Nome do Projeto
Patrimônio Industrial e Lugar de Memórias: o Frigorífico Anglo de Pelotas/Brasil e do Uruguai/Fray Bentos
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/06/2013 - 02/12/2015
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Resumo
O conceito de lugar de memória (NORA, 1993) como aquele fato ou objeto, material ou não, que se reveste de uma “vontade de memória”, será empregado para observar o processo da lembrança no comportamento dos entrevistados durante visita ao ex-complexo do Anglo. Desse modo, os significados emergentes do ritual da visita devem aportar sentidos ao espaço visitado, justificando-o como aquilo que ficou de um outro tempo, que se inscreve na possibilidade de significa-lo, portando-lhe de sentidos, correspondendo ao lugar onde a memória pode se fixar. O conceito de patrimônio industrial fundamenta-se sobre Kühl (2006,2009), Thiesen (2006), Mello e Silva (2006), Ferreira (2009) e Pereira (2006) e baseia a análise sobre as possibilidades do remanescente arquitetônico do Frigorífico Anglo subsistir como lugar de memória assim como orientará a constituição do espaço digital, no qual o antigo complexo será modelado em 3D tanto para colher depoimentos como para registrar como deve ter sido o espaço nos anos de 1940, período inicial do seu funcionamento. As estratégias consistem na realização de entrevistas, localização e recolhimento de documentos, geração de fotografias e filmagens e trabalho de expografia digital para gerar um espaço de visitação, consulta e registro de depoimentos, simulando o complexo do Frigorífico Anglo no passado. Emprega-se ainda a sistematização dos documentos segundo o princípio de coleções e a disponibilização segundo Maison (2004). Assim, a comparação entre os dois complexos – de Fray Bentos e de Pelotas – é significativa porque evidencia: 1) o contraste entre o que foi preservado lá e aqui e os resultados dessa preservação; 2) as possibilidades de patrimonializar espaços plenos ou vazios de vestígios, mas, que em ambos os casos, apresentam-se habilitados a propor lembranças. É no contorno dessa possibilidade que se apresenta o presente projeto. Para escrevê-lo, desde o início de 2012, foram localizadas e estudadas as referências ao frigorífico inglês no Brasil (JANKE, 2011; ARAÚJO, 2003; VALDÉZ, 2007; PERINELLI, 2007; MEDRADO, 2008), na Argentina (AGUIRRE, 1958; BUXEDA, 1983; LOBATO, 2007; ROLDÁN, 2008) e no Uruguai (CAMPADONICO, 2000; EL OBSERVADOR, 2011; SENA, 2012; DOUREDJIAN, 2009; TAKS, 2009). Foi feita uma busca por documentos visuais e escritos sobre os frigoríficos em questão e realizadas entrevistas com ex-funcionários , moradores ou não da vila da Balsa . O conjunto de documentos utilizados por Neusa Janke para a sua pesquisa datada de 1997, foi utilizado. No conjunto deste levantamento, o Frigorífico Anglo de Pelotas e o de Fray Bentos apresentam-se significativos nos contrastes e semelhanças. O Frigorífico de Berisso não existe mais, da planta industrial sobejaram algumas ruínas e o local está ocupado por outra indústria. O Frigorífico Anglo de Mendes, Rio de Janeiro, foi vendido nos anos de 1950 e o de Barretos foi comprado pela grande empresa brasileira JBS/SA, que manteve a bandeira do Anglo, mas remodelou o complexo para cumprir com as exigências da poderosa indústria alimentícia da carne.

Objetivo Geral

1.1. Objetivos
Geral: Justificar, empregando o conceito de Lugar de memória, o espaço do Frigorífico Anglo de Pelotas, hoje ocupado pela Universidade Federal de Pelotas, como espaço evocador de lembranças do trabalho e da vivência em espaços frigoríficos do passado, reiterando, dessa forma, o entendimento desse espaço como patrimônio industrial.
Específicos
2. Gerar documentação sonora, visual e histórica sobre o percurso do complexo do Frigorífico Anglo de Pelotas, já revitalizado para outro uso.
3. Colher depoimentos e entrevistas que possam localizar a ocupação dos espaços do Frigorífico Anglo de Pelotas ao longo da sua existência.
4. Identificar os modos de trabalho, as peculiaridades do trabalho dentro dos frigoríficos, a relação entre os operários e os funcionários estrangeiros, os sistemas de relações pessoais entre funcionários e os demais sentidos oriundos.
5. Gerar possibilidades de registro para as memórias do trabalho oportunizadas pela disponibilização de um espaço virtual de visitação.
6. Contribuir com o trabalho da Comisión de Gestión del ANGLO e demais instituições envolvidas com a apresentação do projeto Paysaje Cultural-Industrial Fray Bentos, para inclusão do complexo desta cidade na lista indicativa do Patrimônio Cultural de Humanidade.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
4
4
4
4
4
8
8
8
CRISTIANE RODRIGUES DE RODRIGUES1201/08/201431/03/2015
DESIRÉE NOBRE SALASAR1201/04/201531/07/2015
JOSSANA PEIL COELHO1201/08/201331/07/2014
JÚLIA FIGUEIREDO CAVALLIERI1201/08/201330/06/2014
MATHEUS JOSÉ KRUMENAUER WEBER1201/08/201330/06/2014
PAULA GARCIA LIMA401/06/201302/12/2015

Página gerada em 22/09/2020 14:19:56 (consulta levou 0.076162s)