Nome da Atividade
TEORIAS FEMINISTAS
CÓDIGO
10910149
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

A disciplina apresenta o campo dos estudos e políticas feministas no Brasil e no mundo com foco em abordagens contemporâneas, sobretudo os feminismos descoloniais, indígenas, negro, LGBTQ+ e queer.

Objectives

Objetivo Geral:

Os objetivos da disciplina são estimular uma sensibilidade interseccional e um engajamento descolonial com a pesquisa acadêmica, instrumentalizando projetos de pesquisa para lidar com gênero, raça, sexualidade e classe.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • hooks, bell. Ensinando a transgredir – a educação como prática libertadora. São Paulo: Martins Fontes, 2013. DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016. FEDERICI, Silvia. Calibã e a bruxa. São Paulo: Editora Elefante, 2017. LOURO, Guacira Lopes (org.) O Corpo Educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte/ MG: Autêntica, 1999. SARTI, Cintia A. O feminismo brasileiro desde os anos 1970: revisitando uma trajetória. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 35, jan. 2004. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2004000200003/7860

Bibliografia Complementar:

  • HARAWAY, D. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu (5), Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero Pagu/Unicamp, p.7-41, 1995. Disponível em: //periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1773 HOOKS, B.; BRAH, A.; SANDOVAL, C.; ANZALDÚA, G. (Org.). Otras inapropriables: feminismos desde las fronteras, Madrid, Traficantes de Sueños, 2004. GONTIJO, Fabiano de S.; SCHAAN, Denise Pahl. Sexualidade e Teoria Queer. Revista de Arqueologia, v. 30, n. 2, p. 51-70, 2017. WYLIE, Alison. Os que conhecem, conhecem bem: teoria do ponto de vista e arqueologia de gênero. Scientiae Studia, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 13-38, june 2017.

Page generated on 2024-04-13 13:22:48 (query took 0.055742s)