Nome da Atividade
Seminário de Linha de Pesquisa: Fonologia
CÓDIGO
1120071
Carga Horária
68 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
1
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
3
CRÉDITOS
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

O projeto de pesquisa; a cientificidade e a pesquisa acadêmica; a pesquisa científica a responsabilidade social do pesquisador; a pesquisa em fonologia; discussão de metodologias de pesquisa em fonética e fonologia, fonologia de laboratório, teorias fonológicas e outros elementos que permitam a construção das teses voltadas para a área de fonologia.

Objetivos

Objetivo Geral:

Discutir a pesquisa em Fonética e Fonologia e na interface Fonologia/Morfologia, a partir de seus fundamentos teóricos.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • BERTI, L. PERCEFAL: instrumento de avaliação da identificação de contrastes fonológicos. Audiology Communication Research, p.1-9, 2017. BERTI, L. & ROQUE,L.M.R. Desempenho perceptivo-auditivo de crianças na identificação de contrastes fonológicos entre as vogais tônicas. São Paulo: CoDAS v.25, n.6, p.534-41, 2013. BOERSMA, P. Cue constraints and their interactions in phonological perception and production. Rutgers Optimality Archive, n.944, 2007. BISOL, L. & SCHWINDT,L.C.(orgs) Teoria da Otimidade: Fonologia. São Paulo: Pontes, 2010. BOERSMA,P. A programme for bidirectional phonology and phonetics and their acquisition and evolution. In: BENZ, A.; MATTAUSCH, J. (eds.). Bidirectional Optimality Theory. Amsterdam: John Benjamins, 2011. p.33-72. BOERSMA,P.; HAMANN, S. Loanword adaptation as first-language phonological perception. In: CALABRESE, A.; WETZELS, W. L. (eds.) Loanword phonology. Amsterdam: John Benjamins, 2009. BOERSMA,P.; HAMANN, S. Introduction: models of phonology in perception. In: BOERSMA, P.; HAMANN, S. (eds). Phonology in Perception. Berlin: Mouton de Gruyter, 2009. p.1-24. COHEN, A.; FOUGERON, C.; HUFFMAN, M. (orgs) The Oxford Handbook of Laboratory Phonology. Oxford: Oxford University Press, 2012. DEMOLIN, D. The experimental method in phonology. Revista da ABRALIN, vol, XI, n°1, 2012, p. 31-88. GOLDSMITH, J. A.; RIGGLE, J.; YU, A. The Handbook of Phonological Theory. Oxford: Wiley-Blackwell, 2011. HORA,D. da & MATZENAUER,C.L.B. (orgs) Fonologia, Fonologias. São Paulo: Contexto, 2017. VAN LEUSSEN, J.W.; ESCUDERO,P. Learning to perceive and recognize a second language: the L2LP model revised. Frontiers in Psychology|www.frontiersin.org|V.6, p. 1-12, 2015. VIHMAN, M. Perception and Production in Phonological Development. In: Brian MacWhinney and William O’Grady (eds) The Handbook of Language Emergence. Hoboken: JohnWiley & Sons, Inc., 2015. P.437-457.

Bibliografia Complementar:

  • ALCÂNTARA,C. da C. As classes formais do Português e sua constituição: um estudo à luz da Teoria da Morfologia Distribuída. Tese de Doutorado. Porto Alegre: PUCRS, 2003. ALVES,U.K. A aquisição das seqüências finais de obstruintes do inglês (L2) por falantes do Sul do Brasil: análise via Teoria da Otimidade. Tese de Doutorado. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008. BISOL,L. (org) Introdução a estudos de fonologia do Português Brasileiro. 5. ed. revista. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010. BOERSMA,P.; WEENINK, David. PRAAT – Doing phonetics by computer. Disponível em: http://www.fon.hum.uva.nl/praat/. HALLE,M. & MARANTZ,A. Distributed Morphology and pieces of inflection. In: Hale,K; Keyser,S.J. (eds) The view from the building 20th: issues in honor of Sylvain Bromberger. Cambridge: MIT Press, 1993. p.111-176. LAMPRECHT, R.R. et. al. Aquisição fonológica do Português: perfil de desenvolvimento e subsídios para terapia. Porto Alegre: Artmed Editora, 2004. McCARTHY,J.J. A Thematic Guide to Optimality Theory. Cambridge: Cambridge University Press, 2002. McCARTHY,J.J. Doing Optimality Theory: applying theory to data. Oxford: Blackwell, 2008. QUINTANILHA-AZEVEDO, R. Formalização Fonético-Fonológica da Interação de Restrições na Produção e na Percepção da Epêntese no Português Brasileiro e no Português Europeu. Tese de doutorado. Pelotas: UCPEL, 2016. RAUBER, A. S.; RATO, A.; SANTOS, G. R.; KLUGE, D. C.; FIGUEIREDO, M. TP: perception tests and perceptual training with immediate feedback, versão 3.1. Worken, 2009. Disponível em: .

Página gerada em 20/01/2021 14:47:23 (consulta levou 0.108289s)