Nome da Atividade
Teatro, Performance e Política
CÓDIGO
05001049
Carga Horária
51 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
03
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
03
CRÉDITOS
3
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

A disciplina visa discutir algumas das interseções entre Teatro, a Arte da Performance e Política, observando o como se dá o entrelaçamento entre o fazer teatral, as práticas performativas e as manifestações políticas nesse início de século XXI.

Objetivos

Objetivo Geral:

-

Conteúdo Programático

1. A vocação política do Teatro e da Performance
1.1 Teatro como manifestação da Pólis
1.2 A Política e o Político

2. Histórico da Performance
2.1 A Performance e as vanguardas históricas.
2.2 Beyus e o Fluxus
2.3 As várias faces da Performance a partir dos anos 60

3. Teatro e Política
3.1 O Agti-Prop
3.2 Piscator e Brecht
3.3 Teatro de Guerrilha e as criações coletivas latino-americanas a partir da década de 60

4. Política, Teatro e Performance na atualidade
4.1 Teatros do Real
4.2 As Manifestações parateatrais
4.3 Performances artísticas no Brasil no século XXI

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BHABHA, Homi K. – O Local da Cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.
  • CARLSON, Marvin. Performance, uma introdução crítica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.
  • COHEN, Renato. Performance como linguagem. São Paulo: Perspectiva, 2002.
  • DIÉGUEZ, Ileana. Cenários Liminares: teatralidades, performance e política. Trad. de Luís Alberto Alonso e Ângela Reis. Uberlândia: Editora da UFU, 2011.
  • FABIÃO, Eleonora. “Performance e teatro: poéticas e políticas da cena contemporânea”. In Sala Preta, Revista de Artes Cênicas, nº 8, p. 235 a 246. São Paulo: Departamento de Artes Cênicas, ECA/USP, 2008.
  • SILVANA GARCIA. As trombetas de Jericó – Teatro das Vanguardas históricas. São Paulo: Hucitec, 1997.
  • GOLDBERG, RoseLee. A Arte da Performance – Do futurismo ao presente. São Paulo: Martins Fontes, 2006.
  • LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
  • SÁNCHEZ, José A. Practicas de lo real en la escena contemporánea. Madri: Visor Libros, 2007.
  • SPIVAK, Gayatri. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: UFMG, 2010.

Bibliografia Complementar:

  • ABREU, Márcio. Maré – Projeto bRASIL. Rio de Janeiro: Cobogó, 2016.
  • ARAÚJO, Antônio – A gênese da Vertigem. São Paulo: Perspectiva, 2011.
  • ARAÚJO, Antônio. “O processo colaborativo no Teatro da Vertigem”. In Sala Preta - Revista de Artes Cênicas n° 6. São Paulo: 2006, p. 127-133.
  • BERTHOLD, Margot. História mundial do teatro. São Paulo: Perspectiva, 2008.
  • BOURRIAUD, Nicolas. Estética relacional. São Paulo: Martins Editora Livraria Ltda., 2009.
  • BRECHT, Bertolt. Estudos sobre teatro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.
  • CORNAGO, Óscar. “Biodrama. Sobre el teatro de la vida y la vida del teatro”, Latin American Theater Review (Kansas University) 39.1 (Fall 2005), pp. 5-27. Disponível em http://artesescenicas.uclm.es/index.php?sec=texto&id=283.
  • CORNAGO, Óscar. “Atuar de “verdade”. A Confissão como estratégia cênica”. In Urdimento, Revista de Estudos em Artes Cênicas. Nº 13, p. 99-111. Florianópolis: PPG em Artes Cênicas do CEART – UDESC, 2009.
  • FARIAS, Tânia e FLORES, Paulo – Ói Nóis Aqui Traveiz – Poéticas de Ousadia e Ruptura. Porto Alegre: Terreira da Tribo Produções Artísticas, 2014.
  • FÉRAL, Josette. “Por uma poética da performatividade”, in Sala Preta, Revista de Artes Cênicas. Nº 8, p. 197-210. São Paulo: PPG em Artes Cênicas - ECA/USP, 2008.
  • GARCIA, Silvana. “Teatro Político – Verso e reverso”. In Folhetim, nº22, p. 68-77. Rio de Janeiro: Teatro do Pequeno Gesto, 2005.
  • GARCIA, Silvana. Teatro da Militância. São Paulo: Perspectiva, 2004.
  • LEHMANN, Hans-Thies. “Teatro pós-dramático e processos de criação e aprendizagem da cena: um diálogo com Hans-Thies Lehmann”. In: Sala Preta, Revista de Artes Cênicas. V 13 n 2, p. 236-251. São Paulo: PPG em Artes Cênicas - ECA/USP, 2013.
  • LEITE, Janaína. “Teatro documentário ou sob o risco do real”. Artigo publicado no blog Questão de Crítica – Revista eletrônica de crítica e estudos teatrais, outubro de 2011. Disponível em http://www.questaodecritica.com.br/2011/10/teatro-documentario-ou-sob-o-risco-do-real/
  • OSÓRIO, Luiz, Camillo. “Arte e Política”. In Folhetim, nº22, p. 43 a 49. Rio de Janeiro: Teatro do Pequeno Gesto, 2005.
  • PARANHOS, Kátia (org.). História, Teatro e Política. São Paulo: Boitempo, 2012.
  • PEREIRA, Silvero. BR-TRANS. Rio de Janeiro: Cobogó, 2016.
  • PISCATOR, Erwin. Teatro Político. Rio de Janiero : Civilização Brasileira, 1968.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
51 2020 / 2 40 10 Artes (Especialização)
Horários
ManhãTardeNoite
QUI19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
DANIEL FURTADO SIMOES DA SILVA
Professor responsável pela turma

Página gerada em 26/11/2020 23:33:22 (consulta levou 0.101272s)