Nome da Atividade
INTRODUÇÃO À CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE PINTURA DECORATIVA
CÓDIGO
10790152
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Identificação de técnicas de pintura decorativa com ênfase na pintura mural. Análise dos materiais integrantes de obras realizadas dentro dessas técnicas. Elementos visuais que compõem a pintura decorativa. Planejamento de pinturas decorativas: projetos, materiais, técnicas, projeções. Abertura de Janelas de prospecções para identificação e mapeamento das pinturas decorativas nas edificações públicas e privadas da cidade de Pelotas e região. Conservação e restauração de pinturas decorativas e murais. Apresentação à comunidade em geral e acadêmica das atividades desenvolvidas na disciplina, através de exposições e palestras.

Objectives

Objetivo Geral:

Desenvolver no aluno o conhecimento de técnicas relacionadas identificação, conservação e restauração de pinturas decorativas com ênfase na pintura mural.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BACHETTINI, Andréa; RONNA, Giovanna. Pintura mural e documento fotográfico. Pelotas, 1996. TCCP (Especialização em Patrimônio Cultural - Conservação de Artefatos) - Instituto de Letras e Artes. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 1996.(M0425) BRANDI, Cesare. Teoria da restauração. 3. ed. São Paulo: Atelier Editorial, 2008. (720.28 B818t) CALVO, Ana. Conservación y restauración: materiales, tecnicas y procedimientos de la A a la Z. 3. ed. Barcelona: Serbal, 2003. (703 C169c) FERNÁNDEZ ARENAS, José. Introducción a La conservación Del patrimonio y técnicas artísticas. Barcelona: Ariel, 2007. (363.69 F363i) GÓMEZ, Maria Luisa. La restauración: examen científico aplicado a la conservación de obras de arte. 7. ed. Madrid: Catedra, 2018. (702.88 G633r) GONZÁLEZ-VARAS, Ignacio. Conservación de bienes culturales: teoría, historia, principios y normas. 6. ed. Madrid: Catedra, 2008. (702.8 G643c) MAYER, Ralph. Manual do artista de técnicas e materiais. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999, 2006. (751.2 M468m) MOTTA, Edson; SALGADO, Maria Luiza Guimarães. Iniciação à pintura. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1976. (751 M921i) MOTTA, Edson. [Pinturas]. [Rio de Janeiro]: Museu Nacional de Belas Artes, 1982. n. p. (CA01D 0362) MOTTA, Edson. Fundamentos para o estudo da pintura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979. (750.1 M921f) MOTTA, Edson. Restauração de pinturas: aplicações de encáustica. Rio de Janeiro: Diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 1969.(731.48 M921r) NEVES, Anamaria Ruegger Almeida. A cor aplicada à restauração de bens culturais. Belo Horizonte: São Jerônimo, 2013. (701.8 N518c) PASCOAL, Eva e PATIÑO, Mireia. O Restauro de pintura. Barcelona: Estampa, 2002. (Colecção Artes e Ofícios). (751.62 P281r) TIRELLO, Regina (Org.). O restauro de um mural moderno na USP: o afresco de Carlos Magno. São Paulo: Comissão de Patrimônio Cultural - USP, 2001. (751.73 R436)

Bibliografia Complementar:

  • ADHESIVES and coatings. Nova Iguacu: Conservation Unit of the Museums & Galleries Commission in conjunction with Routledge, c1992. (Science for conservators; v.3). (702.8 A234) AFRESCOS e ícones medievais. Iugoslávia: s. ed., 19--. (CA01C 0312) BASTOS, Cesar Xavier. A capela da Academia. Juiz de Fora: Escola Cristo Redentor/Academia, 1996. (726 B327c) CENTRO de Referência de Educação em Museus. São Paulo: [Museu da Língua Portuguesa], 2013. (069 C397 2013) CHUVA, Márcia Romeiro. Os arquitetos da memória: sociogênese das práticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil (anos 1930-1940). 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009. (363.69 C564a) CONGRESSO ABRACOR, 13., 2009, Porto Alegre. Preservação do patrimônio cultural: ética e responsabilidade social: Anais do XIII Congresso. Porto Alegre: ABRACOR, [2009]. (702.8 C749 2009) CONGRESSO DA ASSOCIACAO BRASILEIRA DE CONSERVADORES RESTAURADORES DE BENS CULTURAIS (8.: NOV.1996: OURO PRETO, MG). Anais ... Rio de Janeiro: ABRACOR, 1996. (731.48 C749a) FUNDAÇÃO NACIONAL DE ARTE (BRASIL). Museus: Museu Nacional de Belas Artes. Rio de Janeiro: FUNARTE, 1979. 193 p. (Coleção Museus brasileiros 1). (708.981 F981m) GUIDOTI, Marcia de Pauli; PEREIRA, Lucio Vasconcellos. Análise das pinturas do hall da Biblioteca Pública Pelotense, Pelotas RS. Pelotas, TCCP (Especialização em Patrimônio Cultural - Conservação de Artefatos) - Instituto de Letras e Artes. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 1996. (M0429) LUZ, Maturino da (Coord.). Antiga Escola Militar de Rio Pardo: história e arquitetura. Porto Alegre: Defender, 2007. (720.98165 A629) NEVES, AnamariaRuegger Almeida. A cor aplicada à restauração de bens culturais. Belo Horizonte: São Jerônimo, 2013. (701.8 N518c) SOPRINTENDENZA AI BENI ARTISTICI E STORICI DI VENEZIA. Dal Museoallacittà. Veneza: Ministero per i Beni Culturali e Ambientali, 19--. (CA06C 1114) TUPYNAMBÁ, Yara. Muralismo. Belo Horizonte: Adi Edições, 2013. (751.73 T928m)

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
INTRODUÇÃO À CONSERV. E REST. DE PINTURA DECORATIVA Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (Bacharelado - Noturno)

Page generated on 2024-07-18 11:18:08 (query took 0.229650s)