Nome da Atividade
ANTROPOLOGIA, ICONOGRAFIA E MUSEOLOGIA
CÓDIGO
10910015
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Discussão de alguns conceitos que proporcionam interfaces entre Antropologia e Museologia: memória, patrimônio.

Objetivos

Objetivo Geral:

• Ministrar conhecimentos teóricos, metodológicos e da produção simbólica relacionados a área da Antropologia.

 

Objetivos Específicos:

• Subsidiar projetos, pesquisas, análises, escritura de textos, produção iconográfica e museológica que abordam a diversidade de sociedades humanas marcadas tanto pelo fenômeno da tradição como da globalização.

Conteúdo Programático

‒ cultura;
‒ etnocentrismo;
‒ relativismo;
‒ alteridade;
‒ etnografia;
‒pensamento simbólico;
‒ identidade;
‒ memória e patrimônio;
– museu etnográfico.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • ANICO, Marta. A pós-modernização da cultura: patrimônio e museus na contemporaneidade. In: Horizontes Antropológicos, ano 11, n. 23. Porto Alegre, 2005, (p. 71 – 86). CANANI, Aline. Herança, sacralidade e poder: sobre as diferentes categorias do patrimônio histórico e cultural no Brasil. In: Horizontes Antropológicos, ano 11, n. 23. Porto Alegre, 2005, (163 – 175). CLIFFORD, James. Museologia e contra-história: viagens pela Costa Noroeste dos Estados Unidos. In: Memória e patrimônio; ensaios contemporâneos. Regina ABREU e Mário CHAGAS (Org.) Rio de Janeiro: Lamparina, 2009. 254 – 302.

Bibliografia Complementar:

  • DURAND, Jean-Yves. Este obscuro objecto do desejo etnográfico: o museu. Etnográfica, v. 11, n. 2. Lisboa, 2007, p. 373 – 386. FABIAN, Johannes. Colecionando pensamentos: sobre os atos de colecionar. Mana, v. 16, n. 1. Rio de Janeiro, 2010, p. 59 – 73. KOSBY, Marília; RIETH, Flávia. Nós cultuamos todas as doçuras: a contribuição negra para a tradição doceira de Pelotas. Trabalho apresentado na VII RAM, 23 a 26 de julho de 2007, Porto Alegre/RS. (p. 01-15) LEWGOY, Bernardo. Do velho ao antigo:Etnografia do surgimento de um patrimônio, 1997. (mimeo. p. 01-22). NEDEL, Letícia. Breviário de um museu mutante. In: Horizontes Antropológicos, ano 11, n. 23. Porto Alegre, 2005, (p. 87 – 112). SCHWARCZ, Lilia. Os museus etnográficos brasileiros. In O Espetáculo das Raças. Cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870 - 1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993, p.87 – 128. SILVEIRA, Flávio Leonel Abreu da; LIMA F°, Manuel Ferreira. Por uma Antropologia do objeto documental: entre “a alma nas coisas” e a coisificação do objeto. In: Horizontes Antropológicos, ano 11, n. 23. Porto Alegre, 2005, (p. 37 – 50).

Página gerada em 04/07/2022 03:24:35 (consulta levou 0.114741s)