Nome do Projeto
Microalgas e Macroalgas: Avaliação da capacidade de biorremediação e desenvolvimento de métodos de preparo de amostras para posterior determinação de metais
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
16/05/2016 - 31/08/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Resumo
As microalgas e macroalgas apresentam um grande potencial na geração de produtos de amplo interesse comercial e são, principalmente, utilizadas nas indústrias alimentícias, farmacêuticas e na agricultura. No entanto, os estudos direcionados às aplicações biotecnológicas e bioprocessos das microalgas e macroalgas são considerados escassos no Brasil. Os processos de biorremediação vêm se tornando uma forma efetiva para o tratamento e a remoção de contaminantes de natureza inorgânica e orgânica. O uso das algas na recuperação de sistemas, contendo principalmente espécies metálicas, tem se mostrado bastante eficiente na remoção dos contaminantes apresentando baixo custo de operação. No entanto, é necessário conhecer o comportamento particular, as características do sistema aquático e da interação contaminante-alga para avaliar a eficácia do seu uso como ferramenta na recuperação do ecossistema. Neste contexto, as microalgas e macroalgas vêm sendo amplamente estudadas devido à sua capacidade biorremediadora. Recentemente as micro e macroalgas estão sendo estudadas para a biorremediação de nanopartículas com o propósito de utilizar esses organismos na recuperação de sistemas aquáticos contaminados. Um outro importante aspecto a ser considerado, refere-se ao aumento da utilização de organismos aquáticos como ferramentas indicadoras da qualidade ambiental, ao longo da história. Neste sentido, é necessário o desenvolvimento de métodos analíticos altamente eficientes e adequados para quantificar a concentração de metais e não metais em amostras biológicas. Dentre as técnicas analíticas para a determinação destes elementos destacam-se as espectrométricas e cromatográficas. Todavia, estas técnicas, geralmente necessitam que a amostra esteja na forma líquida para ser analisada. Assim, o preparo de amostra, pode ser considerado uma etapa crítica, uma vez que se trata da etapa mais demorada, de maior custo, e onde se cometem mais erros, os quais podem contribuir para a diminuição da exatidão de uma análise. Desta forma, o presente projeto visa a avaliação da capacidade de biorremediação de microalgas, e o desenvolvimento de métodos de preparo de amostras para a determinação de metais e outros contaminantes em microalgas usadas nos processos de biorremediação, e macroalgas utilizadas como bioindicadores de poluição ambiental.

Objetivo Geral

Objetivo Geral:

Verificar a potencialidade biorremediadora das microalgas na remoção de dióxido de titânio nos meios de cultivo. E também desenvolver e avaliar diferentes procedimentos de preparo de amostras para a determinação de metais nestas microalgas e em amostras de macroalgas de locais de referência da Antártica, empregadas como bioindicadores da poluição atmosférica. As determinações serão realizadas por técnicas espectrométricas.

Objetivos específicos:

1) Comparar a capacidade de biorremediação de TiO2 com diâmetro maior e menor que 100 nm, através no uso de microalgas;
2) Avaliar a densidade celular, bem como a produção de biomassa das microalgas durante o período de cultivo;
3) Estudar a eficiência de remoção de dióxido de titânio durante o período de cultivo das microalgas;
4) Otimizar método de preparo de amostras de micro e macroalgas para a determinação de metais, enfatizando a eficiência de decomposição da amostra e uma menor geração de resíduos;
5) Testar soluções ácidas diluídas com diferentes concentrações em sistemas fechados utilizando a digestão assistida por micro-ondas para posterior determinação dos analitos em micro e macroalgas;
6) Estudar a influência do oxigênio pressurizado como reagente auxiliar a fim de aumentar as propriedades oxidantes do ácido diluído nos processos de digestão das amostras de micro e macroalgas;
7) Comparar métodos de preparo de amostras disponíveis e já estabelecidos com os métodos propostos para determinações elementares em micro e macroalgas;
8) Selecionar e otimizar técnicas de detecção para determinação de metais em amostras de algas;
9) Validar o método proposto, avaliando exatidão, precisão, linearidade, efeitos de matriz e robustez.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CARLA DE ANDRADE HARTWIG216/05/201631/08/2017
CLARISSA MARQUES MOREIRA DOS SANTOS316/05/201631/08/2017
DIOGO LA ROSA NOVO1016/05/201631/08/2017
DIRCE TAINÁ TEIXEIRA DE OLIVEIRA616/05/201631/08/2017
FILIPE SOARES RONDAN1016/05/201631/08/2017
GILBERTO DA SILVA COELHO JUNIOR1016/05/201631/08/2017
JANAÍNA DO ROSÁRIO BRUM616/05/201631/08/2017
JULIA EISENHARDT DE MELLO1016/05/201631/08/2017
MARCELO GUERREIRO CRIZEL316/05/201631/08/2017
NATÁLIA JORGE BIELEMANN616/05/201631/08/2017
RODRIGO MENDES PEREIRA1016/05/201631/08/2017
VANIZE CALDEIRA DA COSTA1016/05/201631/08/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 50.000,00
CNPqR$ 36.000,00
PROAPR$ 2.000,00

Página gerada em 15/11/2019 13:22:53 (consulta levou 0.091714s)