Nome da Atividade
SOM, RACIALIDADE E TERRITÓRIO: PERSPECTIVAS AFRODIASPÓRICAS
CÓDIGO
05001321
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
1
CARGA HORÁRIA EXERCÍCIOS
1
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

"A presente disciplina parte de perspectivas afrodiaspóricas para investigar os campos problemáticos da arte sonora, da música e dos estudos do som. Tem como centro as relações raciais e seus desdobramentos políticos, artísticos e sociais. Para tanto, partiremos do estudo do som enquanto um elemento constituinte das relações raciais, por meio do entendimento da escuta como um processo perceptivo diretamente conectado a noções socialmente compartilhadas: informações sobre fontes sonoras, reconhecimento de timbres específicos, sistemas linguísticos e musicais, dentre outras. Ao se conectar diretamente às estruturas sociais, o som pode atuar como substituto dos marcadores raciais, reforçando binarismos conceituais e criando hierarquizações epistemológicas.
Se, por um lado, o som pode atuar em sistemas ideológicos discriminatórios, por outro lado, este tem importância fundamental em espaços de reorganização política e cultural de grupos historicamente silenciados. Neste sentido, também nos dedicaremos a uma análise das relações entre a produção de conhecimentos sonoros e musicais e a formação de tais territórios, especificamente aqueles formados na diáspora africana no Brasil, durante o período colonial brasileiro até os dias atuais."

Objetivos

Objetivo Geral:

x

Conteúdo Programático

Perspectiva estética da colonialidade (Parte I)
Perspectiva estética da colonialidade (Parte II)
Perspectiva estética da colonialidade (Parte III)
Conhecimento, escritas e oralidades
Performances do tempo espiralar
Contra-colonialidade e quilombismo: processos de resistência e reorganização
social
O papel da música e das sonoridades no processo de diáspora africana no Atlântico Negro.
A diáspora africana no Brasil: conceitos gerais (Parte I)
A diáspora africana no Brasil: conceitos gerais (Parte II)
Música, sonoridades e espiritualidade: entre orixás, voduns, nkisis e santos
(Parte I)
Música, sonoridades e espiritualidade: entre orixás, voduns, nkisis e santos
(Parte II)
Epistemologias sonoras e musicais africanas e afrobrasileiras (Parte I)
Epistemologias sonoras e musicais africanas e afrobrasileiras (Parte II)
Mediação tecnológica e experimentalismo (Parte I)
Mediação tecnológica e experimentalismo (Parte II)
Apresentação dos trabalhos teóricos-reflexicos desenvolvidos na disciplina
Apresentação dos trabalhos práticos desenvolvidos na disciplina

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • AGAWU, Kofi. Representing African Music – postcolonial notes, queries, positions. London; New York: Routledge - Taylor & Francis Group, 2003. AGAWU, Kofi. Tonality as a colonizing force in Africa. In: RADANO, Ronald; OLANIYAN, Tejumola (Eds.). AUDIBLE EMPIRE: Music, Global Politics, Critique. Durham: Duke University, 2016, p. 352 – 374. GILROY, Paul. O Atlântico negro: modernidade e dupla consciência. São Paulo: Editora 34, 2001. MARTINS, Leda Maria. Afrografias da Memória. Belo Horizonte: Mazza Edições, 1997. HALL, Stuart. Da Diáspora: Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003. GALANTE, Rafael. Da cupópia da cuíca: a diáspora dos tambores centro-africanos de fricção e a formação das musicalidades do Atlântico Negro (Sécs. XIX e XX). São Paulo: Dissertação de Mestrado. Dep. de História/USP, 2015. LOPES, NEI. Enciclopédia brasileira da diáspora africana. São Paulo: Selo Negro, 2011. LOPES, Nei; SIMAS, Luiz. Dicionário da história social do samba. Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 2015. LOPES, NEI; SIMAS, Luiz Antônio. Filosofias africanas: uma introdução. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2020. SIMAS, LUIZ ANTONIO. O corpo encantado das ruas. Rio de janeiro: Civilização brasileira, 2019. PEREIRA, Edmilson de Almeida e GOMES Núbia Pereira de Magalhães. Ouro Preto da Palavra: Narrativas de Preceito do Congado em Minas Gerais. Belo Horizonte: PUC- Minas, 2003. KUBIK, Gerhard. Angola in the black cultural expressions in Brazil. New Yorok: Diasporic African Press, 2013. KUBIK, Gerhard. Extensions of African Cultures in Brazil. New York: Diasporic Africa Press, 2014. AMORIM, Humberto. “A carne mais barata do mercado é a carne negra”: comércio e fuga de escravos músicos nas primeiras décadas do Brasil oitocentista (1808-1830). Opus, v. 23, n. 2, 2017. DO NASCIMENTO, Abdias. O quilombismo: documentos de uma militância pan- africanista. Rio de Janeiro: Fundação Palmares - OR Editor Produtor, 2002. STOEVER, Jennifer Lynn. The Sonic Color Line:

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
1 2022 / 1 25 9 Artes Visuais (Mestrado acadêmico)
Horários
ManhãTardeNoite
TER19:00 - 19:50
19:50 - 20:40
20:40 - 21:30
21:30 - 22:20
FELIPE MERKER CASTELLANI
Professor responsável pela turma

Página gerada em 01/07/2022 20:54:19 (consulta levou 0.058010s)