Nome do Projeto
A Saúde e a Qualidade de Vida dos Trabalhadores Mototaxistas que atuam no Município de Pelotas/RS.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
08/05/2017 - 16/08/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Resumo
Atualmente Pelotas possui uma frota de 195.612 veículos circulando nas vias da cidade, o que dificulta o tráfego no trânsito, causando engarrafamentos. Desta forma os motoristas são obrigados a enfrentar essa rotina diariamente e muitas vezes sem intervalos de trabalho, podendo ocasionar sérios riscos e desgastes, não só na sua saúde física, mas também na sua saúde psicológica. Esses desgastes deixam o trabalhador mais vulnerável a acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. No Brasil, os acidentes de trânsito envolvendo motociclistas são bastante prevalentes, e a elevada morbimortalidade configura-se como um problema de saúde pública, gerando altos custos sociais e econômicos, principalmente no que se refere aos cuidados em saúde, perdas materiais e despesas previdenciárias, além do grande sofrimento para as vítimas e seus familiares (ALMEIDA et. al., 2016). O índice elevado da frota de veículos e a alta carga horária de trabalho estão diretamente relacionados ao número elevado de acidentes de motociclistas. Nessa perspectiva, o maior número de dias trabalhados e a presença de fadiga ou queixas musculoesqueléticas são considerados fatores de risco para acidentes (AMORIM apud ALMEIDA et. al., 2016). Sabe-se que anualmente mais de 100 mil brasileiros sofrem sequelas permanentes, decorrentes dos acidentes com motos e 4 mil apresentam sequelas graves, como paraplegia e tetraplegia. Foram 6.829 acidentes de moto com morte em 2006. Entre 2002 e 2006, o número de mortes de motociclistas subiu 83% em todo o Brasil e hoje representa 25% dos acidentes fatais de transporte no País (TEIXEIRA apud WAISELFISZ, 2011). Assim os estudos sobre os mototaxistas ainda são muito precários, por isso devemos avaliar as novas demandas que surgem, devido à sua concepção mais abrangente de saúde, relacionadas ao processo de produção, capaz de lidar com a diversidade, a complexidade e o surgimento de novas formas de adoecer. Segundo a vigilância em saúde do trabalhador ultrapassa o aspecto normativo tratado pela fiscalização tradicional (Brasil, 2001).

Objetivo Geral

Objetivo primário:
Identificar as problemas vivenciados pelos motos taxistas na sua jornada de trabalho, incluindo a saúde e a qualidade de vida desses trabalhadores no município de Pelotas/RS.
Secundários:
* Identificar a prevalência dos acidentes de trânsito ocorridos entre os motos taxistas e as sequelas deixadas pelo fato.* Avaliar a qualidade de vida dos motos taxistas;
* Identificar a carga de trabalho e a relação com os problemas de saúde;
* Identificar questões relacionadas aos fatores estressores que são mais
frequentes no trabalho dessa categoria.
* Fazer o mapeamento dos riscos tradicionalmente reconhecidos, ou seja,
cargas de trabalho (desgaste do trabalhador).
* Auxiliar no entendimento das atribuições dessa profissão, contribuindo para
a criação de políticas organizacionais e públicas que possam contemplar melhor
essa categoria.





Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ESTER NÖRNBERG FISS208/05/201716/08/2017
EVELINE BRUM LORENZATO408/05/201716/08/2017
LAURA TEREZINHA LIMONS208/05/201716/08/2017

Página gerada em 01/07/2022 05:36:09 (consulta levou 0.093660s)