Nome da Disciplina
DEMOCRACIA NO BRASIL: VELHOS E NOVOS ATORES
CÓDIGO
0568138
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

A disciplina objetiva problematizar a democracia brasileira, através da discussão da complexa relação entre sociedade civil e poder público. Para isso está dividida em dois momentos: I. Apresentação e discussão de categorias fundamentais para o debate democrático contemporâneo: sociedade civil, espaço público, esfera pública, representação, accountability; II. Velhos e novos atores nas relações entre sociedade civil e o poder público no Brasil: movimentos sociais, associativismo, Organizações Não-Governamentais.

Objetivos

Objetivo Geral:

4.1. Gerais
Problematizar a democracia brasileira através da apresentação de categorias teóricas centrais para pensar a relação entre sociedade civil e o poder público.
4.2. Específicos
• Apresentar os principais modelos teóricos de análise da relação sociedade civil e poder público;
• Ponderar sobre os papeis dos atores políticos e sociais nas democracias contemporâneas;
• Refletir sobre o impacto das teorias e categorias na realidade política brasileira.

Conteúdo Programático

I. Paradigmas teóricos
Teoria dos Novos Movimentos Sociais;
Teoria do Confronto Político;
II. Conceitos Fundamentais
Ação coletiva;
Identidade;
Ator político;
Engajamento militante;
III. Formas de ação coletiva
IV. Ações coletivas e manifestações de rua no Brasil

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ALONSO, Angela. As Teorias dos Movimentos Sociais: Um balanço do debate. Lua Nova, São Paulo, 76: 49-86, 2009. ALONSO, Angela; MISCHE, Ann. Changing Repertoires and Partisan Ambivalence in the New Brazilian Protests. Bulletin of Latin American Research, Vol. 36, nº. 2, pp. 144–159, 2017. ALVAREZ, Sonia, DAGNINO, Evelina e ESCOBAR, Arturo (orgs). Cultura e política os movimentos sociais latino-americanos. Belo Horizonte: ed. UFMG, 2000. BALLESTRIN, Luciana. Associativismo transnacional: uma proposta analítico-conceitual. Rev. Sociol. Polít., Curitiba, v. 18, n. 35, p. 41-54, fev. 2010. BRINGEL, Breno e ECHART, Enara. Movimentos sociais e democracia: os dois lados das “fronteiras”. CADERNO CRH, Salvador, v. 21, n. 54, p. 457-475, Set./Dez. 2008. BRINGEL, Breno. O futuro anterior: continuidades e rupturas nos movimentos estudantis do Brasil. EccoS Revista Científica, v. 11, p. 97-121, jan.-jun.2009. BUTLER, Judith: Corpos em aliança e a política das ruas. Notas para uma teoria performativa de assembleia. RJ: Civ. Brasileira, 2018. CASTELLS, Manuel. Redes de Indignación y Esperanza. Madrid: Alianza Editorial, 2012. COHEN e ARATO. Sociedad Civil y Teoria Política. México, DF: Fondo de Cultura Econômica, 2000. DAGNINO, E. (Org.) Anos 90: política e sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2004. DAGNINO, E. (Org). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil, 2002. DAGNINO, Evelina e TATATIBA, Luciana (orgs). Democracia, sociedade civil e participação. Chapecó: Argos, 2007. DAGNINO, OLVERA e PANFICHI. A disputa pela construção democratica na América Latina.SP: Paz e Terra, 2006. DELLA PORTA, Donatella y DIANI, Mario. Los Movimientos Sociales. Madrid: UCM, 2015. FILLIEULE, Olivier y TARTAKOWSKY, Danielle. La manifestación: cuando la acción colectiva toma las calles. Buenos Aires: Siglo XXI, 2015. GOMES, S. da S. R., & GÓMEZ-ABARCA, C. de J. #Ocupaescola, #Ocupatudo. Experiencias políticas de estudiantes de secundaria en el 2016, en Río de Janeiro, Brasil. Revista Latin

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
T1 2019 / 2 15 7 Ciência Política (Mestrado acadêmico)
Ciência Política (Doutorado)
Sociologia (Mestrado acadêmico)
Horários
ManhãTardeNoite
TER14:20 - 15:10
15:10 - 16:00
16:00 - 16:50
17:10 - 18:00
ROSANGELA MARIONE SCHULZ
Professor responsável pela turma

Página gerada em 22/10/2019 11:47:26 (consulta levou 0.099856s)