Nome da Atividade
TóPICOS ESPECIAIS DE SANEAMENTO
CÓDIGO
15000743
Carga Horária
60 horas
Tipo de Atividade
DISCIPLINA
Periodicidade
Semestral
Modalidade
PRESENCIAL
Unidade responsável
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
4
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
4
CRÉDITOS
4
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

Noções Básicas de Saneamento; Problemática do saneamento. Perspectivas das ações de saneamento; Novas tecnologias utilizadas; Doenças
Relacionadas ao Saneamento Inadequado; Geração de energia a partir de tecnologias de saneamento; Saneamento em áreas rurais.

Objetivos

Objetivo Geral:

Objetivo Geral: Propiciar conhecimentos sobre temas relacionados ao Saneamento para os discentes dos Cursos de Engenharia Ambiental e Sanitária; Engenharia Agrícola e Engenharia Civil.
Objetivo Específico: Desenvolver tópicos ligados ao Saneamento que auxiliem os discentes na complementação de temas essenciais à sua formação. Apresentar noções básicas de temas como abastecimento de água, esgotamento sanitário, tratamento de efluentes, gestão de resíduos sólidos urbanos e drenagem urbana em municípios.

Conteúdo Programático

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • WASTEWATER Engineering: treatment and reuse. 4. ed. Boston: McGraw Hill, 2003. 1819 p.
  • BRAGA, B.et al. Introdução à engenharia ambiental: o desafio do desenvolvimento sustentável. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005. 2012. 2013 318 p.
  • TUCCI, C.E.M.; PORTO, R.L.; BARROS, M.T. (Org.). Drenagem urbana. Coleção ABRH, v.5, EDUSP, 1995: 430p.

Bibliografia Complementar:

  • BARROS, R.M.. Tratado sobre resíduos sólidos: gestão, uso e sustentabilidade. Rio de Janeiro: Interciência, 2013. 357 p.
  • METCALF & EDDY, Inc. Wastewater engineering: treatment, disposal, and reuse. 4.ed. New York: McGraw-Hill, 2002. 1820p.
  • GRIBBIN, John B. Introdução a hidráulica, hidrologia e gestão de águas pluviais. 3. ed. São Paulo: Cengage, 2009. 494 p.
  • TUCCI, Carlos E. M.; MARQUES, David M. L. da Motta (Org.). Avaliação e controle da drenagem urbana. Porto Alegre: Ed. Universidade / UFRGS, 2000. 558 p.
  • MORAES, Luiz Fernando Duarte de. Manual técnico para a restauração de Áreas degradadas no estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisas Jardim Botanico do Rio de Janeiro, 2006. 80 p.

Página gerada em 05/12/2023 00:04:32 (consulta levou 0.050379s)