Nome do Projeto
Expressão gênica das células foliculares e do oviduto de fêmeas suínas estimuladas com gonadotrofinas
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/09/2014 - 01/09/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Resumo
O controle endócrino e local da foliculogênese tem sido amplamente estudado na espécie bovina, o que levou a enormes avanços no entendimento da fisiologia reprodutiva possibilitando o estabelecimento de biotécnicas da reprodução altamente eficientes. Entretanto, na espécie suína pouco se sabe a respeito dos mecanismos envolvidos no desenvolvimento e diferenciação folicular bem como durante a ovulação, sendo as biotécnicas de controle reprodutivo ainda ineficientes. O mesmo é observado quanto ao entendimento do processo de fertilização, o qual é pouco compreendido em suínos, limitando a eficiência da fertilização in vitro, devido às altas taxas de fertilização polispérmica e consequente falha no desenvolvimento embrionário. Portanto, fica claro que as lacunas no conhecimento relacionadas a estes processos reprodutivos compromete a evolução das biotécnicas na espécie suína, apesar de se tratar de uma das principais fontes de proteína animal no mundo. Portanto, o presente estudo tem como objetivo avançar no entendimento da regulação da expressão gênica em folículos e células do oviduto em diferentes perfis endócrinos. Para isso, serão utilizados dois modelos experimentais. Inicialmente, após sincronizaçãoda fase reprodutiva utilizando gonadotrofinas, ovários e ovidutosde fêmeas suínas serão coletados nas fases folicular inicial, folicular final, luteal inicial e luteal inicial após inseminação artificial. As células foliculares e do oviduto serão avaliadas quanto à expressão de genes e proteínas envolvidas em cada processo fisiológico, com base em estudos prévios realizados em suínos e outras espécies domésticas. Em um segundo momento, será utilizado o cultivo in vitro de células do oviduto para determinar a associação de hormômios capaz de induzir uma padrão de expressão gênica mais similar ao observado no momento da fertilização in vivo. Finalmente, o co-cultivo de células do oviduto suplementadas com a associação hormonal mais eficiente, será utilizado na fertilização in vitro na tentativa de aumentar a porcentagem de fertilização monospérmica. Com os delineamentos propostos, será possível um avanço no conhecimento dos mecanismos relacionados com a diferenciação das células foliculares e com o bloqueio da polispermia. Além disso, fornecerão subsídios para que se possam estabelecer protocolos de IATF e fertilização in vitro mais próximos do que ocorre fisiologicamente.

Objetivo Geral

Avaliar a regulação da expressão de genes relacionados com o desenvolvimento dos folículos, ovulação e fertilização nas células da parede folicular, nos oócitos e nas células do oviduto de fêmeas sob diferentes perfis endócrinos de gonadotrofinas. Após sincronização da fase reprodutiva, ovários de fêmeas suínas serão coletados nas fases folicular inicial, fase folicular final, fase luteal inicial e fase luteal inicial após inseminação artificial. Para obtenção das diferentes fases do ciclo estral, as fêmeas serão estimuladas com gonadotrofina dias antes do abate. Os ovários serão obtidos em um abatedouro local e transportados ao laboratório onde as células foliculares e do oviduto serão isoladas para utilização de técnicas moleculares. A identificação de genes estimulados ou inibidos pelas gonadotrofinas nas células foliculares impactará diretamente no campo das biotécnicas da reprodução, fornecendo subsídios para o estabelecimento de protocolos de IATF e superovulação. Já a identificação de eventos regulados pelas gonadotrofinas nas células do oviduto, especialmente após a ovulação, irá possibilitar o estabelecimento de protocolos de fertilização in vitro mais eficientes, uma vez que este processo enfrenta grandes dificuldades devido à polispermia em suínos. A utilização de animais de terminação como modelo experimental possibilitará a realização de um estudo complexo de forma minimamente invasiva, uma vez que o destino dos mesmos é o abate, sendo apenas estimulados com hormônios reprodutivos comumente empregados em biotécnicas reprodutivas e que não necessitam de período de carência.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final

Página gerada em 17/12/2018 03:10:54 (consulta levou 0.068791s)