração do modo de vida burguês na Pelotas oitocentista e das relações estabelecidas entre os distintos grupos sociais que usavam a praça para descarte de seu lixo doméstico.

Objetivo Geral

O objetivo geral do projeto é partir do estudo da coleção arqueológica da Praça Pedro Osório para deslindar a penetração do modo de vida burguês em diferentes grupos sociais da Pelotas oitocentista que eventualmente tenham descartado de seu lixo doméstico naquele local.
Seus objetivos específicos são:
i) descrever pormenorizadamente a coleção arqueológica de louças em faianças finas, ironstone e porcelana;
ii) classificar as peças pela combinação de atributos tecnológicos, identificando, quando possível, a região ou o local de produção da vasilha e estabelecendo balizas cronológicas para a manufatura dos vários tipos definidos;
iii) obter um recorte temporal preliminar para a amostra arqueológica, a partir de informações cronológicas das próprias louças;
iv) tomando este recorte por referência, iniciar o levantamento de fontes documentais relativas ao consumo de louças e outros itens da tralha doméstica e às práticas de descarte no núcleo urbano de Pelotas no século XIX;
v) cotejar os dados da análise das louças e dos documentos, de modo a refinar a cronologia proposta pela produção das louças e propor um recorte cronológico para o uso e descarte destas peças pela população de Pelotas;
vi) elaborar uma contextualização social preliminar para o consumo e descarte destas peças domésticas, discutindo que grupos sociais podem ter consumido e descartado os vasilhames, que interações eles podem ter estabelecido com a tralha doméstica e que relações entre grupos sociais podem ser inferidas pelo estudo arqueológico histórico das louças e da área de descarte público.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
4
4
4
4
ARANTXA SANCHES SILVA DA SILVA822/01/201402/11/2014
DANIEL MINOSSI NUNES402/01/201301/11/2014
LUIZA SPINELLI PINTO WOLFF401/11/201201/11/2014
SUZANA ELIZA ROLL MUNSBERG401/11/201201/11/2013

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 130.980,00

Página gerada em 11/12/2018 05:23:14 (consulta levou 0.090623s)