Nome da Disciplina
TEORIA POLÍTICA
CÓDIGO
0560122
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA EAD
0
CARGA HORÁRIA EXERCÍCIOS
0
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
0
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Ao partir da ideia de que a Teoria Política possui diferentes definições e apropriações pela disciplina da Ciência Política, o curso analisa os fundamentos ontológicos, epistemológicos e metodológicos que orientam a Teoria Política, sobretudo, em suas versões contemporâneas. Do ponto de vista disciplinar da Ciência Política, a Teoria Política é disputada por diferentes enfoques – sejam eles empírico-explicativo, histórico-conceitual ou normativo-filosófico. Desta forma, o curso busca promover: a) o debate acerca do próprio status (sub)disciplinar da Teoria Política e seus diálogos com outras áreas do conhecimento e b) o aprofundamento em determinadas correntes teóricas, tradições histórico-conceituais e/ou temas relevantes para a teorização dos fenômenos e processos políticos.

Objetivos

Objetivo Geral:

- Analisar a proeminência da linguagem para a filosofia, principalmente a partir do século XX;
- Verificar os efeitos da virada linguística em diversos campos das ciências humanas: na linguística estrutural, no estruturalismo, na filosofia, na psicanálise, no pós-estruturalismo, no político;
- Abordar o debate fundacionalismo versus pós-fundacionalismo;
- Discutir a importância da destruição heideggeriana e da desconstrução derridiana para a teoria política contemporânea;
- Analisar a importância da psicanálise para a teoria política contemporânea.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • SAUSSURE, Ferdinand. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 2006 (pdf e xerox). LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia Estrutural. São Paulo: Cosac Naify, 2012 (pdf e xerox).
  • LACAN, Jacques. A instância da letra no inconsciente ou a razão desde de Freud. In: ______. Escritos. Rio de Janeiro: Zahar, 1998 (xerox).
  • HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. 11ª ed. Petrópolis: Vozes, 2002 (Parte I, Capítulos Primeiro e Segundo, p. 24-71) - (xerox).
  • HEIDEGGER, Martin. O princípio do fundamento. Lisboa: Instituto Piaget, 1999 (xerox).
  • CULLER, Jonathan. Sobre a Desconstrução: teoria e crítica do pós-estruturalismo. Rio de Janeiro: Record/Rosa dos Ventos, 1997 (Capítulo Dois – A Desconstrução) - (xerox).
  • DERRIDA, Jacques. A estrutura, o signo e o jogo no discurso das ciências humanas. In: ______. A escritura e a diferença. São Paulo: Editora Perspectiva, 2002 (xerox).
  • LACAN, Jacques. O estádio do espelho como formador da função do eu. In: ______. Escritos. Rio de Janeiro: Zahar, 1998 (xerox).
  • STAVRAKAKIS, Yannis. The Lacanian Subject: the impossibility of identity and the centrality of identification. In: ______. Lacan & the Political. London: Routledge, 1999 (pdf).
  • STAVRAKAKIS, Yannis. The Lacanian Object: dialectics of social impossibility. In: ______. Lacan & the Political. London: Routledge, 1999 (pdf).
  • STAVRAKAKIS, Yannis. Encircling the political: towards a Lacanian political theory. In: ______. Lacan & the Political. London: Routledge, 1999 (pdf).
  • LACLAU, Ernesto. Nuevas Reflexiones Sobre la Revolución de Nuestro Tiempo. In: ______. Nuevas Reflexiones Sobre la Revolución de Nuestro Tiempo. Buenos Aires: Nueva Visión, 2000 (pdf).
  • GLYNOS, Jason; HOWARTH, David. Ontology. In: ______. Logics of Critical Explanation in Social and Political Theory. London: Routledge, 2007 (pdf).
  • RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996 (pdf).
  • RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996 (pdf).
  • RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996 (pdf).
  • CRITCHLEY, Simon. Introduction: the possibility of commitment. In: ______. Infinitely demanding: ethics of commitment, politics and resistance. London: Verso: 2012 (pdf).
  • CRITCHLEY, Simon. Anarchic metapolitics: political subjectivity. In: ______. Infinitely demanding: ethics of commitment, politics and resistance. London: Verso: 2012 (pdf).

Bibliografia Complementar:

  • BUTLER, Judith; LACLAU, Ernesto; ZIZEK, Slavoj (Orgs). Contingency, hegemony and universality: contemporary dialogues on the left. London: Verso, 2000.
  • LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemony & socialist strategy: towards a radical democratic politics. London: Verso, 1985.
  • LACLAU, Ernesto. On Populist Reason. London: Verso, 2005.
  • MARCHART, Oliver. Post-foundational political thought: political difference in Nancy, Lefort, Badiou and Laclau. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2007.
  • MOUFFE, Chantal. On the political. New York: Routledge, 2005.
  • MOUFFE, Chantal For a Left Populism. London: Verso, 2018.
  • TORFING, Jacob. New theories of discourse: Laclau, Mouffe and Zizek. Oxford: Blackwell, 1999.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
T1 2019 / 2 10 5 Ciência Política (Doutorado)
Horários
ManhãTardeNoite
QUI14:20 - 15:10
15:10 - 16:00
16:00 - 16:50
17:10 - 18:00
DANIEL DE MENDONCA
Professor responsável pela turma

Página gerada em 23/10/2019 09:59:49 (consulta levou 0.102313s)