Nome do Projeto
Tendência temporal de mortalidade das principais neoplasias malignas no Rio Grande do Sul, no período de 1970 a 2011.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2013 - 01/07/2014
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Resumo
As altas taxas mundiais de incidência e de mortalidade por câncer, bem como a perspectiva de aumento nas próximas décadas, indicam a premente necessidade de se intensificar pesquisas e ações para o controle desse agravo de saúde. Nos países de alta renda, um em cada cinco óbitos é decorrente de neoplasias malignas. Nos países de média e baixa renda, esta proporção chega a 10%; entretanto, estes países já concentram cerca de 55% dos novos casos de câncer que surgem anualmente no mundo(12). O fenômeno da transição epidemiológica, no Brasil, tem se mostrado bastante diferenciado, em relação ao resto do mundo, visto que o envelhecimento populacional ocorre em uma realidade socioeconômica desfavorável, de forma rápida e com grandes desigualdades entre as diversas regiões demográficas brasileiras(17). Devido ao aumento do número de idosos, as taxas de incidência e mortalidade pelas DCNT (Doenças Crônicas Não-Transmissíveis) aumentam, visto estarem associadas à idade e aos maus hábitos de vida, tais como fumo, sedentarismo e dieta desequilibrada, cultivados ao longo dos anos; associam-se, ainda, os fatores genéticos(17). O RS tem uma das mais altas taxas de mortalidade por câncer no Brasil e, segundo as estimativas de 2012, válidas para 2013, permanecerá à frente(23). Através de um convênio entre a Secretaria de Saúde e do Meio Ambiente do RGS e a Fundação de Apoio Universitário da Universidade Federal de Pelotas, em 2004, foi possível traçar um perfil epidemiológico da situação do câncer, no Rio Grande do Sul, no período de 1970 a 2003(20); entretanto, não houve divulgação ou seguimento destes dados. Sendo assim, há a necessidade de traçar o perfil atual de mortalidade por câncer em nosso estado e compará-lo com os dados anteriores.

Objetivo Geral

Objetivos gerais:
A. Avaliar a tendência temporal da taxa de mortalidade bruta e padronizada por idade e sexo, no período de 1970 a 2011, para todas as neoplasias malignas, no RS.
B. Comparar a taxa de mortalidade geral para todas as neoplasias com as taxas de mortalidade brutas e padronizadas para as neoplasias malignas de maior mortalidade, no RS, no mesmo período.

Objetivos específicos:
A. Analisar as taxas de mortalidade brutas e padronizadas por idade e sexo para os seguintes tipos de neoplasias malignas: pulmão, mama, próstata, cólon e reto, esôfago, estômago, colo e corpo uterino, no período mencionado. 22

B. Comparar as taxas de mortalidade gerais das neoplasias malignas, conforme as diferentes coordenadorias gerais de saúde, no mesmo período.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ELAINE TOMASI201/07/201301/07/2014
MARIA CRISTINA YUNES ABRAHÃO1201/07/201301/07/2014

Página gerada em 13/12/2018 12:20:19 (consulta levou 0.061529s)