Nome da Disciplina
SOCIOLOGIA DO TRABALHO
CÓDIGO
06560092
Carga Horária
60 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Ementa: O curso visa discutir o papel do trabalho na sociedade capitalista e suas transformações atuais, procurando analisar as mudanças tecnológicas e organizacionais no processo de trabalho e suas implicações na constituição de identidades sociais, atores coletivos, movimentos sociais e políticos. Para tal os temas norteadores da disciplina são os seguintes: trabalho como categoria estruturante na sociedade capitalista; da acumulação fordista à acumulação flexível; a reordenação produtiva global: as redes empresariais e a desterritorialização da produção; flexibilização, fragmentação e heterogeneidade no trabalho; cidadania e direitos do trabalho; o novo mundo do trabalho para além da fábrica: informalidade e economia solidária; trabalho e subjetividade: a construção social de um novo trabalhador na contemporaneidade. A disciplina está organizada em aulas expositivas, discussão de textos e apresentação de vídeos sobre as temáticas.

Objetivos

Objetivo Geral:

Objetivo(s) geral(ais): Discutir o papel do trabalho nas sociedade capitalistas e as suas transformações atuais, procurando analisar as mudanças tecnológicas e organizacionais no processo de trabalho e suas implicações na constituição de identidades sociais, atores coletivos, movimentos sociais e políticos.

 

Objetivos Específicos:

Objetivo(s) específico(s):
1. Apresentar o debate sobre a centralidade do trabalho nas sociedades modernas.
2. Explicar e contextualizar as origens e o surgimento da gerência científica, do fordismo e do compromisso fordista.
213
3. Explicar o surgimento do toyotismo e da lógica da flexibilização produtiva, os seus pontos de ruptura e de continuidade em relação ao taylorismo e ao fordismo.
4. Explicar o advento da reordenação produtiva global e a emergência das redes empresarias e o processo de desterritorialização da produção que lhes são inerentes.
5. Discutir os processos de flexibilização, de informalidade e de precarização das relações de trabalho.
6. Apresentar a situação dos sindicatos de trabalhadores diante das transformações no mundo do trabalho.
7. Identificar as principais transformações ocorridas no mundo do trabalho a partir dos desdobramentos da lógica da restruturação e da flexibilização das relações de trabalho.

Conteúdo Programático

Programa:
1. O trabalho como categoria estruturante na sociedade capitalista
2. Gerência científica e taylorismo.
3. Fordismo e compromisso fordista
4. Toyotismo e empresa flexível
5. A reordenação produtiva global: as redes empresariais e a desterritorialização da produção
6. Flexibilização, informalidade e precarização das relações de trabalho.
7. Os sindicatos diante das transformações do mundo do trabalho.
8. O novo mundo do trabalho: para além da fábrica

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. A busca por segurança no mundo atual. Rio, Zahar, 2003. BENDASSOLI, Pedro Fernando. Trabalho e identidade em tempos sombrios. Aparecida-SP: Idéias & Letras, 2007. BIHR, Alain. Da grande noite à alternativa. São Paulo: Boitempo. 1998. BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista. A degradação do trabalho no século XX. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1981. GOUNET. Fordismo e toyotismo na civilização do automóvel. São Paulo: Boitempo. 1999. HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo, Loyola, 1993. KOVÁCS, Ilona. Empresa flexível: problemas sociais do pós-taylorismo. In SANTOS, Maria João et alii. Globalizações: novos rumos do mundo do trabalho. Florianópolis/Lisboa: UFSC/Socius. 2001. p. 43-68. SANTANA, M. A. e RAMALHO, J. R. Trabalhadores, sindicatos e a nova questão social. In SANTANA, M. A. e RAMALHO, J. R. (orgs). Além da Fábrica – trabalhadores, sindicatos e a nova questão social. São Paulo, Boitempo. 2003. p. 11-43. SILVA, L. A. M. da. Mercado de trabalho, ontem e hoje: informalidade e empregabilidade como categorias de entendimento. In: In SANTANA, M. A. e RAMALHO, J. R. (orgs). Além da Fábrica – trabalhadores, sindicatos e a nova questão social. São Paulo, Boitempo. 2003

Bibliografia Complementar:

  • CORIAT, Benjamim. Pensar pelo avesso: o modelo japonês de trabalho e organização. Rio deJaniro: UFRJ / Revan. 1994.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
T1 2019 / 2 56 37 Ciências Sociais (Bacharelado - Noturno)
Ciências Sociais (Licenciatura - Noturno)
Todos Os Cursos
Horários
ManhãTardeNoite
TER13:30 - 14:20
14:20 - 15:10
15:10 - 16:00
16:00 - 16:50
ATTILA MAGNO E SILVA BARBOSA
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
SOCIOLOGIA DO TRABALHO Ciências Sociais (Bacharelado - Noturno)
SOCIOLOGIA DO TRABALHO Ciências Sociais (Licenciatura - Noturno)

Página gerada em 12/12/2019 04:18:33 (consulta levou 0.281613s)