Nome da Atividade
MICROBIOLOGIA DO SOLO
CÓDIGO
01230035
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4

Ementa

Origem e evolução da vida no planeta terra; Metabolismo microbiano; Componentes da microbiota do solo; Ecofisiologia dos principais grupos bacterianos; Crescimento microbiano e seu controle; Ciclos biogeoquímicos do carbono, do nitrogênio, do ferro, do enxofre e do fósforo; Micorrizas; Xenobióticos no solo; Microbiologia de solos alagados; Rizobactérias promotoras de crescimento de plantas; Microrganismos e qualidade ambiental.

Objetivos

Objetivo Geral:

Identificar as principais populações que integram a comunidade microbiana do solo, suas funções bioquímicas, sua diversidade, estrutura e inter-relações.
Habilitar o discente a identificar e avaliar as principais transformações de origem microbiana, seus fatores determinantes e sua relação com a qualidade do solo e do ambiente e com a disponibilidade de nutrientes para as plantas.

Conteúdo Programático

UNIDADE 1: Origem e evolução da vida no planeta terra
1.1 – Similaridades genéticas e bioquímicas entre seres vivos
1.2 – Diversidade microbiana
1.2.1 – Diferenças entre organismos procarióticos e eucarióticos
UNIDADE 2: Metabolismo e processos microbianos
2.1 – Definições
2.2 – Fonte de nutrientes e fatores de crescimento
2.3 – Controle da síntese enzimática
2.4 – Produção de ATP
2.5 – Diversidade catabólica e biossíntese microbiana
2.5.1 – Respiração aeróbica
2.5.2 – Respiração anaeróbica
2.5.3 – Fermentações
2.5.4 – Fotossíntese microbiana
2.5.5 – Oxidação de compostos inorgânicos
UNIDADE 3: Componentes da microbiota do solo
3.1 – Bactérias
3.1.1 – Características e classificação taxonômica
3.1.2 – Classificação nutricional
3.1.3 – Classificação em grupos fisiológicos
3.2 – Fungos
3.2.1 – Principais funções no solo
3.2.2 – Classificação taxonômica
3.3 – Algas, protozoários e outros microrganismos
3.3.1 – Principais funções no solo
UNIDADE 4: Ecofisiologia dos principais grupos bacterianos
4.1 – Bactérias formadoras de esporos
4.2 – Bactérias do grupo entérico e organismos relacionados
4.3 – Bactérias aeróbicas quimiolitotróficas e organismos associados
4.4 – Bactérias aeróbicas quimioheterotróficas
4.5 – Actinomicetos filamentosos e organismos relacionados
4.6 – Bactérias anaeróbicas obrigatórias
UNIDADE 5: Crescimento microbiano e seu controle
5.1 – Crescimento celular e de populações bacterianas
5.1.1 – Fases do crescimento bacteriano
5.1.2 – Expressão matemática do crescimento bacteriano
5.2 – Efeito de fatores abióticos sobre microrganismos
5.2.1 – Temperatura e pH
5.2.2 – Disponibilidade de água, oxigênio e nutrientes
UNIDADE 6: Ciclo biogeoquímico do carbono
6.1 – Importância dos microrganismos no ciclo do C
6.2 – Natureza e metabolismo das fontes de carbono
6.3 – Dinâmica da decomposição de materiais orgânicos
6.3.1 – Polissacarídeos simples
6.3.2 – Substâncias aromáticas
6.4 – Formação, composição e funções da matéria orgânica do solo
UNIDADE 7: Ciclo biogeoquímico do nitrogênio
7.1 – Natureza e metabolismo das fontes nitrogenadas
7.1.1 – Mineralização, Imobilização, Nitrificação e Desnitrificação
7.1.1.1 – Mecanismos bioquímicos
7.1.1.2 – Microrganismos envolvidos
7.1.1.3 – Influência dos fatores abióticos
7.2 – Fixação biológica do nitrogênio atmosférico
7.2.1 – Enzimas e energética
7.2.2 – Fixação biológica assimbiótica
7.2.2.1 – Mecanismos bioquímicos
7.2.2.2 – Microrganismos envolvidos
7.2.3 – Fixação biológica simbiótica
7.2.3.1 – Mecanismos bioquímicos
7.2.3.2 – Associações simbióticas conhecidas
7.2.3.3 – Inoculantes e inoculação
UNIDADE 8: Ciclos biogeoquímicos do Fósforo e do Enxofre
8.1 – Transformações microbianas no solo
8.1.1 – Mineralização e Imobilização
8.1.1.1 – Mecanismos bioquímicos
8.1.1.2 – Microrganismos envolvidos
8.1.1.3 – Influência dos fatores abióticos
8.1.2 – Solubilização microbiana do P e do S
8.2.1.1 – Mecanismos bioquímicos
8.2.1.2 – Microrganismos envolvidos
8.1.3 – Ecto e Endomicorrizas
8.1.3.1 – Formas e distribuição
8.1.3.2 – Fisiologia e função das micorrizas
8.1.3.3 – Fluxos de nutrientes entre fungos micorrízicos e hospedeiros
UNIDADE 9: Xenobióticos no solo
9.1 – O destino e comportamento dos pesticidas
9.2 – O impacto sobre a biota e sobre processos do solo
9.3 – Degradação de xenobióticos no solo
9.4 – Biorremediação microbiana
UNIDADE 10: Microbiologia de solos alagados
10.1 – Condições físico-químicas predominantes em solos alagados
10.2 – Microrganismos presentes em condições de anoxia
10.3 – Metabolismo anaeróbico e decomposição de materiais orgânicos
10.4 – Transformações microbianas de nutrientes em solos alagados
10.5 – Microrganismos e emissão de gases de efeito estufa em solos alagados
UNIDADE 11: Rizobactérias Promotoras de Crescimento de Plantas (RPCP)
11.1 - Ambiente rizosférico
11.2 - Principais bactérias promotoras de crescimento
11.2 - Importância na nutrição vegetal
11.3 - Potencial e limitações da inoculação com RPCP
UNIDADE 12: Microrganismos e qualidade ambiental
12.1 – Metanogênese
12.2 – Compostagem
12.3 – Biorremediação
12.4 - Biogranulação aeróbica
12.5 - Biofilmes microbianos

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BRADY, Nyle, C.; WEILL, Ray R. Elementos da natureza e propriedades dos solos. Porto Alegre: Bookman. ISBN 9788565837743. 2013. 686p
  • SIDDIQUI, Zaki A.; AKHTAR, Mohd S.; FUTAI, Kazuyoshi. Mycorrhizae: Sustainable Agriculture and Forestry. 1st ed. 2008. XIV, 362 p ISBN 9781402087707.
  • MOREIRA, Fátima M. S.; SIQUEIRA, José de Oliveira; BRUSSAARD, Lijbert (org.). Biodiversidade do solo em ecossistemas brasileiros. Lavras: UFLA, 2008. 768 p
  • MADIGAN, Michael T. et al. Microbiologia de Brock. 12. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 1128 p. ISBN 9788536320939.
  • TORTORA, Gerard J.; FUNKE, Berdell R.; CASE, Christine L. Microbiologia. 12. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017. 935 p. ISBN 9788536326061.
  • PRATES JÚNIOR, P.; VELOSO, T. G. R.; MOREIRA, B. C.; KASUYA, M. C. M. Micorrizas arbusculares: conceitos, metodologias e aplicações. Viçosa, MG : Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, Núcleo Regional Leste, 2021. 120 p

Bibliografia Complementar:

  • BALOTA, E. L. Manejo e qualidade biológica do solo. 1. ed. Londrina: Mecenas, 2017. 288p.
  • SYLVIA, D. M., FUHRMANN, J. J., HARTEL, P. G., ZUBERER, D. A. Principles and applications of soil microbiology. New Jersey: Prentice-Hall, Inc., 2005. 640 p.
  • CARDOSO, E. J. B. N.; ANDREOTE, F. D. Microbiologia do solo. 2. Ed. Piracicaba : ESALQ, 2016. 221 p
  • DIONÍSIO, J. A.; PIMENTEL, I. C.; SIGNOR, D.; PAULA, A. M.; MACEDA, A.; MATTANA, A. L. Guia prático de biologia do solo. Paraná: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo/Núcleo Estadual Paraná; 2016.
  • MOREIRA, F. M. de S., SIQUEIRA, J. A. Microbiologia e bioquímica do solo. 2ª ed., atual. e ampl., Lavras, MG: Ed. da Universidade Federal de Lavras, 2006. 729p
  • PAUL, E. A. Soil Microbiology, Ecology and Biochemistry. 3rd ed. Hardcover – Academic Press, 2007. 552p

Página gerada em 27/05/2024 19:48:59 (consulta levou 0.058091s)