Nome do Projeto
Desenvolvimento e aplicação de coberturas comestíveis de xantana e amidos, aplicáveis em pedúnculos de caju anão precoce por sprint-up para ampliar a vida útil pós-colheita
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
05/05/2014 - 04/05/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Resumo
O cultivo do caju é de importância econômica para o Nordeste e contribui para manutenção do homem no campo. Além da castanha e do aproveitamento industrial do pedúnculo, a comercialização do pedúnculo in natura pode elevar a geração renda e divisas para o país. A maior parte do pedúnculo ainda é desperdiçada no campo devido a perecibilidade e susceptibilidade a fitopatógenos. O pedúnculo em condições ambientais conserva-se por apenas 24h, enquanto que o armazenamento refrigerado, sob atmosfera modificada, com filmes plásticos (PVC) semipermeáveis permite estender a vida útil de 10 a 28 dias. Filmes plásticos convencionais são produzidos com derivados do petróleo, tem custo elevado e demandam séculos para decomposição. O desenvolvimento de filmes e coberturas comestíveis vêm sendo testado para estender a vida útil pós-colheita de frutas. Esses são produzidos com biopolímeros naturais renováveis e biodegradáveis como polissacarídeos, proteínas e lipídeos. Pesquisas com amido nativo ou modificado de cereais ou outras fontes vêm sendo investigadas, incluindo derivados da celulose, goma xantana, goma do cajueiro. O amido de arroz, cereal dentre as cinco principais espécies de fonte comercial de amido, embora de uso pouco expressivo em biofilmes é importante ser investigado. A xantana, polissacarídeo de origem bacteriana, tem uso permitido em alimentos e é o único polímero que apresenta alta viscosidade em baixas concentrações, pseudoplasticidade, resistência térmica e elevada compatibilidade com sais. Atualmente, no Brasil, a xantana mais pesquisada é a produzida por X. arboricola pv pruni, pelo grupo de pesquisa do CDTec/UFPel. O grupo tem pesquisado a produção de xantana pruni e sua aplicação em alimentos e outros segmentos industriais, como o desenvolvimento de biomateriais biodegradáveis, incluindo coberturas e filmes comestíveis conforme o pedido de patente de invenção de 06/2012, no INPI, BR1020120135965. Buscando contribuir para a solução do problema da perecibilidade do caju, a UFPel, que trabalha com desenvolvimento de filmes e coberturas comestíveis, buscou parceria com a UFERSA, que pesquisa a pós-colheita de caju. Ainda a aluna de doutorado do PPG em Ciência e Tecnologia de Agroindustrial/UFPel Lucia Carneiro, é professora do IFRN, o que facilita a integração entre os grupos. Para tanto, propõem-se o desenvolvimento de coberturas comestíveis, com o uso de xantana e amidos, produzidos pelos grupos da UFPel, para aplicação em pedúnculos de caju.

Objetivo Geral

Objetivo Geral
Desenvolver diferentes coberturas comestíveis, com o uso de xantana e amidos, aplicáveis pelo processo sprint-up, com o objetivo de ampliar a vida útil pós-colheita de pedúnculos de caju anão precoce.
Objetivos Específicos
- Produzir xantana pruni em fermentador em escala de 10L para utilização no desenvolvimento das coberturas comestíveis para caju.
- Extrair amidos de arroz, feijão e pinhão para aplicação nas coberturas.
- Testar in vitro a propriedade de barreira ao vapor de água e gases (CO2 e O2) de diferentes misturas poliméricas de xantana com amidos, desenvolvidas como coberturas comestíveis.
-Testar as faixas de concentração das misturas poliméricas, selecionadas quanto às propriedades de barreira, que resultem em adesividade que possibilite a aplicação por sprint-up.
-Testar as faixas de concentrações das misturas poliméricas, selecionadas quanto às
propriedades de barreira, que resultem em viscosidade e pseudoplasticidade que possibilitem a aplicação por sprint-up.
- Testar a faixa de pressão da aplicação por sprint-up de duas soluções poliméricas, selecionadas quanto à adesividade e viscosidade, que mantenha a integridade dos frutos durante a aplicação.
- Testar a faixa de temperatura da aplicação do sprint-up que mantenha a integridade dos frutos durante e após a aplicação.
- Testar a adequabilidade in vivo das duas misturas poliméricas selecionadas para aplicação como coberturas comestíveis em pedúnculos de caju anão.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALVARO RENATO GUERRA DIAS105/05/201404/05/2016
AMANDA AVILA RODRIGUES105/05/201404/05/2016
ANDIARA DE FREITAS COUTO105/05/201404/05/2016
ANGELITA DA SILVEIRA MOREIRA205/05/201404/05/2016
CAROLINA DE SÁ DUPKE1201/08/201431/07/2015
DENER ACOSTA DE ASSIS1201/08/201530/11/2015
FERNANDA PITT BALBINOT1201/08/201431/07/2015
LUCIA CÉSAR CARNEIRO2005/05/201404/05/2016
PATRICIA DIAZ DE OLIVEIRA105/05/201404/05/2016
VANESSA RODRIGUES DUARTE DE SOUZA405/05/201404/05/2016

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 117.500,00

Página gerada em 11/12/2018 05:44:19 (consulta levou 0.089511s)