Nome do Projeto
Qualidade do sono em população rural do Sul do Brasil: um estudo de base populacional
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
10/10/2015 - 28/02/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Resumo
Os distúrbios do sono trazem inúmeras consequências à vida dos indivíduos, entre elas, cansaço, fadiga, falhas de memória, dificuldade de atenção e de concentração, alteração do humor, maior abstenção ao trabalho, aumento de riscos de acidentes e surgimento e agravamento de problemas de saúde (Muller e Guimaraes, 2007). Estudos identificaram associação entre distúrbios do sono e doenças metabólicas e cardiovasculares, comportamentos de risco, como o tabagismo e o consumo de álcool e a presença de sobrepeso e/ou obesidade (Kohatsu, Tsai et al., 2006; Hartz, Daly et al., 2007; Li, Yao et al., 2013; Liu, Wei et al., 2014) (Zanuto, Lima et al., 2015). Esses problemas têm ocorrência variável na população, afetando desde crianças até idosos. Na China, no Equador e no Japão a prevalência de má qualidade do sono encontrada foi de, respectivamente, 49,7%, 27% e de 25,5% (Li, Yao et al., 2013; Del Brutto, Mera et al., 2014; Nakajima, Inoue et al., 2014). Nos Estados Unidos é estimado que acometam entre 25% e 30% da população adulta (National Institutes of Health, 2011). No Brasil, estudos realizados em São Paulo, mostraram que a prevalência de distúrbios do sono em adultos foi de 46,7% (Zanuto, Lima et al., 2015), e que 76% dos indivíduos relataram pelo menos uma queixa relacionada ao sono, isso indica aproximadamente 108 milhões de brasileiros afetados por esses problemas (Hirotsu, Bittencourt et al., 2014). Quase a totalidade da literatura referente ao assunto no país refere-se a populações urbanas, e seria um equívoco extrapolar tais achados para moradores de áreas rurais, que possuem hábitos de vida e formas de trabalho distintas. Portanto, diante do impacto causado à saúde, as altas taxas encontradas em áreas urbanas e o desconhecimento da distribuição e das consequências dos distúrbios do sono na população rural do país, tornam evidente a importância da presente investigação.

Objetivo Geral

Objetivo geral:

Determinar a prevalência de má qualidade do sono em indivíduos com 18 anos ou
mais, residentes da zona rural do município de Pelotas, RS.


Objetivos específicos:

 Analisar a associação entre má qualidade do sono com:
o Características demográficas (sexo, idade e situação conjugal);
o Características socioeconômicas (renda familiar e escolaridade);
o Comportamentais (atividade física, consumo de álcool, tabagismo e
ocupação);
o Estado nutricional e doenças (IMC, hipertensão arterial, diabetes e
depressão).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANA KRAMER FIALA MACHADO410/10/201528/02/2017
ANDREA WENDT BÖHM110/10/201528/02/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 74.000,00

Página gerada em 25/10/2020 17:07:06 (consulta levou 0.096334s)