Nome do Projeto
Parâmetros comportamentais e neuroquímicos do Ayahuasca em modelo de dependência química ao álcool: papel da sinalização receptores A2A
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
06/01/2017 - 31/08/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Bioquímica
Resumo
O abuso e dependência de substâncias são problemas centrais da contemporaneidade que afetam indivíduos e sociedades em dimensões importantes relacionadas à saúde, educação, produtividade no trabalho, seguridade pública e direito penal. A substância de abuso mais consumida é o álcool. O sistema relacionado ao abuso e à dependência de álcool é delimitado pelas vias mesolímbica e mesocortical de sinalização dopaminérgica. Dentre os sistemas de neurotransmissão que participam da sinalização nesta região, a neurotransmissão purinérgica tem sido implicada na regulação cortical da sinalização glutamatérgica e dopaminérgica. Esse sistema de neurotransmissão tem sido associado aos efeitos motivacionais relacionados à busca compulsiva por substâncias de abuso, em particular o álcool. Portanto, a sinalização mediada por adenosina no estriado contribui para a neurobiologia dos transtornos de uso de álcool e pode ser útil para o desenvolvimento de novos métodos terapêuticos. Entre os estudos envolvendo possíveis métodos terapêuticos emergentes no tratamento de dependência química, em especial ao alcoolismo, se encontra a utilização da infusão de Ayahuasca. As fármaco-terapêuticas disponíveis para o tratamento do uso nocivo de álcool se mostram pouco efetivas e há escassez de fármacos que auxiliam no tratamento. Entretanto, evidências preliminares indicam que usuários de álcool que buscam superar a condição de dependência e que utilizam o Ayahuasca passam à abstinência ou tem melhora significante. Todavia, não há um entendimento neurobiológico claro de como o Ayahuasca age sobre a neurobiologia do individuo, particularmente no que tange a circuitaria neurobiológica relacionada ao abuso e dependência de substâncias promovendo a melhora de sintomas. Até o momento, não existem estudos relacionando os potenciais efeitos benéficos do Ayahuasca no tratamento da dependência química, com o sistema purinérgico e sua participação na patofisiologia do desenvolvimento de vício. Portanto, sabendo da conectividade dos efeitos neuroquímicos do Ayahuasca e a sinalização purinérgica, ambos agindo a nível dopaminérgico em regiões cerebrais com extrema importância no desenvolvimento da dependência química, este estudo visa avançar no entendimento da neurobiologia da dependência de álcool por meio do exame do efeito do Ayahuasca em parâmetros comportamentais e neuroquímicos (neurotransmissão purinérgica e dopaminérgica) avaliado com base em modelo animal de dependência de álcool.

Objetivo Geral

Objetivo geral
Uma vez que o sistema purinérgico possui um papel importante na patofisiologia do desenvolvimento de dependência química e interage fortemente com o sistema dopaminérgico a nível estriatal, o presente estudo tem como objetivo geral avaliar a possível relação/interação do sistema purinérgico com os mecanismos de ação do Ayahuasca, um chá consumido em rituais xamânicos, que possui atividade modulatória do sistema dopaminérgico no estriado e córtex frontal e que tem demonstrado um potencial emergente para o tratamento de dependência química. Para tanto, os seguintes objetivos específicos foram delineados:

Objetivos Específicos
• Analisar as concentrações de harmina e DMT no chá de Ayahuasca e no sangue de ratos submetidos ao tratamento com a infusão de Ayahuasca.
• Caracterizar a dependência ao álcool (modelo de livre escolha) através de análises comportamentais de locomoção e ansiedade.
• Avaliar os níveis de expressão de transportador de dopamina (DAT), bem como os níveis de dopamina (DA) e do metabólito de degradação de dopamina pela MAO (DOPAC) em estriado e córtex frontal de ratos submetidos ao modelo de dependência química ao álcool tratados com o insumo de Ayahuasca.
• Estudar a interação/relação entre o bloqueio dos receptores A2A e os efeitos do insumo de ayahuasca sobre o comportamento locomotor e de ansiedade de ratos submetidos ao modelo de dependência química ao álcool.
• Avaliar expressão dos receptores A2A em estriado e córtex frontal de ratos submetidos ao modelo de dependência química ao álcool após o tratamento com insumo de Ayahuasca.
• Estudar a interação entre a inibição do transportador de adenosina ENT1 e os efeitos do insumo de Ayahuasca sobre o comportamento locomotor e de ansiedade de ratos submetidos ao modelo de dependência química ao álcool.
• Avaliar expressão do transportador de adenosina ENT1 em estriado e córtex frontal de ratos submetidos ao modelo de dependência química ao álcool após o tratamento com insumo de Ayahuasca.
• Avaliar as atividades enzimáticas e a expressão gênica das ectonucleotidases e adenosina deaminase em estriado e córtex frontal de ratos submetidos ao modelo de dependência química ao álcool após tratamento com insumo de Ayahuasca.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CID PINHEIRO FARIAS2006/01/201731/08/2017
CID PINHEIRO FARIAS1201/01/201731/07/2017
CID PINHEIRO FARIAS1201/08/201631/12/2016
CID PINHEIRO FARIAS1201/08/201531/07/2016
FERNANDA GELATI SEKINE2006/01/201731/08/2017
FERNANDA GELATI SEKINE1201/01/201631/07/2016
FRANCIELI MORO STEFANELLO106/01/201731/08/2017
HUDSON CRISTIANO WANDER DE CARVALHO206/01/201731/08/2017
HUGO CARLOS BOLZON GONZALEZ1201/08/201531/12/2015
PAULA POLVORA VICTORIA4006/01/201731/08/2017
ROSELIA MARIA SPANEVELLO106/01/201731/08/2017

Página gerada em 22/10/2019 21:04:03 (consulta levou 0.090382s)