Nome do Projeto
Inventário de arquitetura moderna em Pelotas
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
30/08/2014 - 14/08/2015
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo
Resumo
A transformação da arquitetura do século XX, mais especificamente da arquitetura moderna, em objeto da história e o conseqüente interesse em sua preservação, evidenciou a necessidade de sistematizar o conhecimento sobre este fundamental acervo arquitetônico. O inventário se constitui como uma fonte de referência documental para novos estudos, para o processo de proteção e preservação e, principalmente, valorização das edificações estudadas. Em 2008 o IPHAN deu início, em diversos estados brasileiros, ao Inventário Nacional da Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo Modernos de forma a identificar os edifícios e conjuntos detentores de valores históricos e/ou arquitetônicos que justifiquem o seu tombamento. Desse modo, o governo brasileiro reconheceu a necessidade de que as ações de salvaguarda passem a entender que a arquitetura moderna brasileira foi difundida por todo o país e se caracteriza por distintas vertentes. Em Pelotas, cidade localizada ao sul do Brasil, a modernização da arquitetura começa a aparecer nos anos 30 com uma série de edifícios que, ainda que marcados por forte acento tradicional representa já algo do ?espírito da época? promulgado no século XX. Nos anos 50 nota-se uma ampliação e amadurecimento das características modernas utilizadas nas décadas anteriores. Por outro lado, Pelotas se caracteriza por possuir um importante acervo de arquitetura eclética e no sentido do conhecimento e conservação desse patrimônio, há já uma larga tradição de estudos e ações efetivas que foram implantadas para sua conservação. No que diz respeito à arquitetura realizada a partir da terceira década do século XX, importantes estudos ? dissertações, teses, monografias -, foram realizados sobre parte dessa produção. Por sua vez, o III Plano Diretor cria as Áreas Especiais de Interesse do Ambiente Cultural ? AEIACs. Essas áreasse caracterizam por um novo conceito que considera não somente os lugares urbanos já bastante consolidados como patrimônio da cidade mas também amplia a ideia de preservação para áreas ainda não amplamente reconhecidas como é o caso das áreas de patrimônio mais recente. Dentro dessa tradição de valorização do patrimônio eclético e no caminho dessa crescente consciência sobre o patrimônio moderno é que este trabalho se propõe à identificação, sistematização e desse acervo com vistas a subsidiar os órgãos competentes a uma possível salvaguarda dessa arquitetura assim como de suas ambiências urbanas.

Objetivo Geral

Objetivo geral:
Identificar e caracterizar o patrimônio moderno em arquitetura e urbanismo de Pelotas com vistas a seu reconhecimento e valorização.

Objetivos específicos e metas:

Objetivo 1: Documentar o patrimônio de arquitetura e urbanismo modernos.
Metas:
- Realizar inventário de reconhecimento do patrimônio da arquitetura e do urbanismo modernos em parte da cidade: núcleo de fundação e sua expansão;
- Espacializar em mapas temáticos o patrimônio arquitetônico inventariado:
a. a partir de temas gerais: uso, inserção no lote, volumetria, altura...
b. a partir de temas específicos/definidores da arquitetura e urbanismo modernos: indicados quando da definição dos critérios e categorias para realização do inventário.

Objetivo 2: Analisar e atribuir valores ao conjunto estudado.
Metas:
- Selecionar e classificar os bens mais significativos para estudos mais detalhados em investigações futuras
- Realizar pesquisa documental em acervos da cidade.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE MONTAGNA DA SILVEIRA430/08/201414/08/2015
ANA LUCIA COSTA DE OLIVEIRA430/08/201414/08/2015
DAIANE BARRETO1201/08/201230/08/2014
DÉBORA GRANDO SCHÖFFEL1201/08/201230/08/2014
IOHANA STEINWANDTER1201/08/201330/08/2014
JULIANA HOFLER DIAS1201/03/201430/08/2014
MICHELE FERNANDES GUIDOTTI230/08/201414/08/2015

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 13.000,00
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 10.698,00

Página gerada em 17/12/2018 17:29:30 (consulta levou 0.080670s)