Nome do Projeto
Níveis de atividade física e fatores ambientais em adultos moradores de zona rural
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/10/2015 - 28/02/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Resumo
As evidências sobre a prevalência de atividade física no Brasil são quase exclusivamente referentes à zona urbana. Os dados sobre tendências temporais de atividade física disponíveis no Brasil ainda não permitem compreender de forma aprofundada a evolução desse comportamento na população (HALLAL et al., 2013). As áreas rurais são pouco estudadas, e não existem dados para um diagnóstico populacional e para avaliação da evolução deste comportamento nos últimos anos. A população rural apresenta um comportamento e uma cultura muito diferentes da zona urbana – um exemplo é a maior probabilidade de prática de atividade física nos domínios ocupacional e doméstico, enquanto na zona urbana, os níveis de atividade física no lazer tendem a ser maiores (BICALHO et al., 2010). Estudo nacional recentemente mostrou que 46% dos adultos, tanto da zona rural quanto da zona urbana, eram inativos (IBGE, 2013). Contudo, essa prevalência pode variar bastante entre as regiões brasileiras, devido a grande extensão territorial e a diversidade cultural do país. Outro fator importante a ser relacionado à atividade física é o ambiente. Os estudos de associação ambiental e atividade física vêm crescendo na área urbana e é necessário implementar e pesquisar esse assunto na zona rural. Existe uma necessidade de melhorar a infraestrutura para que facilite os indivíduos a praticar mais atividade física, uma vez que a insatisfação na área rural em relação à quantidade e variedade de facilidades próximas do local de moradia é razoavelmente alta (ZHENG; AN, 2015). Além disso, evidências de estudos feitos na zona urbana afirmas que é importante segurança pública e instalações apropriadas para a prática de atividade física (FLORINDO et al., 2011). Pensando neste aspecto, esse trabalho visa estimar a prática de atividade física e sua associação com fatores ambientais em adultos residentes na zona rural de uma cidade localizada no sul do Brasil. Para atingir esse objetivo, deve-se considerar a inexistência de um questionário validado para estimar o nível de atividade física em zonas rurais – para suprir essa lacuna, será conduzido também um estudo para testar a repetibilidade e validade concorrente do GPAQ, um instrumento com facilidade de adaptação a várias culturas e amplamente utilizado em áreas urbanas e rurais de países de renda média e baixa.

Objetivo Geral

Objetivo geral

Descrever os níveis de atividade física e sua associação com características
do ambiente na zona rural de Pelotas/RS.


Objetivos específicos

-Estimar os níveis de atividade física geral, e especificamente nos domínios do
lazer, deslocamento e trabalho em adultos residentes na zona rural de Pelotas, RS;
-Verificar a associação entre atividade física nos diferentes domínios e variáveis
demográficas, socioeconômicas e comportamentais;
-Analisar as distâncias entre facilidades e conveniências (igrejas, mercados,
escolas, etc) e o local de moradia dos participantes por meio de
georreferenciamento, avaliando sua associação com atividade física de
deslocamento;
-Avaliar a associação entre a prática de atividade física com a percepção do
ambiente em relação à segurança contra crimes e violência;
-Avaliar a repetibilidade do GPAQ para populações rurais, além de testar sua
validade concorrente em comparação com acelerometria.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
INÁCIO CROCHEMORE MOHNSAM DA SILVA101/10/201528/02/2017
RAFAELA COSTA MARTINS401/10/201528/02/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 74.000,00

Página gerada em 17/11/2019 05:39:20 (consulta levou 0.069648s)