Nome da Disciplina
OPERAÇÕES AGROINDUSTRIAIS II
CÓDIGO
0570069
Carga Horária
68 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Logística de transporte de grãos. Noções de microbiologia. Noções de química de alimentos. Morfologia, composição e fisiologia de grãos. Recepção, pré-limpeza, limpeza, classificação, secagem, movimentação, tratamento, armazenamento e expedição. Beneficiamento de cereais. Tecnologia de óleos e proteínas vegetais.

Objetivos

Objetivo Geral:

O aluno deverá adquirir conhecimentos fundamentais sobre a tecnologia de grãos, sementes e seus subprodutos e sobre as operações para recepção, transporte, secagem, beneficiamento e armazenamento.

 

Objetivos Específicos:

-capacitar o aluno a compreender todas as etapas pelas quais passam grãos e sementes desde sua colheita até o armazenamento final;
-permitir ao aluno identificar as etapas, aprendendo o mecanismo de cada uma delas;
-fornecer informações ao aluno, de forma que este possua subsídios suficientes e necessários a compreensão das disciplinas subsequentes.

Conteúdo Programático

TEÓRICO
1.INTRODUÇÃO ÀS OPERAÇÕES AGROINDUSTRIAIS PARA GRÃOS E SEMENTES
1.1Logística de grãos no Brasil
2.NOÇÕES DE MICROBIOLOGIA E QUÍMICA RELACIONADAS AOS GRÃOS E SEMENTES
2.1 Noções de microbiologia
2.2 Noções de química do amido
2.3 Noções de química de proteínas
2.4 Noções de química de lipídios
2.5 Composição química de grãos e sementes
3. MORFOLOGIA, COMPOSIÇÃO E FISIOLOGIA DE GRÃOS E SEMENTES
3.1 Morfologia:
3.1.1 Óvulo, ovário, pólen;
3.1.2 Fertilização;
3.1.3 Casca;
3.1.4 Tecido de reserva;
3.1.5 Embrião.
3.2 Composição química:
3.2.1 Carboidratos;
3.2.2 Lipídeos;
3.2.3 Proteínas.
3.3 Fisiologia:
3.3.1 Fatores que afetam a respiração:
a) teor de umidade;
b) temperatura;
c) permeabilidade das membranas;
d) oxigênio;
e) luz.
1.3.2 Fatores que afetam a qualidade fisiológica:
a) fatores genéticos;
b) adversidades durante o desenvolvimento da semente;
c) adversidades no campo, após a maturação fisiológica e antes da colheita;
d) grau de maturidade;
e) tamanho da semente;
f) peso específico da semente;
g) injúrias mecânicas na colheita, transporte e beneficiamento;
h) injúrias térmicas na secagem;
i) teor de umidade da semente durante o armazenamento.
4. RECEPÇÃO
4.1 Controle do produto;
4.2 Amostragem;
4.3 Moega;
4.4 Determinação de umidade.
5. SECAGEM
5.1 Objetivos da secagem;
5.2 Fundamentos da secagem:
5.3 Tipos de secagem;
5.4 Temperaturas limites de secagem;
5.5 Faixas normais de vazões para sistemas de secagem;
5.6 Velocidade de secagem;
5.7 Aplicação do gráfico psicrométrico.
6. BENEFICIAMENTO DE GRÃOS E SEMENTES
6.1 Objetivo;
6.2 Equipamentos utilizados:
6.2.1 Pré-limpeza e Limpeza:
a) partes da máquina;
b).funcionamento;
c) regulagens.
6.2.2 Separador por largura e espessura:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
6.2.3 Separador por comprimento:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
6.2.4 Separadores por peso específico:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
6.2.5 Separadores eletrônicos por cor e eletrostático:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
6.2.6 Equipamentos diversos:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
7. MOVIMENTAÇÃO DE GRÃOS E SEMENTES
7.1 Elevadores de caçambas;
7.2 Transportadores de correia;
7.3 Transportadores vibratórios;
7.4 Transportadores pneumáticos;
7.5 Transportadores de parafuso;
7.6 Transportadores de corrente;
7.7 Tubulações e acessórios.
8. ARMAZENAMENTO E EXPEDIÇÃO
8.1 Processo respiratório e aquecimento de uma massa de grãos ou sementes;
8.2 Características dos grãos ou sementes armazenados;
8.3 Fatores físicos que afetam o armazenamento e colheita dos grãos ou sementes;
8.4 Microflora dos grãos e sementes armazenados;
8.5 Os insetos que atacam os grãos e sementes armazenados;
8.6 Combate das pragas;
8.7 Combate aos ratos.
8.8 Aeração.
9. TECNOLOGIA DE ÓLEOS E PROTEÍNAS VEGETAIS
9.1-Introdução
9.2-Objetivos
9.3-Princípios
9.4-Tipos e equipamentos
PRÁTICO
Visitas orientadas em plantas industriais, em engenhos de arroz e em Cooperativas de grãos e sementes.
Aulas práticas em laboratório com medições de parâmetros relacionados aos temas tratados (determinação de umidade, medidas de propriedades físicas dos grãos, seleção e classificação mediante normas vigentes, secagem, etc.).

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • COMPANHIA ESTADUAL DE SILOS E ARMAZÉNS. Grãos: beneficiamento e armazenagem. Porto Alegre: Sulina, 1974. 148p.
  • FELLOWS, P.J. Tecnologia do processamento de alimentos: princípios e práticas. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. 602 p.
  • GAVA, A.J. Princípios de tecnologia de alimentos. 7.ed. São Paulo: Nobel, 1986. 284p.
  • GAVA, A. J.; SILVA, C. A. B.; FRIAS, J. R. Tecnologia de alimentos: princípios e aplicações. São Paulo: Nobel, 2012. 511 p.
  • LASSERAN, J.-C. Aeração de grão. Viçosa: Centro Nacional de Treinamento em Armazenagem, 1981. 128 p.

Bibliografia Complementar:

  • LORINI, I.; MIIKE, L.H.; SCUSSEL, V.M. Armazenagem de grãos. Campinas: IBG, 2002. 983p.
  • LUZ, M. L. G. S.; LUZ, C. A. S. Determinação de umidade de grãos e sementes. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, 2008. 111 p.
  • LUZ, C.A.S.; LUZ, M.L.G.S. Operações agroindustriais para produtos agropecuários. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, 2012. 452p.
  • ORDONEZ, J. A. Tecnologia de alimentos. Porto Alegre: Artmed, 2005.
  • PUZZI, D. Abastecimento e armazenagem de grãos. Campinas: Instituto Campineiro de Ensino Agrícola, 1986. 603p.
  • VAUGHAN, C.E.; GREGG, B.R.; DELOUCHE, J.C. Beneficiamento e manuseio de sementes. Brasília: AGIPLAN, 1976. 195p.
  • WELCH, G.B. Beneficiamento de sementes no Brasil. 2.ed. Brasília: AGIPLAN, 1974. 205p.

Página gerada em 14/11/2019 04:29:42 (consulta levou 0.090153s)