Nome do Projeto
Consumo de alimentos ultraprocessados na infância e gordura corporal na adolescência: Coorte de Nascimentos de Pelotas de 2004
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
06/09/2016 - 28/02/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Resumo
A associação entre o consumo de ultraprocessados, baseado na classificação NOVA, e obesidade foi investigada apenas no Brasil em adolescentes e adultos. O estudo mostrou que os indivíduos pertencentes ao mais alto quintil de consumo desses alimentos apresentavam maior IMC e mais alta chance de serem obesos33. Estudo realizado nos Estados Unidos mostrou que uma diminuição de 1 ponto percentual na prevalência de sobrepeso e obesidade em adolescentes totalizaria uma economia de 586,3 milhões de dólares nos gastos futuros com a saúde de adultos4. Apesar de a literatura sobre a relação entre alimentação e obesidade ser muito abrangente, esta se refere a alimentos isolados, padrões alimentares ou instrumentos que não consideram as mudanças ocorridas no perfil dietético das populações nas últimas décadas, principalmente em relação ao grau de processamento. Considerando o que já foi investigado até o momento sobre ultraprocessados, há uma escassez de estudos da sua relação com a obesidade. Além disso, não há evidências sobre a sua associação com a composição corporal, incluindo a população infantil. Nesse sentido, é necessária a realização de estudos visando a investigação do consumo de ultraprocessados na população infantil, além da sua associação com o excesso de GC, a partir de métodos indiretos de avaliação da composição corporal, considerando que a classificação NOVA foi testada, até o momento, com poucos desfechos relacionados à saúde. Ainda, a realização de estudos longitudinais pode colaborar para o melhor entendimento dessa relação, permitindo avaliar a temporalidade da associação.

Objetivo Geral

Objetivo geral

Investigar a relação entre o consumo de ultraprocessados na infância e a GC na adolescência, na coorte de nascimentos de 2004, Pelotas, RS.


Objetivos específicos

1.Investigar, a partir de revisão da literatura, a relação entre o consumo de ultraprocessados e a GC na infância e adolescência; 2. Avaliar o consumo de ultraprocessados aos seis e aos dez anos e a variação do consumo neste período, a partir da sua contribuição relativa na ingestão energética diária; 3. Descrever o consumo de ultraprocessados aos seis anos e aos dez anos, segundo variáveis demográficas e socioeconômicas; 4. Avaliar a GC, utilizando o IMG, aos dez anos de idade; 5. Descrever o IMG aos dez anos segundo variáveis demográficas e socioeconômicas; 6. Investigar a associação entre o consumo de ultraprocessados aos seis anos e o IMG aos dez anos entre participantes do sexo feminino.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE DOS SANTOS COSTA406/09/201628/02/2018

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 97.431,00

Página gerada em 27/01/2021 03:42:24 (consulta levou 0.315140s)