Nome da Atividade
GEOGRAFIA AGRÁRIA
CÓDIGO
10060012
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Analisa a agricultura e suas relações com o ambiente natural, a partir da identificação dos elementos que formam o complexo agrário. A organização do espaço agrário é compreendida como resultado da interação entre a ação humana e os condicionantes físicos, ao longo do processo histórico de desenvolvimento social, econômico, cultural e político das sociedades. Possibilita aos alunos a interpretação das relações sócio-espaciais estabelecidas entre o rural e o urbano, entendidas a partir da reprodução dos modos de produção e suas transformações ao longo do tempo, seus conflitos e contradições, os quais encontram-se presentes no desenvolvimento do capitalismo no agro brasileiro.

Objetivos

Objetivo Geral:

-Analisar a organização do espaço agrário, identificando os sub-sistemas presentes neste espaço, ou seja, social, de produção, funcional e sua integração com meio ecológico;
-Elaborar o conhecimento sobre forma, função, estrutura e processo presentes na organização espacial e aplicar os referidos marcos conceituais na compreensão do espaço agrário;
-Conceber uma visão integradora sobre o ambiente, a partir das propostas de sustentabilidade;

 

Objetivos Específicos:

-Compreender o significado de Geografia Agrária, Geografia Agrícola e Geografia Rural;
-Identificar os elementos básicos da estrutura fundiária;
-Compreender a importância do meio natural na organização das atividades agrícolas;
-Conhecer e diferenciar, em nível nacional, a tipologia agrícola e as necessidades do mercado; -Conhecer as diferentes regiões agrícolas, bem como identificar seus elementos formadores;
-Enfatizar as transformações recentes no campo, como a industrialização da agricultura;
-Analisar os conflitos sociais e políticos do campo brasileiro;
-Relacionar o problema da fome com o desenvolvimento da agricultura;
-Compreender os novos paradigmas de análise sobre o desenvolvimento da agricultura;
-Estudar os princípios teóricos e pragmáticos que norteiam o conceito de sustentabilidade

Conteúdo Programático

UNIDADE I – Geografia Agrária, Geografia Rural, Geografia Agrícola
1.1 – Objeto e Método da Geografia Rural
1.2 – A natureza da atividade agrícola
1.3 – A interação com outras atividades
1.4 – A viabilização espacial e temporal
1.5 – Os fatores da atividade agrícola: terra, trabalho e capital
UNIDADE II – Bases Fundiárias e Sociais do Estabelecimento Agrícola
2.1 – Propriedade e Estabelecimento
2.2 – Tipos de Exploração Econômica
2.3 – Relações de Trabalho
2.4 – Distribuição da Propriedade e Estabelecimento Rural
UNIDADE III – Bases Econômicas do estabelecimento Agrícola
3.1 – Produção Total: inputs e outputs agrícolas
3.2 – Preços, Produtividade, Custos e Lucros
3.3 – Expressão Espacial dos Preços, Custos e Lucros
3.4 – Renda Econômica e Renda da Terra
3.5 – Intensidade da Agricultura e os Fatores da Produção
UNIDADE IV – Atividade Agrícola e o Meio Rural
4.1 – O Meio Natural como Recurso e Restrição
4.2 – As Abordagens do Meio Natural: determinismo, possibilismo e percepção do meio
4.3 – Classes de Recursos, Incertezas e Desequilíbrios Ambientais
UNIDADE V – Comercialização e Mercado
5.1 – Características e Condições do Sistema de Comercialização
5.2 – Tipos de Comercialização e Mercados
5.3 – Classificação da Agricultura pelo Grau de Comercialização
5.4 – Industrialização da Agricultura
UNIDADE VI – O Processo de Modernização da Agricultura
6.1 – Fatores de Transformação nas Atividades Agrícolas
6.2 – Formação dos Complexos Agro-industriais – CAIS
6.3 – O Papel do Estado no Processo de Modernização no Campo Brasileiro
6.4 – A Integração da Produção Familiar aos Complexos Modernos
6.5 – Agricultura e Desenvolvimento Sustentável
UNIDADE VII – A Situação Atual da Agricultura no Brasil
7.1 – Estrutura Fundiária
7.2 – Fronteira Agrícola
7.3 – Reforma Agrária
7.4 – Conflitos Sociais e a Questão Política
7.5 – O Problema da Fome no Campo e na Cidade
7.6 – Agricultura e Meio Ambiente

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ABRAMOVAY, R. Paradigmas do Capitalismo Agrário em Questão. São Paulo: Hucitec, 1992. ABREU, L.S. Impactos Sociais e Ambientais na Agricultura: uma abordagem histórica de um estudo de caso. Brasília: EMBRAPA, 1994. AGÜERO, J. L. S. A Nova Agricultura. Rio de Janeiro: Salvat Ed. , 1979. ALTIERI, M. Agroecologia ; a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. Da Universidade, 1998. ALMEIDA, J. A construção social de uma nova agricultura. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1999. AMIR, S. e VERGOPOULOS, K. A Questão Agrária e o Capitalismo. São Paulo:Paz e Terra, 1989. ANDRADE, Manoel C. de . Geografia Econômica. São Paulo: Ed. Atlas, 1981. ANJOS, F. S. dos . A Agricultura Familiar em Transformação: o caso dos colonos-operários de Massaranduba ( SC ). Pelotas: Ed. Universitária, 1995. ARAÚJO, L.E. A Questão Fundiária na Ordem Social. Santa Cruz do Sul: Ed. UNISC, 1985. BARROS, E. de V. Princípios de Ciências Sociais para a Extensão Rural. Viçosa: UFV, 1994. BOSERUP, Ester. Evolução Agrária e Pressão Demográfica. São Paulo: Hucitec, 1987. BRESSSER – PEREIRA, L. C. e REGO, J. M. A Grande Esperança em Celso Furtado. São Paulo: Ed. 34, 2001.

Bibliografia Complementar:

  • FERNANDES, B. M. Questão Agrária, pesquisa e MST. São Paulo: Cortez, 2001. FLEURY, M. T. L. Cooperativas Agrícolas e Capitalismo no Brasil. São Paulo: Global, 1983. BROSE, M. Agricultura familiar, desenvolvimento local e políticas públicas. Santa cruz do Sul: EDUNISC, 1999. CAMPOS, R.T. Mudança Tecnológica na Agricultura. Fortaleza: EUFC, 1997. CASTRO, Josué de. Geografia da Fome. Rio de Janeiro: Antares, 1987. _______________ . Geopolítica da Fome. Rio de Janeiro: Antares, 1987. DERRUAU, Max. Geografia Humana. Lisboa: Presença, 1982. DINIZ, José A.F. Geografia da Agricultura. São Paulo: Difel, 1984. EHLERS, E. Agricultura sustentável: origens e perspectivas de um novo paradigma. Guaíba: Agropecuária, 1999. ETGES, V.E. Sujeição e Resistência: os camponeses gaúchos e a indústria do fumo. Santa Cruz do Sul: Ed. UNISC, 1991. ETGES, V. E. Geografia Agrária – a contribuição de Leo Waibel. Santa Cruz do Sul : EDUNISC, 2000. FAO. Diretrizes de Política Agrária e Desenvolvimento Sustentável para a Pequena Produção Familiar. Brasília: FAO/INCRA, 1994. Versão Preliminar FLEURY, M. T. L . Cooperativas Agrícolas e Capitalismo no Brasil. São Paulo: Global, 1993. FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil. São Paulo: Ed. Nacional, 1982. GEORGE, Pierre. Geografia Econômica. Lisboa: Fundo de Cultura, 1967. GERARDI, L.H.O . e SALAMONI, G. Para entender o campesinato: a contribuição de A . V. Chayanov.. In: Ambiente Y Sociedad, Mérida, 1993. GLIESSMAN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. da Universidade, 2000. GNACARINI, José C. Latifúndio e Proletariado. Rio de Janeiro: Pólis, 1980. GORENDER, J. Gênese e Desenvolvimento do Capitalismo no Campo Brasileiro. POA: Mercado Aberto, 1987. GRANDO, M.Z. Pequena Agricultura em Crise – o caso da colônia francesa no Rio Grande do Sul. POA: FEE,1989. GRAZIANO, F. Qual Reforma Agrária? Terra , Pobreza, Cidadania. São Paulo: Geração Editorial, 1996. HOWWARD, S.G. Geografia da Agricultura. Rio de
  • PRESVELOU, C.; ALMEIDA, F.R.; ALMEIDA, J. A .; Mulher, família e desenvolvimento rural. Santa Maria: Ed. da UFSM, 1996. SACHS, I. Capitalismo de Estado e Subdesenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1969. ________. Espaços, tempos e estratégias do desenvolvimento. São Paulo: Vértice, 1986. __________. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Studio Nobel, 1993. __________. Desenvolvimento Sustentável. Brasília: IBAMA, 1996. (Série Meio Ambiente em Debate). __________. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1996. SALAMONI, G. Produção Familiar Integrada ao C.A.I. Brasileiro – a produção de pêssego no município de Pelotas – RS. Rio Claro: UNESP, 1992. (Dissertação de Mestrado). ______________. Produção Familiar: possibilidades e restrições para o desenvolvimento sustentável – o exemplo de Santa Silvana – Pelotas – RS. Rio Claro: UNESP, 2000. ( Tese de Doutorado) SALAMONI, G. e GERARDI, L. H. O . Considerações sobre a transformação da agricultura tradicional em um complexo moderno. In : Ambiente y Sociedad, Mérida, 1994. __________________________________ . A Produção Familiar de Pêssego no município de Pelotas – RS. In: Geografia, Rio Claro, 17(2):45 – 64, 19992. __________________________________ . Princípios sobre o ecodesenvolvimento e suas relações com a agricultura familiar. In: GERARDI, L. H. O . e MENDES, I. A . Teoria, Técnicas, Espaços e Atividades – temas da geografia contemporânea. Rio Claro: AGETEO/UNESP, 2001. SANCHO, J. La Agricultura de Cara al Futuro. Madrid: Editorial Cincel, 1982. SANTOS, J. V. T. Colonos do Vinho – estudo sobre a subordinação do trabalho camponês ao capital. São Paulo: Hucitec, 1978. SILVA, José G. Questão Agrária. São Paulo: Brasiliense/Difel, 1990. ____________. Tecnologia e agricultura familiar. Porto Alegre: Ed. da Universidade/UFRGS, 1999. SILVA, S. Valor e Renda da Terra: o movimento do capital no campo. São Paulo: Pólis, 1991. SOARES, Gláucio. A Questão Agrária n

Página gerada em 03/12/2020 23:15:57 (consulta levou 0.160438s)