Nome do Projeto
Taxa de Lactogênio Placentário e IGF-I e sua relação com a sensibilidade de insulina no periparto de vacas leiteiras
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/01/2012 - 01/01/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirúrgia Animal
Resumo
O GH em animais como camundongos, ratos e bovinos além de outros mamíferos, faz parte de uma grande família de genes parálogos muitos proximamente relacionados com a família da PRL (Wiesmerset al., 2003) sendo o Lactogênio Placentário (PL) um dos membros das famílias da PRL e do GH (Brelje et al., 1993 Buttle et al., 1972). A PRL e o GH são peptídeos responsáveis pela coordenação de grande parte dos processos biológicos dos vertebrados. Podem desempenhar suas funções clássicas, como moduladores endócrinos circulantes (hormônios) ou moduladores endócrinos locais (citocinas) através de ação parácrina, autócrina ou justácrina (Soares, 2004). O PL bovino (bPL), produzido na placenta, é uma das proteínas placentárias mais investigadas e isto tem sido atribuído por seu potencial ação no aumento da produtividade tanto de carne, como de leite, em vacas (Alvarez-Oxiley et al., 2008). Ao contrário da PRL e do GH, o PL é produzido nas células trofoblásticas binucleadas da placenta de ruminantes, atingindo concentrações detectáveis no soro da mãe por volta dos 40 dias de prenhez com seu pico no último trimestre de gestação (Igwebuike, 2006). O PL atua nas mudanças fisiológicas que ocorrem durante a gestação, promovendo corpo lúteo funcional, por sua ação luteotrópica (Ben-Jonathan et al., 1996; Byatt et al., 1992), desenvolvimento das glândulas uterinas e mamárias (função mamogênica) (Akers, 2006) e facilitando a entrada e utilização de nutrientes para o feto (função histiotrópica) (Enders and Welsh, 1993; Soares, 2004). Tem sido muito difundido que o bPL interage tanto com o receptor da PRL quanto com o do GH (Gertler and Dijane, 2002). Evidências prévias sugerem que o bPL possui dupla-ação agosnista para PRL-R e GHR, sinalizando vias e sugerindo que todos possuam o mesmo sistema receptor para PL (Soares, 2004). A ligação do bPL ao receptor sinaliza e ativa o JAK/STAT e o MAPK (Biener et al., 2003), que atuam no mecanismo de transdução da informação e expressão dos gene alvo (Choi e Wasman, 2000). Este mecanismo ocorre da mesma maneira quando o GH ou o PL se ligam ao receptor, o que difere entre um e outro, é o gene que será expresso, dependendo do hormônio responsável por esta sinalização. Para melhor esclarecer qual dos hormônios citados estará envolvido neste processo de sinalização celular, pode-se realizar as dosagens séricas dos mesmos, bem como do IGF-I, que está diretamente correlacionado com a expressão do GHR (Tripathi e Shodi, 2009).

Objetivo Geral

2.1 Objetivo Geral

• Estimar a taxa de competição por receptores entre o lactogênio placentário bovino e o hormônio do crescimento bovino através das concentrações de IGF-I.


2.2 Objetivos Específicos

1. Correlacionar a taxa PL:IGF-I com a metabolização da glicose e insulina durante o periparto.

2. Verificar a relação entre a intensidade da resistência a insulina pré e pós-parto com a taxa de PL:IGF-I.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
2
2
2
2
2
2
2
2
2
2
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
3
6
6
6

Página gerada em 14/12/2018 08:42:30 (consulta levou 0.101674s)