Nome do Projeto
Relação de dados clínicos da laminite em éguas prenhes com a morfometria neonatal
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/07/2016 - 28/02/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica Veterinária
Resumo
A laminite ou degeneração laminar consiste em uma perda da interdigitação das lâminas dérmicas e epidérmicas primárias e secundárias do casco. Se a perda dessa união for suficientemente grave, a rotação e deslocamento distal da terceira falange poderão ocorrer (STASHAK, 2006). Esta doença usualmente ocorre como alteração secundária a diferentes processos clínicos, tais como doenças envolvendo septicemia, excesso de peso em um membro devido a dano no membro contralateral, Síndrome de Cushing e Síndrome Metabólica Equina (BELKNAP & PARKS, 2011). Segundo Costa et al (2005), em humanos a hipertensão arterial sistêmica é definida como uma elevação sustentada da pressão arterial. Durante a gestação, a frequência cardíaca, o volume de ejeção, o débito cardíaco e a massa ventricular esquerda aumentam, enquanto a resistência vascular periférica diminui. Em pacientes com hipertensão arterial crônica, a pressão arterial pode elevar-se principalmente no último trimestre de gestação, trazendo complicações para a gestação, o feto e a mãe (COSTA et al, 2005). Sabe-se que a laminite crônica em éguas prenhes pode agudizar no último trimestre de gestação; associadas à presença de dor crônica há um aumento de citocinas pró-inflamatórias e prostaglandinas circulantes, resultando em alterações circulatórias e desequilíbrios hormonais (LE BLANC, 2010). Portanto, a laminite apresenta-se como um processo sistêmico, podendo ser relacionada a pré-eclâmpsia ocorrida em mulheres gestantes, que cursa com disfunção endotelial, vasoespasmo e ativação de mecanismos de coagulação (PASCOAL, 2002).

Objetivo Geral

Objetivo geral:

• Avaliar o grau de rotação de terceira falange e mensurar a pressão arterial de éguas prenhes, e suas consequências sobre a morfometria neonatal.

Objetivos específicos:

• Identificar rotação de terceira falange e relacioná-la com alteração de pressão arterial de éguas prenhes;

• Realizar a avaliação clínica e morfometria neonatal de potros nascidos de éguas portadoras de laminite crônica e de éguas sadias, e associá-las a hipertensão arterial;

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALICE CORRÊA SANTOS401/07/201628/02/2017
AMANDA BRAGATO PEREIRA1001/07/201628/02/2017
BRUNA DA ROSA CURCIO101/07/201628/02/2017
CAROLINA LITCHINA BRASIL401/07/201628/02/2017
CHARLES FERREIRA MARTINS101/07/201628/02/2017
DÉBORA MACHADO NOGUERA401/07/201628/02/2017
GABRIELA CASTRO DA SILVA401/07/201628/02/2017
LEONARDO MOTTA FORNARI401/07/201628/02/2017
MARIANA ANDRADE MOUSQUER401/07/201628/02/2017
PLINIO AMÉLIO OCANHA AVILA401/07/201628/02/2017
VINICIUS DE SOUZA IZQUIERDO401/07/201628/02/2017
WILLIAM AUGUSTO DÖRR401/07/201628/02/2017

Página gerada em 24/07/2019 01:44:22 (consulta levou 0.096374s)