Nome do Projeto
Avaliação do Impacto do Programa de Melhoria Habitacional para o Controle da Doença de Chagas no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/12/2013 - 30/12/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Parasitologia
Resumo
No estado do Rio Grande do Sul (RS), em 2001, a Fundação Nacional da Saúde (FUNASA), em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul (SES/RS) e o Governo Federal, implantou o PMHCh na região Noroeste do RS, dada a persistência da espécie T. infestans neste local. O PMHCh fundamentou-se em critérios epidemiológicos para a seleção das localidades beneficiadas e seguiu as orientações técnicas dos convênios de cooperação técnico-financeira da FUNASA. Além de T. infestans, cabe informar que dados obtidos pela FUNASA, no período de 1975 a 1997, indicam também um aumento de invasões domiciliares e peridomiciliares por Triatoma rubrovaria no estado, com extensa distribuição desta espécie em todas as regiões que possuem rochas graníticas ou areníticas. Embora existam alguns relatos de moradores residentes no Noroeste do Rio Grande do Sul quanto aos benefícios da melhoria habitacional (dados não publicados), nenhuma pesquisa foi realizada na região sobre o conhecimento e a percepção que a população local possui frente ao processo de melhoria habitacional que ocorreu na última década, e como estão estes domicílios após a intervenção realizada nos últimos 10 anos. Tal avaliação faz-se necessária uma vez que a Melhoria Habitacional deve levar em consideração aspectos da transmissão da doença, comportamento e biologia de vetores e hospedeiros vertebrados, mas, acima de tudo, deve ser planejada e executada tendo a comunidade como condutora e parceira desse processo, uma vez que as ações são efetuadas em suas casas, devendo ser respeitados seus hábitos e cultura. Portanto, investigações desta natureza mostram-se imperiais já que se sabe que processos que objetivam verificar o conhecimento e a percepção da população frente os triatomíneos, a doença de Chagas, os programas de controle, assim como a produção de materiais e ações educativas direcionadas à população sob risco, abarcam parte relevante do futuro da pesquisa em doença de Chagas no Brasil. Diante do exposto, visa-se avaliar o impacto que o Programa de Melhoria Habitacional para o Controle da Doença de Chagas, no Estado do Rio Grande do Sul, proporcionou aos indivíduos beneficiados, bem como atuar no processo educacional, da população em geral, quanto às medidas preventivas e de controle dos transmissores da doença de Chagas no Estado.

Objetivo Geral

 Avaliar o impacto do Programa de Melhoria Habitacional para o controle da doença de Chagas (PMHCh) de 2001 à 2010 na região Noroeste do Rio Grande do Sul, Brasil;

 Descrever a atual situação em relação aos vetores da doença de Chagas na região de implantação do Programa de Melhoria Habitacional para a doença Chagas;

 Caracterizar o perfil demográfico, ambiental, e social da região de pesquisa;

 Identificar se o PMH melhorou de fato as moradias no tocante a presença de vetores;

 Avaliar o conhecimento geral dos beneficiários sobre a doença de Chagas e seus vetores;

 Delinear quais as percepções que os gestores municipais apresentam frente ao PMHCh;

 Avaliar quais os principais entraves para a execução dos projetos para a gestão municipal;

 Contribuir com o PCDCh através de atividades educativas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRÉIA SAGGIN NAGEL801/12/201301/12/2014
CIBELE VELLEDA DOS SANTOS2001/12/201330/12/2015
LEONARDO FERREIRA PRESTES501/12/201330/12/2014
MARIANA CENTENO GALLO801/12/201330/11/2015

Página gerada em 10/12/2018 20:40:20 (consulta levou 0.079633s)