Nome da Disciplina
ZOOLOGIA
CÓDIGO
0050100
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Proporcionar a compreensão dos princípios teóricos e práticos da zoologia geral, abrangendo o conhecimento histórico, técnico, material e prático da atividade que envolve o profissional em museologia que tenha responsabilidade sobre acervos zoológicos tombados em museus.

Objetivos

Objetivo Geral:

Promover o aprendizado teórico-prático da zoologia geral munindo o aluno de conhecimentos necessários para a administração e manutenção de acervos zoológicos sobre sua responsabilidade.

 

Objetivos Específicos:

• Proporcionar o conhecimento básico da zoologia geral;
• Possibilitar a identificação das técnicas utilizadas em acervos zoológicos;
• Possibilitar o emprego dos acervos zoológicos em atividades museológicas expográficas.

Conteúdo Programático

Capítulo 1. Zoologia Geral
1.1. Poríferos e Celenterados
1.2. Platelmintos
1.3. Nematódeos e Anelídeos
1.4. Artrópodes
1.5. Moluscos
1.6. Equinodermos
1.7. Cordados
1.7.1. Ciclóstomos, Peixes e Anfíbios
1.7.2. Répteis, Aves e Mamíferos

Capítulo 2. Curadoria de Coleções Zoológicas
2.1. Tipos de Coleções Zoológicas
2.1.1. Organização geral de uma coleção
2.1.2. Coleções didáticas, científicas, particulares, gerais, regionais e de interesse social e econômico;
2.2. Obtenção de dados sobre os materiais de coleção adquiridos
2.2.1. Formas de aquisição: coletas e doações
2.2.2. Confecção de livros tombo, uso do G.P.S. e softwares
2.3. Técnicas de acondicionamento de materiais zoológicos
2.3.1. Preparação de materiais
2.3.2. Armazenagem em meio seco e úmido
2.3.3. Manipulação e transporte
2.3.4. Identificação geral e científica de materiais
2.3.4.1 Catálogos e Listas
2.4. Nomenclatura zoológica básica

Capítulo 3. Museus com temática zoológica no RS
3.1. Conhecendo os museus com acervo zoológico no RS
3.2. Aspectos funcionais e organizacionais
3.3. Origem histórica

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • DORNELLES, J.E.F. et al. 2012. Guia da Biodiversidade do Museu de Ciências Carlos Ritter. Editora e Gráfica Universitária, Pelotas, RS, 141p. HICKMAN, C. P. et. al. 2004. Princípios integrados de Zoologia. Guanabara Koogan ed. São Paulo. 11a ed, 486p. LEMMA, T. 2002. Répteis do Rio Grande do Sul. EDIPUCRS, Porto Alegre, RS, 380 p.

Bibliografia Complementar:

  • ACHAVEL, F.; OLMOS, A. 2003. Anfibios y Reptiles del Uruguay. Faculdad de Ciencias ed. Motevideo, Uruguai, 136 p. BARNES, L.D. 1991. Zoology. Saunders College ed. Chicago, 1008p. COBORN, J. 1991. The Atlas of Snakes of the World. t.f.h. ed. Canada, 592p. DUELLMAN, W.E. et. al. 1994. Biology of Amphibians. Jonh Hopkings University Press. London. 670p. KWET, A.; Di-BERNARDO, M. 1999. Promata – Anfíbios. EDIPUCRS, Porto Alegre, RS,107p. LIEM K. L. et alii, 2012. Anatomia Funcional dos Vertebrados, Cengage Learning Ed. São Paulo, 530p. MOSMANN, M.N. 2001. Guia das Principais Serpentes do Mundo. Ulbra ed. Porto Alegre, RS, 390p., v.1. __________. 2001. Guia das Principais Serpentes do Mundo. Ulbra ed. Porto Alegre, RS, 366p., v.2. ORR, R.T. 1992. Biologia dos Vertebrados. Rocca ed. São Pulo, 508p. POUGHI, M. et. al. 2000. A vida dos Vertebrados. Ahteneu ed., 2a edição, São Paulo, 798p. ROMER, A.S. 1977. Osteology of Reptiles. Chigado Press ed., 772 p. RUE III, L.L. Alligators & Crocodiles. Todtri ed. New York, 80 p. STRANECK, R. et. al. 2000 ANFIBIOS – Catalogo de voces de anfibios Argentinos. L.O.L.A. ed.

Página gerada em 17/11/2019 15:53:49 (consulta levou 0.077291s)