Nome da Atividade
RAÇA, ETNIA E DESIGUALDADE SOCIAL NO BRASIL
CÓDIGO
0568157
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

A disciplina discute a ideia de modernidade, construída pelo pensamento social brasileiro, a partir do final do
século XIX, através do conceito de raça, e a formação da identidade nacional brasileira, na década de 30 do
século XX, utilizando a noção de etnia. Além disso, também trabalha a reatualização desses conceitos com
a formação de uma sociedade de consumo de massas e a globalização, principalmente, através das teorias
pós- colonialistas e multiculturalistas. A ênfase da disciplina está na discussão da busca de uma identidade
nacional e na construção da ideia de modernidade e seus reflexos, principalmente a discussão da
manutenção das desigualdades sociais e raciais no Brasil

Objetivos

Objetivo Geral:

...

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento. “Dilemas do Brasil moderno: A questão racial na obra de Florestan Fernandes”, in: MAIO, Marcos Chor (org.). Raça, ciência e sociedade no Brasil. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil/ Editora Fio Cruz,1995. AZEVEDO, Célia Marinho de. “O abolicionismo transatlântico e a memória do paraíso racial brasileiro”, in: Estudos Afro-asiáticos, n.º 30, dez.1996. AZEVEDO, Thales de. “Classes sociais e grupos de prestígio”, in: Cultura e situação racial no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1956. BAIRROS, Luiza. “Orfeu e Poder: uma perspectiva afro-americana sobre a política racial no Brasil”, in: Estudos Afro-asiáticos, n º 17,1996. BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998. DA MATTA, Roberto. “Digressão: a fabula das três raças, ou o problema do racismo à brasileira”, in Relativizando, uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro: Rocco, 1990. FERNANDES, Florestan. Integração do Negro na sociedade de classes. São Paulo: Cia editora Nacional, 1o . vol., 1965. ___________________.“A persistência do passado”, in: O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Difel, 1972. FRY, Peter. “O que a Cinderela Negra tem a dizer sobre a ‘política racial” no Brasil”, in: Revista USP, n º 28. FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. Rio de Janeiro: Schimimidt, 1933. GILROY, Paul. Entre campos. São Paulo: Annablume, 2007. GUIMARÃES, Antonio Sérgio. “Cor, classe e status nos estudos de Pierson, Azevedo e Harris na Bahia, 1940-1960”, in: MAIO, Marcos Chor (org.). Raça, ciência e sociedade no Brasil. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil/ Editora Fio Cruz,1995. _______________________. Classes, raça e democracia. São Paulo: Editora 34, 2002. HANCHRARD, Michel. “Cinderela negra? raça e esfera pública no Brasil”, in: Estudos Afroasiáticos, n º 30, 1996. HARRIS, Marvin. “O Padrão brasileiro”, in: Padrão Racial nas Américas. Rio de
  • HASENBALG, Carlos. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005. IANNI, Otávio. “O negro e o mulato”, in: As metamorfoses do Escravo. São Paulo: Difel, 1965. MAGGIE, Yvonne. “Aqueles a quem foi negada a cor do dia: as categorias de cor e raça na cultura brasileira”, in: MAIO, Marcos Chor (org.). Raça, ciência e sociedade no Brasil. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil/ Editora Fio Cruz,1995. MEDEIROS, Maria Alice de A. Elogio da dominação, Rio de Janeiro: Ed. Achimé, 1984. ORTIZ, Renato. Cultura brasileira & identidade nacional. São Paulo: Editora brasiliense, 1985. PIERSON, Donald. “O cenário” e “Composição racial das classes na sociedade baiana”, in: Brancos e Pretos na Bahia. São Paulo: Editora Nacional, 1971. RAMOS, Guerreiro. Introdução crítica à sociedade brasileira. Rio de Janeiro, Ed. Andes Ltda., 1957 (3a . parte). RODRIGUES, Raymundo Nina. Os Africanos no Brasil. Rio Janeiro: Centro Eldestein de Pesquisa, 2010. _____________. As coletividades anormais. Brasília: Edições do Senado Federal, 2006. ROMERO, Silvio. “Os novos partidos políticos no Brasil e o grupo positivista entre eles”, in: O evolucionismo e o positivismo no Brasil. Rio de Janeiro: Livraria Clássica, 1895. SANTOS, Luiz A. de Castro. “A casa-grande e o sobrado na obra de Gilberto Freire”, in: Anuário Antropológico 83, Tempo Brasileiro/Edições UFC, 1985. SCHWARCZ, Lília M. “Nomeando as diferenças: a construção da idéia de raça no Brasil”, in: VILLAS BOAS, Glacias & GONÇALVES, Marco Antonio (org.). O Brasil da virada do século. Rio de Janeiro Relume/ Dumar´, 1995. ___________________.O Espetáculo das Raças. São Paulo: Cia das Letras,2004 SILVA, Nelson do Vale. “Extensão e Natureza das desigualdades raciais no Brasil”, in: GUIMARÃES, A. S. e HUNTLEY. Tirando as máscaras. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

Página gerada em 04/12/2020 12:28:29 (consulta levou 0.089997s)