Nome da Atividade
PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS (PANC)
CÓDIGO
01210055
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
1
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
3
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Bases conceituais para a definição das Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC). Histórico de uso, aspectos botânicos e conceitos ecológicos relacionados às PANC. Implicações do resgate e uso atual das PANC para a soberania e segurança alimentar no Brasil. As PANC como elementos multipropósitos no manejo dos agroecossistemas. Práticas tradicionais para o manejo das espécies de PANC e novas técnicas de produção e formas de comercialização para a agricultura familiar.

Objetivos

Objetivo Geral:

a) Estudo aprofundado de produção de Plantas Alimentícias Não Convencionais que permitam desenvolver a capacidade do aluno conhecer histórico de uso, botânica, métodos de propagação, sistemas de condução e práticas
culturais adequados à produção

Conteúdo Programático

1.Conceito de Plantas Alimentícias Não Convencionais

1.1. Termos e conceitos relacionados a sociobiodiversidade alimentícia: limites e potencialidades.

1.2.O surgimento do conceito de PANC e suas relações com questões econômicas, sociais e ambientais

1.3. Caracterização das PANC: diversidade de espécies, de partes, produtos derivados.

1.4. Aspectos botânicos, ecológicos e agronômicos relacionados ao conceito de PANC.

1.5.Popularização e internacionalização do conceito: cenário atual, perspectivas e desafios

2. Reconhecimento da diversidade local/regional de PANC.

2.1. Noções de identificação botânica para o reconhecimento de espécies.

2.2.Contribuições da etnobotânica para o registro de espécies e de seus usos históricos, atuais e potenciais.

2.3. Origem, distribuição e características de espécies de PANC de especial interesse para a agricultura familiar.

3. As PANC nas unidades de produção familiar

3.1. As PANC como espécies multipropósitos: usos, funções e serviços em SAFs, hortas e sistemas de produção de mel e outros produtos de origem animal.

3.2. Sistemas de produção de espécies de PANC.

3.3. Contribuições das PANC para a sustentabilidade econômica das unidades de produção familiares.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ALBUQUERQUE, U. P.; ALVES R. R. de N. Introdução à etnobiologia. 2. ed. Recife, PE: NUPEEA, 2018. 224 p.
  • BRACK, P.; KÖHLER, M.; CORRÊA, C. A.; ARDISSONE, R. E.; SOBRAL, M. E. G.; KINUPP, V. F. Frutas nativas do Rio Grande do Sul, Brasil: riqueza e potencial alimentício.
  • CORADIN, L.; SIMINSKI A.; REIS, A. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: Plantas para o futuro – Região Sul. Brasília: MMA, 934p, 2011.
  • KINUPP, V. F. Plantas Alimentícias Não Convencionais na Região.
  • KINUPP, V. F.; LORENZI, H. Plantas alimentícias não convencionais (PANC) no Brasil: guia de identificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas. 1. ed. Nova Odessa:
  • MADEIRA, N. R.; SILVA, P. C.; BOTREL, N.; MENDONCA, J. L. de; SILVEIRA, G. S. R.; PEDROSA, M. W. Manual de produção de hortaliças tradicionais. Brasília, DF: Embrapa, 2013, 156
  • MAPA - MINISTÉTIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E APASTECIMENTO. Hortaliças não-convencionais: (tradicionais). Brasília: MAPA/ ACS, 2010. 52 p. Disponível em:. Acesso em: 30. mar. 2021
  • RAPOPORT, E. H.; MARZOCCA, A.; DRAUSAL, B. S. Malezas comestibles del Cono Sur y otras partes del planeta. Argentina: Instituto Nacional de Tecnología Agropecuaria - INTA, 2019.
  • SEIFERT JR. C. A.; DURIGON, J; Sociobiodiversidade como o caminho à Soberania Alimentar em Sucessivas Crises Globais. Democracia e direitos fundamentais. 9. mar. 2021. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2021.
  • TURNER, N. J.; LUCZAJ, L. J.; MIGLIORINI, P.; PIERONI, A.; DREON, A. L.; SACCHETTI, L. E.; PAOLETTI, M. G. Edible and tended wild plants, traditional ecological knowledge and agroecology. Critical Reviews in Plant Sciences, v. 30, n. 1-2, p. 198-225, 2011.

Bibliografia Complementar:

  • LORENZI, H. Plantas daninhas do Brasil: terrestres, aquáticas, parasitas e tóxicas. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2000.
  • LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. 2ª ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008.
  • LORENZI, H. Frutas no Brasil: nativas e exóticas: de consumo in natura. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2015
  • SOBRAL, M.; JARENKOW, J. A.; BRACK, P.; IRGANG, B.; LAROCCA, J.; RODRIGUES, R. S. 2013. Flora arbórea e arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. 2ª ed. São Carlos: RiMa.
  • SOUZA, V.C. & LORENZI, H. 2012. Botânica Sistemática: guia ilustrado para identificação das famílias de Fanerógamas e nativas e exóticas no Brasil, baseado em APG III. 3ª ed., Nova Odessa, Instituto Plantarum. 768p

Página gerada em 08/02/2023 01:02:17 (consulta levou 0.063441s)