Nome da Atividade
CULTURAS: ENTRE ENSINO, LINGUAGENS E FORMAÇÃO DE SENTIDOS
CÓDIGO
10900164
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

A disciplina analisa linguagens e produção de sentidos a partir de objetos e fontes de pesquisa histórica, em diferentes contextos, que se situam nas fronteiras entre a História e a Educação, a partir de aportes teóricos e metodológicos da história cultural. Contempla o estudo conceitual e analítico de fenômenos, práticas e representações culturais, em distintos espaços e temporalidades. Entre os aspectos a serem problematizados está a historiografia relacionada à produção, à circulação e aos usos do conhecimento histórico em espaços escolares, não escolares, institucionais, públicos e privados, bem como as diferentes concepções de educação e de ensino e as disputas nas construções de narrativas (históricas e memoriais).

Objetivos

Objetivo Geral:

Discutir conceitos e linguagens próprias das perspectivas teóricas e metodológicas da história cultural, especialmente no que se refere aos temas situados nas fronteiras entre a História e a Educação, com destaque para o ensino de história e a história da educação nas suas mais amplas concepções.

Conteúdo Programático

O conceito de cultura e seus usos pela História e pela Educação.

Diferentes formas de produção de narrativas históricas.

Sentidos acadêmicos, sociais e escolares da História.

Linguagens da História e aprendizados do passado.

Práticas culturais e divulgação histórica.

Historiadores/as e educadores/as no espaço público.

Ensinos de História e os modos de construir, usar e abusar do passado.

Historiografia, narrativas históricas e narrativas memoriais.

Diálogos possíveis entre História e Educação.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • FRANZINI, Fábio; LIMA, Luís Filipe Silvério (Orgs.). Olhar o abismo: visões sobre o passado e o presente do Brasil atual. Vitória: Editora Milfontes, 2021. HARTOG, François. Regimes de Historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. LOPES, Eliane Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes (Orgs). Pensadores Sociais e História da Educação 2. 1º edição. Belo Horizonte: Autêntica, 2017. MAGALHÃES, Marcelo et.al. (orgs). Ensino de História: usos do passado, memória e mídia. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2014. MARCELINO, Douglas Áttila. Historiador, fotógrafo da morte: a escrita da história a partir de cinco filmes. Belo Horizonte: Fino Traço, 2021. PROUST, Antonie. Doze lições sobre a História. Trad. Guilherme João de Freitas Teixeira. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. MONTEIRO, Ana Maria; RALEJO, Adriana. Cartografia da Pesquisa em Ensino de História. Rio de Janeiro: Mauad X, 2019. REIS, José Carlos. O lugar central da teoria-metodologia na cultura histórica. Belo Horizonte: Autêntica, 2019. REVEL, Jacques (org.) Jogos de escala: a experiência da micro-análise. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1998. ROCHA, Helenice; MAGALHÃES, Marcelo de Souza, GONTIJO, Rebeca. O ensino de história em questão: cultura histórica, usos do passado. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2015. RÜSEN, Jörn. Cultura faz sentido: orientações entre o ontem e o amanhã. Tradução: Nélio Schneider. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. RÜSEN, Jörn. Teoria da História: uma teoria da história como ciência. Tradução Estevão Martins. Curitiba: Ed. UFPR, 2015. ZAMBONI, Ernesta; GALZERANI, Maria Carolina; PACIEVITCH, Caroline (Orgs.). Memória, sensibilidades e saberes. Campinas: Alínea, 2015. WAGNER, Roy. A invenção da cultura. Trad. Marcela Coelho de Souza e Alexandre Morales. São Paulo: Ubu, 2017.
  • ALBUQUERQUE JR, Durval Muniz de. O Tecelão dos Tempos: novos ensaios de teoria da história). São Paulo: Intermeios, 2019. ALBUQUERQUE JR, Durval Muniz de. A feira dos mitos: a fabricação do folclore e da cultura popular (Nordeste, 1920-1950). São Paulo: Intermeios, 2013. BARBIER, Frédéric. História das Bibliotecas: de Alexandria às bibliotecas virtuais. São Paulo: Ed. Da Universidade de São Paulo, 2018. BENITO, Agustín Escolano. A escola como cultura: experiência, memória e arqueologia. Campinas, SP: Ed. Alínea, 2017. BRAGANÇA, Aníbal; ABREU, Mária. (Orgs.) Impresso no Brasil: dois séculos de livros brasileiros. São Paulo: UNESP, 2010. BURKE, Peter. O que é história Cultural? Tradução Sergio Goes de Paula. 2ª ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008. CALDEIRA, Ana Paula Sampaio; MARCELINO, Douglas Áttila (Orgs.). Lugares e práticas historiográficas: escritas, museus, imagens e comemorações. Curitiba: CRV, 2021. CERTEAU, Michel. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982. CHARTIER, Roger. A história Cultural entre práticas e representações. Trad. Maria Manuela Galhardo. Lisboa: Difusão Editorial, 1988. CHARTIER, Roger. A ordem dos Livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Tradução de Mary del Priore. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 1994. CHARTIER, Roger. À Beira da Falésia: a história entre certezas e inquietude. Tradução Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Ed. Universidade UFRGS, 2002. COELHO, Fabiano; LEITE, Eudes; PERLI, Fernando (Orgs.). História: o que é, quanto vale, para que serve? São Paulo: Letra e Voz, 2021. DAHER, Andrea (Org.). Oral por escrito: a oralidade na ordem da escrita, da retórica à literatura. Chapecó, Florianópolis: Argos, Ed. UFSC, 2018. FARIA FILHO, Luciano Mendes (org). Pensadores Sociais e História da Educação. 3ª Edição. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
1 2022 / 2 10 5 Educação (Mestrado acadêmico)
Educação (Doutorado)
História (Mestrado acadêmico)
História (Doutorado)
Horários
ManhãTardeNoite
TER13:30 - 14:20
14:20 - 15:10
15:10 - 16:00
16:00 - 16:50
MAURO DILLMANN TAVARES
Professor responsável pela turma

PATRICIA WEIDUSCHADT
Professor Regente

Página gerada em 04/12/2022 01:51:37 (consulta levou 0.906752s)