Nome da Atividade
ELITES E PODER POLÍTICO
CÓDIGO
0560159
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
0
CARGA HORÁRIA EXERCÍCIOS
0
CARGA HORÁRIA EAD
0
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4

Ementa

Os estudos sobre Elites, em suas diversas frentes, podem ser considerados como uma temática consagrada dentro da Ciência Política e Sociologia Política. Analisar a relação entre estes grupos dirigentes e suas diversas formas de exercício de poder, principalmente o político, é fundamental para compreender os arranjos democráticos contemporâneos. Sendo assim a disciplina objetiva apresentar as discussões tanto teóricas, como também metodológicas, a partir de diversos autores essenciais desta abordagem, desde a sua origem na Teoria das Elites até os debates e questões atuais que estruturam as pesquisas voltadas para esta corrente.

Objetivos

Objetivo Geral:

A disciplina tem por objetivo analisar a relação entre elites e suas diversas formas de exercício de poder.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BEST, H. E COTTA, M. (eds.). Parlamentary Representatives in Europe 1848-2000, Legislative recruitment and careers in eleven european countries. Oxford: Oxford University Press, 2000.
  • BIRNBAUM, P. Les Sommets de l’État, Essai sur l’élite du pouvoir en France. Paris: Éd. du Seuil, 1994.
  • BOLTANSKI Luc. L'espace positionnel : multiplicité des positions institutionnelles et habitus de classe. Revue française de sociologie. Vol. 14-1. pp. 3-26, 1973.
  • BOSCHI, Renato et al. Elites Políticas e Econômicas no Brasil Contemporâneo. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer, 2000.
  • BOTTOMORE, Tom. As elites e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 1974.
  • BOURDIEU, P. La Noblesse d’État, Grandes écoles et esprit de corps. Paris: Minuit, 1989.
  • BOURDIEU, P. Razões Práticas: Sobre a Teoria da Ação. Campinas, SP: Papirus, 1996.
  • BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1998.
  • CARVALHO, José M. de. A construção da ordem e Teatro de Sombras. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 3a. edição, 2003.
  • CHARLE, C. Les Élites de la République (1880-1900). Paris: Fayard, 1987.
  • CHARLE, Chirstophe. A prosopografia ou biografia coletiva: balanço e perspectivas. In: HEINZ, Flávio (org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro: FGV, 2006.
  • CHAZEL, François. Poder. In: BOUDON, Raymond. Tratado de Sociologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.
  • CORADINI, O L. Em nome de quem?: Recursos sociais no recrutamento de elites políticas. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.
  • DAHL, A. Robert. Uma crítica ao modelo de elite dirigente. In: Sociologia Política II. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1970.
  • DAHL, A. Robert. Poliarquia. São Paulo: EDUSP, 1997.
  • GIDDENS, Anthony. Preface e Elites in the British class structure. In: P. Stanworth and A. Giddens (eds.), Elites and Power in British Society. Cambridge: Cambridge University Press, 1974.
  • GRYNSZPAN, Mário. Ciência política e trajetórias sociais: uma sociologia histórica das elites. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getúlio Vargas, 1999.
  • HIRSCHMAN, Albert O. A retórica da intransigência: perversidade, futilidade, ameaça. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 1992.
  • KELLER, Suzanne. O destino das elites. Rio de Janeiro: Editora Forense, 1967.
  • LE BON, Gustave. Psicologia das multidões. Rio de Janeiro: F. Briguiet & Cia, 1954.
  • LOVE, Joseph. A locomotiva: São Paulo na Federação Brasileira (1889-1937). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.
  • LUKES, Steven. O Poder: uma visão radical. Brasília: Ed. UnB, 1980. LUKES, Steven. O Poder: uma visão radical. Brasília: Ed. UnB, 1980.
  • LUKES, Steven. O Poder: uma visão radical. Brasília: Ed. UnB, 1980.
  • MICELI, S. Intelectuais e Classe Dirigente no Brasil (1920-1945). São Paulo-Rio de Janeiro: Difel, 1979.
  • MICHELS, Robert. Sociologia dos partidos políticos. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1982.
  • MOSCA, Gaetano. La classe politica. México: Fondo de Cultura Economica, 1992.
  • OFFERLÉ, M. Sociologie des groupes d’intérêt. Paris: Éditions Montchrestien, 1998.
  • OFFERLÉ, M. 1999. La Profession Politique - XIXe.-Xxe. siècles. Paris: Belin, 1999.
  • PARETO, Vilfredo. Tratado de sociologia geral. In: Rodrigues, José Albertino (org.). Vilfredo Pareto: sociologia. São Paulo: Ática, 1984.
  • PASSERON, Jean-Claude. Biographies, flux, itinéraires, trajectoires. Revue française de sociologie, Vol. 31-1, 1990.
  • PERISSIONOTTO, Renato e CODATO, Adriano. Como Estudar Elites. Curitiba: Ed. UFPR, 2015.
  • PINÇON, Michel e PINÇON-CHARLOT, Monique. 2007. Sociologia da alta burguesia. Sociologias. Porto Alegre: Ano 9, nº 18, 2007.
  • PUTNAM, R. D. The Comparativa Study of Political Elites. New Jersey: Prentice hall, 1976.
  • SAINT-MARTIN, Monique. Da reprodução às recomposições das elites: as elites administrativas, econômicas e políticas na França. Tomo. São Cristovão: nº 13, 2008.
  • SCHMITTER, P. C. Interest Conflict and Political Change in Brazil. Stanford: Stanford University Press, 1971.
  • SCHUMPETER, Joseph A. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Ed: Fundo de cultura, 1961.
  • SEIDL, Ernesto e GRILL, Igor G. As Ciências Sociais e os Espaços da Política no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.
  • SULEIMAN, E. & MENDRAS, H. (dirs.). Le Recrutement des Élites en Europe. Paris: La Découverte, 1995.
  • WEBER, Max. Ciência e Política: duas vocações. São Paulo: Editora Cultrix, 1968.
  • WRIGHT MILLS, C. A Elite do Poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1968.

Página gerada em 22/02/2024 11:22:51 (consulta levou 0.078225s)