Nome da Disciplina
OPERAÇÕES AGROINDUSTRIAIS II
CÓDIGO
15000022
Carga Horária
60 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
4
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
2
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
2
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Logística de transporte de grãos. Noções de microbiologia. Noções de química de alimentos. Morfologia, composição e fisiologia de grãos. Recepção, pré-limpeza, limpeza, classificação, secagem, movimentação, tratamento, armazenamento e expedição. Beneficiamento de cereais. Tecnologia de óleos e proteínas vegetais.

Objetivos

Objetivo Geral:

Objetivo geral:
O aluno deverá adquirir conhecimentos fundamentais sobre a tecnologia de grãos, sementes e seus subprodutos e sobre as operações para recepção, transporte, secagem, beneficiamento e armazenamento.

Objetivos específicos:
-capacitar o aluno a compreender todas as etapas pelas quais passam grãos e sementes desde sua colheita até o armazenamento final;
-permitir ao aluno identificar as etapas, aprendendo o mecanismo de cada uma delas;
-fornecer informações ao aluno, de forma que este possua subsídios suficientes e necessários a compreensão das disciplinas subsequentes.

 

Objetivos Específicos:

-capacitar o aluno a compreender todas as etapas pelas quais passam grãos e sementes desde sua colheita até o armazenamento final;
-permitir ao aluno identificar as etapas, aprendendo o mecanismo de cada uma delas;
-fornecer informações ao aluno, de forma que este possua subsídios suficientes e necessários a compreensão das disciplinas subsequentes.

Conteúdo Programático

TEÓRICO
1.INTRODUÇÃO ÀS OPERAÇÕES AGROINDUSTRIAIS PARA GRÃOS E SEMENTES
1.1Logística de grãos no Brasil
2.NOÇÕES DE MICROBIOLOGIA E QUÍMICA RELACIONADAS AOS GRÃOS E SEMENTES
2.1 Noções de microbiologia
2.2 Noções de química do amido
2.3 Noções de química de proteínas
2.4 Noções de química de lipídios
2.5 Composição química de grãos e sementes
3. MORFOLOGIA, COMPOSIÇÃO E FISIOLOGIA DE GRÃOS E SEMENTES
3.1 Morfologia:
3.1.1 Óvulo, ovário, pólen;
3.1.2 Fertilização;
3.1.3 Casca;
3.1.4 Tecido de reserva;
3.1.5 Embrião.
3.2 Composição química:
3.2.1 Carboidratos;
3.2.2 Lipídeos;
3.2.3 Proteínas.
3.3 Fisiologia:
3.3.1 Fatores que afetam a respiração:
a) teor de umidade;
b) temperatura;
c) permeabilidade das membranas;
d) oxigênio;
e) luz.
1.3.2 Fatores que afetam a qualidade fisiológica:
a) fatores genéticos;
b) adversidades durante o desenvolvimento da semente;
c) adversidades no campo, após a maturação fisiológica e antes da colheita;
d) grau de maturidade;
e) tamanho da semente;
f) peso específico da semente;
g) injúrias mecânicas na colheita, transporte e beneficiamento;
h) injúrias térmicas na secagem;
i) teor de umidade da semente durante o armazenamento.
4. RECEPÇÃO
4.1 Controle do produto;
4.2 Amostragem;
4.3 Moega;
4.4 Determinação de umidade.
5. SECAGEM
5.1 Objetivos da secagem;
5.2 Fundamentos da secagem:
5.3 Tipos de secagem;
5.4 Temperaturas limites de secagem;
5.5 Faixas normais de vazões para sistemas de secagem;
5.6 Velocidade de secagem;
5.7 Aplicação do gráfico psicrométrico.
6. BENEFICIAMENTO DE GRÃOS E SEMENTES
6.1 Objetivo;
6.2 Equipamentos utilizados:
6.2.1 Pré-limpeza e Limpeza:
a) partes da máquina;
b).funcionamento;
c) regulagens.
6.2.2 Separador por largura e espessura:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
6.2.3 Separador por comprimento:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
6.2.4 Separadores por peso específico:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
6.2.5 Separadores eletrônicos por cor e eletrostático:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
6.2.6 Equipamentos diversos:
a) partes da máquina;
b) funcionamento;
c) regulagens.
7. MOVIMENTAÇÃO DE GRÃOS E SEMENTES
7.1 Elevadores de caçambas;
7.2 Transportadores de correia;
7.3 Transportadores vibratórios;
7.4 Transportadores pneumáticos;
7.5 Transportadores de parafuso;
7.6 Transportadores de corrente;
7.7 Tubulações e acessórios.
8. ARMAZENAMENTO E EXPEDIÇÃO
8.1 Processo respiratório e aquecimento de uma massa de grãos ou sementes;
8.2 Características dos grãos ou sementes armazenados;
8.3 Fatores físicos que afetam o armazenamento e colheita dos grãos ou sementes;
8.4 Microflora dos grãos e sementes armazenados;
8.5 Os insetos que atacam os grãos e sementes armazenados;
8.6 Combate das pragas;
8.7 Combate aos ratos.
8.8 Aeração.
9. TECNOLOGIA DE ÓLEOS E PROTEÍNAS VEGETAIS
9.1-Introdução
9.2-Objetivos
9.3-Princípios
9.4-Tipos e equipamentos
PRÁTICO
Visitas orientadas em plantas industriais, em engenhos de arroz e em Cooperativas de grãos e sementes.
Aulas práticas em laboratório com medições de parâmetros relacionados aos temas tratados (determinação de umidade, medidas de propriedades físicas dos grãos, seleção e classificação mediante normas vigentes, secagem, etc.).

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • LUZ, C.A.S.; LUZ, M.L.G.S. Operações agroindustriais para produtos agropecuários. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, 2012. 452p.
  • LUZ, M. L. G. S.; LUZ, C. A. S. Determinação de umidade de grãos e sementes. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária, 2008. 111 p.
  • MILMAN, Mario José. Equipamentos para pré- processamento de grãos. Pelotas: Ed. Universitaria, 2002. 206 p.
  • PUZZI, D. Abastecimento e armazenagem de grãos. Campinas: Instituto Campineiro de Ensino Agrícola, 1986. 603p.
  • VAUGHAN, C.E.; GREGG, B.R.; DELOUCHE, J.C. Beneficiamento e manuseio de sementes. Brasília: AGIPLAN, 1976. 195p.

Bibliografia Complementar:

  • DIAS, M.A. Logística, transporte e infraestrutura: armazenagem, operador logístico, gestão via TI, multimodal. São Paulo: Atlas, 2012. 340p.
  • LASSERAN, Jean-Claude. Aeração de grão. Viçosa: Centro Nacional de Treinamento em Armazenagem, 1981. 128 p.
  • WELCH, G.B. Beneficiamento de sementes no Brasil. 2.ed. Brasília: AGIPLAN, 1974. 205p
  • LORINI, I.; MIIKE, L.H.; SCUSSEL, V.M. Armazenagem de grãos. Campinas: IBG, 2002. 983p.
  • MERCH, Raul Flavio. Beneficiamento e armazenamento de grãos. Porto Alegre: CESA, 1982. 104 p.
  • POPINIGIS, Flavio. Fisiologia da semente. Brasilia, DF: 1985. 289 p.
  • WEBER, Erico A. Armazenagem agrícola. Porto Alegre: Kepler Weber industrial, 1995. 395 p.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
M1 2019 / 2 10 3 Engenharia Agrícola (Bacharelado)
Horários
ManhãTardeNoite
TER08:00 - 08:50
08:50 - 09:40
10:00 - 10:50
10:50 - 11:40
CARLOS ALBERTO SILVEIRA DA LUZ
Professor Regente

MARIA LAURA GOMES SILVA DA LUZ
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
OPERAÇÕES AGROINDUSTRIAIS II Engenharia Agrícola (Bacharelado)

Página gerada em 13/11/2019 08:01:23 (consulta levou 0.165946s)