Nome da Atividade
LETRAMENTO VISUAL E EDUCAÇÃO DE SURDOS
CÓDIGO
20000681
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4

Ementa

Compreender os conceitos de Experiência Visual e Letramento Visual. Estabelecer relações entre a Experiência Visual e o acesso à Língua Brasileira de Sinais. Compreender as adaptações biológicas do sistema sensorial visual pelo viés Linguístico/Cultural. Estabelecer relações entre Experiências Visuais, Letramento Visual e a educação de Surdos. Discutir possibilidades de leitura de imagens em sala de aula. Compreender a textualidade diferida em gêneros textuais em Línguas de Sinais.

Objectives

Objetivo Geral:

- Compreender a Experiência Visual Surda como um produto da cultura.
- Compreender o papel da Experiência Visual dos surdos no processo educativo.
- Conhecer o conceito de Letramento Visual e possíveis estratégias de Letramento Visual para a Educação de Surdos.

Conteúdo Programático

1) Adaptações biológicas do sistema visual em pessoas surdas com acesso precoce às Línguas de Sinais 4
2) Funcionamento do cérebro e o uso da visão na aprendizagem matemática 8
3) Experiência Visual e Letramento Visual 4
4) Letramento Visual na educação de Surdos 12
5) O sistema Shape Coding no ensino de língua escrita para surdos - a sintaxe visual 8
6) Leitura de imagens e audiodescrição 12
7) Textualidade diferida - vídeo como registro linguístico
8) Gêneros textuais emergentes em Libras - leitura e interpretação de uma língua visuoespacial

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • Codina C, Pascalis O, Mody C, Toomey P, Rose J, et al. (2011) Visual Advantage in Deaf Adults Linked to Retinal Changes. PLOS ONE 6(6): e20417.https://doi.org/10.1371/journal.pone.0020417 1 "Boaler, Jo; Chen, Lang; Williams, Cathy e Cordero, Montserrat. Seeing as Understanding: TheImportance of Visual Mathematics for our Brain and Learning. J Appl Computat Math 2016, 5:5 DOI: 10.4172/2168-9679.1000325" 2"Lebedeff, T.B. O povo do olho: uma discussão sobre a experiência visual e surdez. In: LEBEDEFF, T. B. (Org.). Letramento visual e surdez. Rio de Janeiro: WAK Editora, 2017, p. 226-251." 3 "Lebedeff, T. B. Aprendendo a ler “com outros olhos”: relatos de oficinas de letramento visual com professores surdos. Cadernos de Educação. Pelotas, FaE/PPGE/UFPel, v. 36. p. 175-195, maio/agosto 2010." 4 "Oliveira, Sara. Texto visual e leitura crítica: o dito, o omitido, o sugerido. Linguagem & Ensino, Vol. 9, No. 1, 2006 (15-39)." 5 "Viana, Joseane Maciel. Adaptação do Shape Coding para o ensino de Língua Portuguesa para surdos. Dissertação de Mestrado não Publicada. Programa de Pós Graduação em Letras - Universidade Federal de Pelotas, 2019. http://guaiaca.ufpel.edu.br/bitstream/prefix/4478/1/Dissertacao_Joseane_Maciel_Viana.pdf do sexto ano do Ensino Fundamental. Dissertação de Mestrado não publicada. PPGL, UFPEL, 2019." 6 Taveira, Cristiane e Rosado, Alexandre. O letramento visual como Chave de leitura das práticas Pedagógicas e da produção de Artefatos no campo da surdez. REVISTA PEDAGÓGICA | V.18, N.39, SET./DEZ. 2016. https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/pedagogica/article/view/3691 7 Silva, Rodrigo Custódio. Gêneros emergentes em Libras da esfera acadêmica: a prova como foco de análise. Tese de

Page generated on 2024-05-25 20:17:11 (query took 0.059133s)