Nome da Atividade
TECNOLOGIA DE TERPENOS SUAS APL. INDUSTRIAIS
CÓDIGO
12000024
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%

Ementa

Conceitos fundamentais. Principais fontes de obtenção. Métodos de extração. Métodos de isolamento e caracterização. Propriedades e atividades. Aplicações Industriais. Empreendedorismo e aspectos econômicos. Impacto ambiental. Modificações Químicas e Biotransformações de terpenos.

Objetivos

Objetivo Geral:

Apresentar a introdução à tecnologia de terpenos abordando os aspectos econômicos, ambientais e as suas aplicações industriais: química fina, defensivos agrícolas, farmacêutica e alimentos.

 

Objetivos Específicos:

- Apresentar as principais fontes de obtenção de terpenos e as principais técnicas de extração, isolamento e caracterização;
- Discutir os princípios fundamentais da tecnologia de terpenos;
- Apresentar a relação entre aspectos estruturais e propriedades;
- Correlacionar as propriedades às diferentes aplicações industriais;
- Proporcionar discussões sobre o mercado, o desenvolvimento na área e os problemas ambientais relacionados a isso.
- Discutir as diferenças existentes na extração de óleos essenciais em escala de banca e em escala piloto;

Conteúdo Programático

PARTE TEÓRICA
UNIDADE 1: CONCEITOS FUNDAMENTAIS
1.1. Definição.
1.2. Biogênese.
1.3. Quimiotaxonomia, localização e função biológica.
1.4. Nomenclatura e Classificação.
UNIDADE 2: PRINCIPAIS FONTES DE OBTENÇÃO
2.1. Óleos essenciais.
2.2. Fatores que influenciam a produção de óleos essenciais.
2.3. Fonte animal.
2.4. Resíduos industriais.
UNIDADE 3: MÉTODOS DE EXTRAÇÃO
3.1. Cuidados preliminares.
3.2. Enfloração (Enfleurage).
3.3. Arraste por vapor de água.
3.4. Extração com solventes orgânicos.
3.5. Prensagem.
3.6. CO2 Supercrítico.
3.7. Principais métodos Industriais.
UNIDADE 4: MÉTODOS DE ISOLAMENTO E CARACTERIZAÇÃO
4.1. Destilação sob pressão reduzida.
4.2. Métodos Cromatográficos.
4.3. Espectrometria de massa.
4.4. Infravermelho.
4.5. Ressonância Magnética Nuclear.
UNIDADE 5: PROPRIEDADES E ATIVIDADES
5.1. Propriedades Físico-Químicas.
5.2. Atividades Biológicas.
5.3. Características Aromáticas.
UNIDADE 6: APLICAÇÕES INDUSTRIAIS
6.1. Solventes.
6.2. Indústria de alimentos.
6.3. Indústria de cosméticos e perfumaria.
6.4. Indústria farmacêutica (fitoterápica e farmoquímica).
6.5. Indústria de fungicidas e antimicrobianos.
6.6. Indústria de defensivos agrícolas.
UNIDADE 7: MERCADO PARA A PRODUÇÃO DE ÓLEOS ESSENCIAIS
7.1. Histórico.
7.2. Mercado nacional e internacional.
UNIDADE 8: MODIFICAÇÕES QUÍMICAS E BIOTRANSFORMAÇÕES DE TERPENOS.
8.1. Tecnologia TERPENE VR.
8.2. Modificações Químicas.
8.3. Biotransformações.
PARTE EXPERIMENTAL
1: Extração de óleo essencial em escala de bancada.
2: Extração de óleo essencial em escala piloto.
3: Secagem e análise preliminar do óleo essencial por cromatografia em camada delgada e infravermelho.
4: Identificação dos principais terpenos presentes no óleo essencial através de análise por CG/MS.
5: Quantificação dos principais terpenos do óleo essencial por cromatografia em fase gasosa.
6: Isolamento dos principais terpenos através de destilação ou em coluna cromatográfica.
7: Proposta para a modificação química do óleo essencial visando agregação de valor.

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • 1. Monteiro, J. L. F. at alli, Química Sustentable, Norma Nudelman: Santa Fé, Argentina, 2004, 304p.
  • 2. Di Stasi, L. C. Plantas Medicinais: Arte e Ciência – Um guia de estudo interdisciplinar, Editora UNESP: São Paulo, 1995, 230p.
  • 3. Bandoni, A. Los Recursos Vegetales Aromáticos em Latinoamérica – Su aprovechamiento industrial para la producción de aromas y sabores, Ed. UNLP: La Plata, Argentina, 2000, 410p.

Bibliografia Complementar:

  • 4. Craveiro A.A.; Queiroz, D.C. Quim. Nova,1993, 16, 224.
  • 1. Biermann, U,; Friedt, W.; Lang, S.; Lühs, W.; Machmüller, g.; Metzger, J.O.; Klaas, M.R,; Schäfer, H.J.; Schneider, M.P. Angew. Chem. Int. Ed. 2000, 39, 2206.
  • 2. Corma, A,; Iborra, S.; Velty, A. Chem. Rev. 2007, 107, 2411.
  • 3. Schuchardt, U.; Ribeiro, M.L.; Gonçalves, A, R. Quim. Nova, 2001, 24, 247.
  • 5. SHRIVER E ATKINS; Química Inorgânica, 4ª ed., Ed. Bookman, Porto Alegre-RS, 2008.

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
TECNOLOGIA DE TERPENOS SUAS APL. INDUSTRIAIS Química (Bacharelado)
TECNOLOGIA DE TERPENOS SUAS APL. INDUSTRIAIS Química Industrial (Bacharelado)

Página gerada em 06/07/2022 18:47:16 (consulta levou 0.201744s)