Nome do Projeto
DEGRADAÇÃO DO SOLO POR EROSÃO HÍDRICA E CONFLITOS NO USO DA TERRA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO ARROIO MOREIRA
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
31/07/2014 - 31/07/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Resumo
O uso e manejo inadequado da terra, associados ao tipo de solo e aos fatores chuva e relevo aceleram a degradação do solo por erosão hídrica. O presente estudo visa identificar os riscos de degradação da terra por erosão hídrica e os conflitos entre o uso atual e a capacidade de uso da terra na Bacia Hidrográfica do Arroio Moreira (BHAM). Essa bacia situa-se no extremo sul do Estado do Rio Grande do Sul e abrange os municípios de Pelotas, Capão do Leão e Morro Redondo. A BHAM apresenta graves problemas relacionados à erosão hídrica dos solos, assoreamento de cursos d’água e, consequentemente, inundações na parte urbana da cidade, localizada na porção de menor altitude. O monitoramento dos processos erosivos é extremamente dispendioso e impraticável em toda a área de uma bacia, o que indica a necessidade de predizer a erosão com o uso da modelagem. Os modelos de predição de perda de solo são importantes ferramentas para o planejamento conservacionista em bacias hidrográficas, sendo fundamental a identificação dos parâmetros que influenciam o processo erosivo, visando auxiliar na estimativa das perdas de solo por erosão hídrica em uma dada área. Neste sentido, será realizado o levantamento e mapeamento de características geofísicas da bacia. O uso e a ocupação da terra serão identificados em campo e mapeados por meio de Sistemas de Informações Geográficas (SIG’s). Serão realizadas coletas de amostras de solo em diferentes pontos do relevo e nos solos mais representativos da bacia, visando à caracterização física e química do solo. A estimativa das taxas de perda de solo na bacia será realizada a partir do modelo USLE (Universal Soil Loss Equation), associado a técnicas de sensoriamento remoto e SIG. O mapa de risco de degradação das terras na BHAM será obtido pela razão entre o mapa de perda de solo e o de tolerância de perdas. O uso atual da terra será comparado com as classes de capacidade de uso, visando identificar conflitos de uso. Praticamente não existem trabalhos científicos publicados sobre o assunto para a BHAM, o que indica a necessidade de pesquisa, com consequente atualização e capacitação dos recursos humanos da região. As informações obtidas neste trabalho e difundidas para a comunidade poderão fornecer subsídios a políticas conservacionistas locais, para a seleção de áreas prioritárias à conservação e/ou recuperação do solo e à tomada de decisões sobre o adequado uso e manejo do solo, visando o desenvolvimento sustentável da região.

Objetivo Geral

O presente estudo objetiva identificar os riscos de degradação do solo por erosão hídrica e os conflitos entre o uso atual e a capacidade de uso da terra na Bacia Hidrográfica do Arroio Moreira, visando fornecer subsídios para o planejamento conservacionista agrícola e ambiental da região. Objetivos específicos:
- realizar o levantamento das principais características ambientais da área em estudo (tipo de solo, clima, hidrologia, relevo, uso e cobertura do solo e práticas conservacionistas locais);
- subdividir a BHAM em unidades homogêneas compondo sub-bacias hidrográficas;
- obter mapas dos principais tipos de solos, relevo, uso atual da terra e práticas conservacionistas das sub-bacias hidrográficas em estudo;
- realizar a caracterização física e química dos solos mais representativos da bacia;
- comparar os valores de erodibilidade para cada classe de solo, conforme indicado pela bibliografia, com os obtidos indiretamente por meio da correlação com atributos do solo;
- realizar a modelagem das perdas de solo na bacia por diferentes modelos de predição e com o auxílio de técnicas de geoprocessamento;
- simular as perdas de solos considerando práticas conservacionistas contrastantes, como plantio morro abaixo e plantio em contorno;
- determinar o potencial natural de erosão, o risco de erosão natural e o risco atual de erosão hídrica;
- comparar as taxas de erosão hídrica dos solos da bacia com os limites de tolerância de perdas para estes solos;
- identificar e caracterizar as áreas mais degradadas e suscetíveis aos processos erosivos e ao aporte de sedimentos;
- confrontar o uso atual das terras com as classes de capacidade de uso;
- divulgar os resultados obtidos para a comunidade e para profissionais técnico-científicos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CLAUDIA RODRIGUES DE LIMA131/07/201431/07/2021
CLAUDIA LIANE RODRIGUES DE LIMA231/07/201431/07/2021
FIORAVANTE JAEKEL DOS SANTOS231/07/201431/07/2021
FLAVIA FONTANA FERNANDES131/07/201431/07/2021
JACIRA PORTO DOS SANTOS131/07/201431/07/2021
LUIS EDUARDO AKIYOSHI SANCHES SUZUKI131/07/201431/07/2016
LUIZ FERNANDO SPINELLI PINTO131/07/201431/07/2021
PABLO MIGUEL231/07/201431/07/2021
VITOR EMANUEL QUEVEDO TAVARES131/07/201431/07/2021

Página gerada em 19/10/2019 12:11:40 (consulta levou 0.087173s)