Nome da Atividade
PROCESSOS COLETIVOS DE CRIAÇÃO
CÓDIGO
05001003
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Prática e estudo de processos coletivos de criação nas artes cênicas e nas interdisciplinaridades artísticas. Estudo da cena contemporânea e seus grupos e/ou coletivos artísticos. Experimentação de processos coletivos de criação em ambientes educacionais.

Objetivos

Objetivo Geral:

Praticar processo coletivo de criação em artes.
Estudar e pesquisar grupos e coletivos permanentes de trabalho em artes cênicas e em outras áreas artísticas como o cinema, a música, as artes visuais e plásticas e a performance.
Experimentar possibilidades de transposição pedagógica das experiências coletivas vivenciadas em contextos educacionais.

Conteúdo Programático

Unidade 1 – Prática de processo artístico coletivo.
Unidade 2 – Estudo sobre processos artísticos coletivos: criação coletiva, processo colaborativo de criação e outras vertentes.
Unidade 3 - A organização das diferentes funções de um processo: a encenação, a dramaturgia, a cenografia, a interpretação, as sonoridades.
Unidade 4 – A cena contemporânea e seus grupos e coletivos em âmbito regional, nacional e internacional.
Unidade 5 – Possibilidades de transposição pedagógica das experiências coletivas vivenciadas em contextos educacionais.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ARAÚJO, Antonio. O processo colaborativo como modo de criação. Olhares, São Paulo, n. 1, p. 46-51, 2009. Disponível em: http://www3.eca.usp.br/sites/default/files/form/biblioteca/acervo/producaoacademica/002736213.pdf. Acesso em: 01 out. 2020.
  • COHEN, Renato. Work in progress na cena contemporânea. São Paulo: Perspectiva, 2013.
  • FERNANDES, Fernanda Vieira; NETTO, Maria Amélia Gimmler. Ação em combate: Criação colaborativa, participação e transcriação no processo criativo. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 39, p. 1-29, 2020. DOI: 10.5965/14145731033920200208. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18084. Acesso em: 3 jul. 2022.

Bibliografia Complementar:

  • FABIÃO, Eleonora. Performance e Teatro: poéticas e políticas da cena contemporânea. Revista Sala Preta, Vol. 8. ECA/USP. São Paulo, 2008. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/57373. Acesso em: 02 out. 2020.
  • FERNANDES, Sílvia. Performatividade e gênese da cena. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Vol. 3, N.2. PPGEDU/UFRGS. Porto Alegre, 2013. Disponível em https://seer.ufrgs.br/presenca/article/view/38137. Acesso em: 01 out. 2020.
  • GONÇALVES JUNIOR, Antonio Luiz. Dramaturgismo: movimentos do olharpensamento crítico em processo de criação artística. Revista Sala Preta, PPGAC/USP, vol. 17, n. 1, 2017. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/129285/130293. Acesso em: 02 out. 2020.
  • PAVIS, Patrice. A encenação contemporânea: origens, tendências, perspectivas. São Paulo: Perspectiva, 2013.
  • SARRAZAC, Jean-Pierre (org.). Léxico do drama moderno e contemporâneo. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

Página gerada em 16/04/2024 23:49:04 (consulta levou 0.057522s)